O que é Prescrição Social?

19

Vamos entender o que é e também como funciona a prática de Prescrição Social. É importante ter em mente que tudo que será dito a seguir é baseado em um funcionamento que – pelo menos até a data deste post – não acontece no Brasil; e, se acontece, não é com estes termos e sistematização. Inclusive, já fica o convite de você comentar, caso tenha alguma vivência nesse sentido.

A prescrição social é um meio para os profissionais de saúde conectarem pessoas com necessidades sociais não médicas a uma variedade de serviços na comunidade para melhorar sua saúde e bem-estar.

Problemas não médicos ligados à ansiedade, mau humor ou solidão podem ser tratados com prescrição social. Claro que aqui não se exclui que as pessoas precisam de tratamento médico, mas que o objetivo não é tratamento tradicional farmacológico.

A prescrição social visa desenvolver as forças e preferências individuais, para melhorar a qualidade de vida. A prescrição social é uma abordagem mais holística dos cuidados de saúde, que promove cuidados integrados baseados na comunidade.

Em vez de simplesmente tratar os sintomas, a prescrição social pode ajudar a abordar as causas subjacentes dos problemas de saúde e bem-estar dos pacientes e, portanto, também pode ser benéfica na redução do consumo desnecessário de medicamentos e do uso de serviços de saúde.

A natureza exata das “receitas sociais”, ou seja, os encaminhamentos de pacientes para atividades e serviços são específicos de cada comunidade e ambiente de cuidado.

No entanto, as prescrições sociais geralmente incluem o encaminhamento de pacientes para:

· Serviços comunitários de saúde mental, como aconselhamento e sessões de terapia, grupos de auto-ajuda ou perda de peso e apoio à dieta;
· Atividades sociais como cafés ou mesas de conversa;
· Assessoria financeira, jurídica, habitacional, previdenciária e de cidadania;
· Atividades físicas como clubes esportivos comunitários ou vários espaços ao ar livre e parques
e
· Atividades culturais e artísticas como aulas de arte, museus, bibliotecas, grupos de leitura ou aulas de idiomas.

No modelo mais comum de prescrição social, os prestadores de cuidados de saúde primários, como médicos, enfermeiros ou pessoal clínico, podem encaminhar os doentes para trabalhadores de ligação especializados, que trabalham com os doentes para identificar as suas necessidades sociais.

Os funcionários do link normalmente entram em contato com os pacientes por telefone ou se reúnem com eles para co-projetar planos personalizados.

Eles também acompanham rotineiramente o progresso, o bem-estar dos pacientes para monitorar e fazer uso de técnicas de mudança de comportamento.

 

FONTEWHO
Artigo anteriorImpactos da Aposentadoria Compulsória na Vida do Idoso
Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.