Qual o melhor calçado para o idoso?

459

As quedas acidentais são uma preocupação importante quando falamos de cuidados de saúde destinados às pessoas idosas. Informações trazidas no livro “Geriatria – Meed Book” afirma que aproximadamente um terço das pessoas com 65 anos ou mais vivenciam uma queda por ano e, cerca de 50% delas caem pelo menos duas vezes ao ano.

A prevalência de quedas tem sido associada a fatores relacionados ao sedentarismo, maior consumo de medicações variadas de uso contínuo, instabilidade postural e déficit cognitivo.

Para além dos riscos que envolvem a saúde da pessoa idosa, também existem fatores externos que podem ser preditivos do risco de queda, como questões relacionadas à estrutura do ambiente o qual a pessoa idosa está inserida: leia mais clicando aqui.

Existe também uma preocupação que, por momentos é desconsiderada, mas que é de extrema importância que são os calçados que a pessoa idosa está usando e vamos falar mais sobre eles por aqui.

Precisamos estar atentos a que tipo de calçado a pessoa idosa está acostumado a usar:

Atenção numeração correta: é importante que o calçado seja escolhido de acordo com o tamanho dos pés da pessoa idosa, não vale comprar um calçado (seja aberto ou fechado) em um tamanho maior visando ser “mais confortável”, a folga pode causar tropeços, já que o pé não está totalmente estável no calçado.

Evite saltos altos: Algumas pessoas sempre tiveram o hábito de usar salto, em caso de mulheres idosas que fazem questão do uso de salto, procure opções com saltos mais baixos, mas nada de bico fino, o salto deve ser um complemento do solado, com total aderência ao chão. Em caso de resistência, converse sobre os riscos de queda que podem estar relacionados ao uso de um caçado inadequado.

Calçados bem presos aos pés: Quando não for possível usar calçados totalmente fechados, priorize buscar calçados que tenham total aderência aos pés, estes devem estar bem presos ao tornozelo, evitando que fiquem “meio soltos”, ocasionando possíveis tropeços, aumentando o risco de uma possível queda. NADA DE USAR CHINELOS.

Solado antiderrapante: o uso de calçados com solado antiderrapante pode ajudar a pessoa idosa a transitar em ambientes internos, geralmente mais escorregadios. Só esteja atento se o solado antiderrapante não “gruda no chão”, ao grudar pode levar a um desequilíbrio e uma possível queda.

Calçados confortáveis: estes devem ser prioridade, afinal, não adianta aquele calçado super charmoso, mas nada confortável, né?

O banheiro é um ambiente onde o número de quedas é bem elevado, pois é um ambiente mais escorregadio. O uso de calçados durante o banho não deve ser recomendado, priorize a instalação de pisos mais aderentes ou de fitas antiderrapantes nas áreas molhadas. EVITE TAPETES.

Confira abaixo algumas opções de calçados que podem ser ótimas escolhas:

Para adaptações e recomendações mais assertivas, baseadas nas necessidades da pessoa idosa, busque ajuda de um profissional especializado que já o acompanha, um Terapeuta Ocupacional ou Fisioterapeuta.

Leia mais: 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.