Estimulação Cerebral Profunda no Tratamento dos estágios iniciais da doença de Parkison

0
2446

A doença de Parkinson é uma desordem  inexoravelmente progressiva do sistema motor, resultante da perda de células produtoras de dopamina, causando tremores, lentidão de movimentos, rigidez e dificuldades com o equilíbrio e andar. Isso nós já sabíamos, não é??

Uma outra coisa que também não é novidade é que a estimulação cerebral profunda (DSB) tem-se revelado benéfica nos estágios avançados do mal de Parkinson. Mas o que é novidade é o uso desse recurso nos estágios iniciais da doença.

Apesar de ser uma novidade, o estudo da Vanderbilt University Medical Center está em curso desde 2006, testando a aplicação de estimulação cerebral profunda (DBS) em fase muito precoce da doença de Parkinson.

“Não existe um tratamento que tem provado conclusivamente retardar a progressão da doença de Parkinson”, disse David Charles, MD, vice-presidente de Neurologia e um investigador principal do estudo. “DBS tem-se revelado benéfica nos estágios avançados do mal de Parkinson, e acreditamos que, se a terapia for aplicada muito cedo, pode modificar a progressão da doença e o desenvolvimento de deficiência.”

Charles disse que este estudo é único, mas é apenas para testar a tolerância do dispositivo de segurança e para coleta de informações preliminares. Assim, Charles e seu co-investigador, Pete Konrad, MD, Ph.D., professor associado de neurocirurgia, estão embarcando em um período de dois anos de planejamento para se preparar para um estudo em grande escala com representantes da Clínica de Cleveland, Ohio State University, University of Cincinnati, da Universidade Rush, da Universidade Emory, da Universidade da Califórnia-San Francisco, da Universidade de Michigan, Stanford University e University of Flórida.

“A grande questão – DBS poderia modificar a progressão da doença – não pode ser respondida até que façamos um teste em grande escala”, disse ele.

O Departamento de Neurologia prometeu $ 100.000 para o esforço de planejamento, e os pesquisadores ainda apresentaram um pedido de concessão de financiamento adicional da Medtronic, a fabricante do DBS.

“Temos trabalhado nisto há 10 anos, e temos que planejar este estudo agora para que possamos começar o projeto piloto”, disse Charles. “Se encontrarmos  algo no piloto indicando que não devemos continuar, não vamos, mas a probabilidade de que isso ocorra é baixa”

“Estima-se que 50 por cento das células produtoras de dopamina já degenerou quando um paciente vai ao médico pela primeira vez com os sintomas de Parkinson”, explicou Charles. “Então, se você tem uma terapia que retarda a progressão, você tem que dar-lhe assim que você sabe que o paciente tem Parkinson porque metade das células que você está tentando salvar já se perderam antes de fazer o diagnóstico.”

O dispositivo DBS, fabricado pela Medtronic, envolve um fio fino implantado numa zona profunda do cérebro. O fio funciona com um gerador de pulso pequeno implantada logo abaixo da clavícula, semelhante a um marcapasso cardíaco.

Por dois anos, os investigadores seguirão 30 pacientes recém-diagnosticados em estágio inicial da doença de Parkinson. Estes serão divididos em grupos que receberão o DBS e o atendimento padrão, assim poderão reunir dados preliminares necessários para a concepção de um estudo em grande escala e para garantir que o tratamento com DBS é bem tolerado quando aplicado no início do curso da doença.

Fonte: Reporter

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.