Casa do Idoso: Modificações e Adaptações um Quarto Seguro!

0
4

Se o seu objetivo é ficar perto de seus entes queridos e permanecer conectado à sua comunidade na idade avançada, então você deseja envelhecer no lugar onde vive, ou seja, não deseja envelhecer em uma instituição ou na casa de filhos, parentes e etc. A Associação Americana de Pessoas Aposentadas (AARP) tem uma das definições mais simples dessa abordagem (“Aging in Place”) para a vida dos idosos e, como eles colocam, “envelhecer é uma questão de preservar a capacidade das pessoas de permanecerem em suas casas ou no bairro o maior tempo possível“.

Dos mais de 100 milhões de lares nos Estados Unidos, no entanto, apenas um por cento é propício ao envelhecimento no local, relata Rodney Harrell, especialista em habitação interna da AARP, em um artigo recente da Forbes. Isso porque envelhecer com sucesso significa olhar para o ambiente de sua casa como ele é hoje e remodelá-lo para que permaneça seguro, confortável e acessível em todas as fases do processo de envelhecimento. E embora seja fácil olhar para alguns cômodos – cozinhas e banheiros, por exemplo – e ver os desafios que eles apresentarão nos anos posteriores, também é fácil ignorar um dos cômodos mais importantes da casa: o quarto.

Por estar associado ao descanso e conforto, planejar com antecedência para evitar perigos no quarto pode ser uma prioridade na sua lista de prioridades. Mas você mora muito no quarto: você passa suas horas de sono lá, e muito provavelmente vai passar a maior parte do seu tempo lá se preparando para o dia e o fim do dia. Você terá que caminhar pelo seu quarto no escuro, e pode ter que andar quando estiver doente ou ferido. Se você tiver o desafio de ficar confinado à cama, poderá passar dias inteiros no quarto. Para envelhecer no local com sucesso, você precisa planejar com antecedência um quarto seguro e confortável, como faria em qualquer cômodo da sua casa.

Aqui estão algumas sugestões para você começar:

Quase sete milhões de americanos, muitos deles idosos, usam algum tipo de dispositivo de assistência para mobilidade. Pode ser uma bengala, um andador, uma scooter motorizada, uma cadeira de rodas ou muletas. Os números no Brasil não estão descritos aqui tão precisos, mas sabemos que a mobilidade dos idosos dentro de casa é também desafio para muitos. Para essas pessoas, escadas e residências de vários andares representam um sério desafio. Mesmo que você atualmente não precise de ajuda para caminhar ou manobrar para subir e descer escadas, seu plano de envelhecimento no local deve incluir um quarto no andar térreo ou no andar principal.

Um quarto no andar térreo pode não ser uma opção para você, no entanto. Nesse caso, você pode querer considerar um elevador de escada residencial (o que pode não uma realidade financeira para muitos!). Os elevadores de escada beneficiam as pessoas que lidam com uma ampla gama de questões, incluindo problemas de equilíbrio, problemas nos joelhos e nas costas, problemas cardíacos e pulmonares e outros tipos de desafios de mobilidade. Diferentes tipos de projetos de elevador de escada podem oferecer melhor conforto e facilidade de uso, dependendo dos desafios com os quais você está lidando. Por exemplo, uma plataforma em pé pode ser mais benéfica para alguém com problemas para dobrar os joelhos e, ainda assim, não é tão larga quanto um elevador totalmente sentado, que possui um assento e apoio para os pés, e normalmente é operado pelo toque de um botão. Você também pode optar por um elevador com assento tipo poleiro, já que não requer uma dobra completa e também é bom para quem tem problemas nos joelhos.
Outros elevadores de escada oferecem a opção de sentar / ficar de pé, popular para residências com várias pessoas e idosos com mobilidade reduzida. Recursos adicionais a serem considerados são as opções de giro, o formato do trilho (como ele se encaixa na escada), a capacidade de ajuste e as funções de controle remoto. Para obter uma lista abrangente de elevadores de escada residencial, visite o Consumer Affairs.

Quarto Seguro

Depois de planejar um quarto no andar térreo ou dominar os desafios de acessibilidade de um quarto em outro lugar, é hora de se concentrar no quarto em si. Como você passa muito tempo no quarto, é essencial planejar tendo a segurança como prioridade número um.

As quedas são a principal causa de lesões não intencionais entre adultos com 65 anos ou mais”, relata a Biblioteca Nacional de Medicina dos EUA (NLM). Por esse motivo, um quarto mais seguro e bem cuidado pode ajudá-lo a manter sua independência por mais tempo e diminuir o risco de acidentes fatais. Espaços organizados e passagens claras para facilitar o movimento. Remova todas as áreas tapetes: os especialistas em saúde alertam que qualquer tipo de tapete solto ou não protegido é um risco ambiental que coloca os idosos em risco de quedas e seus ferimentos. Além de remover os tapetes, certifique-se de verificar o carpete do quarto. Se estiver danificado e tiver bordas irregulares ou enroladas, também pode representar um risco de tropeço.

Enquanto você trabalha, considere as seguintes questões:

  • Existe um caminho claro e fácil para a porta e / ou banheiro contíguo?
  • Todas as janelas têm telas e bloqueios seguros? Isso é especialmente importante para quartos do andar principal.
  • Os acessórios para janelas são facilmente usados ​​por pessoas com artrite e pessoas com deficiência visual?
  • Toda a mobília é resistente, sem chance de tombar?
  • Os itens usados ​​diariamente são de fácil acesso?
  • Os equipamentos eletrônicos e médicos estão devidamente protegidos e colocados com fios e cabos fora do caminho?

Se você mantiver equipamentos médicos em seu quarto, certifique-se de seguir todas as instruções de cuidados domésticos para armazenamento e, especialmente, de seguir todos os protocolos de segurança para oxigênio, como manter o cilindro a pelo menos um metro e meio de todas as fontes de calor.

Acessórios e Melhorias para a Cama

No centro do quarto está uma peça de mobiliário essencial, a cama. Mais uma vez, vale lembrar que envelhecer requer um planejamento prévio, portanto, ao pensar em sua cama, lembre-se de que os padrões de sono costumam mudar com o envelhecimento e muitas pessoas mais velhas têm mais dificuldade em adormecer e continuar dormindo.

Por esse motivo, a reforma do quarto pode ser o momento perfeito para substituir uma cama mais velha e fazer um upgrade para outra que seja mais adequada para o envelhecimento em casa. Embora uma cama de hospital possa oferecer alguns benefícios (incluindo a capacidade de ser elevada e abaixada conforme necessário), você também deve considerar as alternativas. Uma cama ajustável, por exemplo, parece uma cama padrão quando é plana, mas permite que você levante e abaixe a cabeça e os pés para obter sua posição de dormir mais confortável e personalizada. Algumas camas ajustáveis ​​vêm com recursos de massagem, controles manuais sem fio e a capacidade de ajustar a firmeza do colchão também (claro, estamos falando aqui em uma cama que pode não ser acessível a muitos e muitos brasileiros. No entanto, é necessário conhecer qual(is) a(s) melhor(es) alternativas para tentar adaptar de acordo com a realidade de cada pessoa).

Se a sua cama atual serve ao seu propósito, oferecendo conforto e uma boa noite de sono, pode não ser necessário substituí-la. Você pode simplesmente querer atualizá-la.  Uma luz embaixo da cama que é acionada por um sensor de movimento pode oferecer a iluminação necessária assim que você sai da cama.

Mais importante ainda, a instalação de grades da cama pode fornecer segurança e paz de espírito. Você pode encontrar grades de cama ou laterais em uma variedade de estilos, incluindo aquelas que se ajustam à altura e ao comprimento. Ao considerar essa opção, lembre-se:

Nem todas as grades da cama são projetadas para serem operadas (levantadas / abaixadas) pela pessoa na cama. Alguns requerem a ajuda de um cuidador.
Uma grade de segurança evita que você role e caia da cama.
Um apoio auxiliar pode ser projetado para oferecer estabilidade e equilíbrio quando você precisa entrar e sair da cama; um “poste de segurança” do chão ao teto pode ter a mesma função. No entanto, todas essas questões precisam ser avaliadas caso a caso para ajudar na escolha.

Nem todas as camas podem ser equipadas com grades. Isso inclui camas de água, camas em formato de plataforma, por isso, uma avaliação é imprescindível.

Por fim, lembre-se de que você pode querer investir em roupas de cama novas como parte da reforma e atualização do quarto. Se você procura roupas de cama novas, evite rodapés ou qualquer tipo de colcha ou edredom que chegue até o chão. Os pés podem ficar emaranhados nesses tipos de roupa de cama, resultando em uma queda. Observe também que uma cama de hospital exigirá tamanhos especiais de lençóis, portanto, esses são essenciais se esse for o tipo de cama que você escolher. Considere também os protetores de colchão: eles ajudam a prevenir problemas de odor ou umidade em seu colchão e podem ser lavados regularmente para permanecerem limpos e frescos.

Uma nota final: ao considerar se deve ou não manter sua cama antiga – e ao olhar para modelos para conseguir uma nova – lembre-se sempre de que, para ser mais seguro, a cama não deve ficar a mais de 1,20 a 60 cm do chão até o topo do colchão.

Leia também:

 

 

 

 

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.