Em casa depois do AVC: estou cuidando das plantas novamente

2
3698

Muito mais que um blog, um espaço de lições que todo mundo pode ter acesso: Home After a Stroke.  Incrível, uma reabilitadora (terapeuta ocupacional) narra sua interação com a casa, e por que não dizer com a vida, depois do AVC. Divorciada, não tem filhos e nenhum parente por perto. Ou seja, tinha que ser ela para cuidar de si e da casa.

Trouxemos um dos posts do blog em que Rebecca Dutton narra sua nova forma de cuidar das plantas, mesmo com as limitações do AVC:

Quando criança eu nunca fui interessada em jardinagem. Ria da minha mãe ao vê-la conversar com as plantas. No entanto, aos 20 anos decidi plantar uma horta e descobri a magia de ver as sementes empurrando a terra e nascendo. Desde então, arrancar ervas daninhas do meu jardim durante a noite acabou se tornando uma atividade relaxante.

Agora estou feliz por ter reencontrado uma maneira de cuidar das plantas depois do meu AVC.

 

Eu uso um vaso grande onde as plantas não vão secar se eu esquecer de regá-lo todos os dias.

Na hora de plantar, um amigo coloca o vaso em um banco, ao lado da cadeira que costumo sentar para assistir o pôr do sol enquanto bebo uma xícara de café.

Na hora de plantar, eu costumava machucar a planta ao retirá-la com uma só mão da muda/solo.  Aprendi um método mais fácil e menos agressivo para as plantas: espero a terra ficar mais seca (o que pode levar alguns dias). Assim, as raízes se soltam da terra mais fácil. 

Tendo as plantas, está na hora de preparar o vaso. Encho-o com a terra apropriada até a altura adequada. Depois da terra,  eu coloco um anel de plástico (um pote que foi recortado) sobre a terra do vaso. O anel delimita o espaço que usarei para plantar, bem como serve de suporte às primeiras mudas. O anel mantém as mudas na posição que desejo. Uma vez todas as plantas posicionadas, preencho os espaços vazios com o restante da terra, tanto o espaço entre as mudas, como o espaço entre as plantas e a borda. Para finalizar, regar ajuda na distribuição da terra pelo vaso e garante que as raízes se acomodem melhor. 

Gardening # 1

(Por curiosidade, fizemos um teste e cortamos um anel de plástico – bem menor que o dela- , enfiamos na terra de um vaso e molhamos. Um espaço se forma quando retiramos o anel plástico. Essa estratégia Rebecca não usa, mas “sem querer” descobrimos. Olha só:)

20140710-085036-31836849.jpg 20140710-085037-31837588.jpg 20140710-085038-31838304.jpg

Continuando o relato de Rebecca:

Eu uso minha mão hemiplégica para segurar o regador, o que garante que ele não vai tombar enquanto o encho com a mangueira.  

Trabalhando com uma mão eu faço mais bagunça, mas eu tenho maneiras de fazê-la desaparecer, nada como uma escova macia para varrer superfícies secas e o jato de água da mangueira para lavar o jardim.

Gardening # 3a

Rebecca diz:  “Adoro sentir a terra nos dedos. E, assim mais uma vez aprendi nem todos os antidepressivos estão em forma de pílula.”

Gostaram do post de Rebecca Dunton? Vamos pesquisar mais no blog dessa moça incrível e trazer mais experiências dela para o Reab. =)

Fonte: Home After a Stroke

 

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

2 COMENTÁRIOS

  1. Olá Anas, sou psicóloga gerontóloga e trabalho com ginástica cerebral. Obrigada por contribuir com meu trabalho e inspirarr-me mais e mais. Gostaria de adquirir os cadernos, como faço? Grata, Rosalina

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.