O Center for Aging Better fez parceria com a Pexels, uma das maiores bibliotecas de imagens gratuitas do mundo, para expandir sua gama de imagens de pessoas na terceira idade.

A biblioteca de imagens incluirá mais de 700 fotos “positivas em relação ao envelhecimento e estarão disponíveis gratuitamente para uso público. Envelhecer melhor agora exige uma representação mais positiva e diversificada da vida adulta.

A colaboração faz parte do Pexels for Change, uma iniciativa que ajuda organizações sem fins lucrativos a alcançar públicos mais amplos e mudar narrativas. Encomendadas pela Aging Better, as fotos estão disponíveis para uso gratuito por designers, estudantes, jornalistas e muito mais.

De acordo com a instituição de caridade, as imagens retratam a vida adulta de uma forma realista, positiva e diversa, sem depender de estereótipos nocivos amplamente vistos sobre o envelhecimento na vida pública. Isso inclui “mãos enrugadas” ou pessoas idosas representadas predominantemente em ambientes médicos, que podem ser desumanizantes e redutoras e impactar como as pessoas pensam e se sentem sobre o envelhecimento.

Anna Dixon, diretora-executiva do Center for Aging Better, disse: “Muitas vezes as representações da vida adulta são irrealistas, estereotipadas e falham em retratar a diversidade das experiências de envelhecimento das pessoas. O envelhecimento é amplamente visto de forma negativa e como algo a ser evitado. Essa narrativa pode levar ao preconceito de idade internalizado e ter um impacto prejudicial em nossa saúde mental e bem-estar.”

“É importante reconhecermos que o envelhecimento não precisa ser uma experiência negativa – a fase idosa na vida é algo a ser abraçado e não evitado.”

“Estamos trabalhando muito para mudar essa narrativa preconceituosa e esperamos que esta colaboração com a Pexels ajude a desafiar ainda mais os estereótipos negativos e a moldar atitudes mais positivas em relação ao envelhecimento em toda a sociedade.”

A pesquisa “Envelhecimento Melhor” mostra que uma em cada três pessoas no Reino Unido relatou ter sofrido preconceito ou discriminação por idade. A parceria segue uma série de pesquisas e iniciativas da Aging Better para ajudar a combater o preconceito etário na sociedade.

Isso inclui o design de um novo conjunto de ícones positivos para a idade, desenvolvido como parte de uma competição lançada com a Public Health England. O ícone vencedor repensou a placa de estrada clássica com idosos de bengala curvados, substituindo-os por um casal mais velho dançando.

Por meio da parceria com a Pexels, a Aging Better espera desafiar as narrativas e estereótipos relacionados à idade e melhorar as atitudes em relação à velhice em todas as faixas etárias. Ele está convocando outras bibliotecas de imagens comerciais, mídia e indústrias criativas para seguir o exemplo de Pexels e fazer mais para aumentar a gama de imagens realistas da vida adulta que vemos no dia-a-dia.

Laura Stanley, chefe de BD & Partnerships da Pexels, acrescentou: “O envelhecimento é um processo pelo qual todos estamos passando. No entanto, não tendemos a ver muito a realidade demográfica em nosso consumo diário de conteúdo. É por isso que é tão revigorante e importante ver o tipo de imagem que o Center for Ageing Better está compartilhando.”

“Eu me vejo nessas imagens – vejo minha família e meus amigos nessas pessoas. Aproveitando a vida, os hobbies e as atividades de que todos gostamos, em qualquer idade. Com este tipo de imagem, esperamos ajudar a desafiar os estereótipos em torno do envelhecimento e contribuir para uma visão mais positiva da velhice. ”

LINK DA LISTA DE IMAGENS AQUI!

Leia mais sobre preconceito com idosos e com a idade:

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.