Perda auditiva acarreta déficit de memória

0
3773

A perda auditiva pode levar ao declínio do pensamento e da memória, em comparação com aqueles com audição normal, de acordo com um estudo publicado no JAMA Archives of Internal Medicine.

Aqueles com experiência de perda auditiva tem  30% a 40% mais perda em habilidades de pensamento em relação aos sem perda auditiva, de acordo com os resultados publicados.

A perda de audição é comum entre adultos mais velhos, afetando cerca de dois terços dos adultos  a partir dos 70, e cerca de um terço dos adultos com idade inferior a 60 anos, de acordo com o principal autor do estudo Dr. Frank R. Lin, da Universidade Johns Hopkins. Um grande número de pessoas com perda auditiva são tratadas, Lin explicou, porque associam a perda de audição com o estigma de envelhecer.

Cerca de dois anos atrás Lin e seus colegas publicaram um artigo mostrando que a perda de audição está associada a maior risco de desenvolver demência. “Felizmente, a maioria de nós nunca vai desenvolver demência, mas a maioria de nós irá experimentar algum tipo de declínio cognitivo ao longo do tempo”, explicou Lin.

Ao invés de olhar para perda auditiva e a demência, os pesquisadores estudaram pessoas com função cognitiva normal para determinar se as pessoas com perda auditiva tiveram taxas diferentes de memória e declínio do pensamento em relação às pessoas com audição normal.

Os pesquisadores estudaram cerca de 2.000 idosos inscritos em um estudo de longo prazo, que começou em 1997. Todos os indivíduos incluídos no estudo não tinham demência ou disfunção cognitiva. Cada sujeito passou por uma avaliação audiométrica realizada em cabina acústica, que Lin descreveu como “o padrão ouro” para o teste de audição. Sua memória, habilidades de pensamento e de tomada de decisão também foram testadas. Ambos os testes foram repetidos em três, cinco e seis anos, e os pesquisadores observaram declínio médio na memória e nas habilidades de pensamento, ao comparar com pessoas com audição normal.

Fonte: CNN Health

Imagem destacada: Menage a Moi

 

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.