8 dicas para uma melhor comunicação com os seus pacientes

342

Você sabia que manter uma boa comunicação entre pacientes e profissionais pode ser uma estratégia para bons resultados terapêuticos, principalmente quando os seus clientes são Pessoas Idosas com alteração cognitiva? Pois é, vou te contar aqui 8 dicas que podem te ajudar a entender mais sobre isso e colocar em prática na sua rotina de atendimentos.

1 – Seja direto:
A comunicação direta é sempre importante, e é especialmente crucial quando os pacientes estão começando sua jornada com você. Os pacientes podem estar hesitantes e não saber o que esperar da terapia. Oferecer ao seu paciente uma explicação direta e clara do que eles podem esperar das sessões pode deixá-lo à vontade e até mesmo permitir que ele aguarde suas sessões.

2 – Esteja sempre atento:
Pratique escuta ativa com seus pacientes. Dê a eles seu foco completo em vez de pensar no que você quer dizer a seguir. Esta é uma ótima maneira de construir confiança e garantir que você esteja dando aos seus pacientes o melhor suporte.

Esteja atento à situação deles também. Se eles estão passando por algo difícil, esta é uma boa informação a ser levada em consideração durante o tratamento. Uma abordagem holística pode levar o paciente a se sentir mais compreendido e confortável.

3 – Observe a linguagem corporal
Se o cliente parecer que não está entendendo você completamente, você pode esclarecer repetindo informações de uma maneira diferente ou anotando conceitos e palavras importantes para ele.

4 – Faça perguntas abertas
Fazer perguntas abertas pode ser uma oportunidade de conversar mais profundamente sobre um assunto específico e importante no processo terapêutico. Como por exemplo, “Como está sua rotina? Me fale mais sobre o seu dia!”.

5 – Evite suposições
Deixe-o livre para falar sobre os assuntos que fazem parte da terapia, evite tirar conclusões precipitadas sobre o que ele está falando e principalmente “cortar” sua fala durante os momentos de escuta. Ouça atentamente, anote os pontos mais importantes e tente fazer com que ele pense em quais seriam as melhores estratégias para melhorar aquele conflito no cotidiano.

6 – Envolva entes queridos
Manter os cuidadores e familiares informados sobre atualizações, resultados e recomendações pode ajudar o paciente a se sentir apoiado. Lidar com uma condição cognitiva pode ser muito difícil e, às vezes, os pacientes podem ficar desanimados. No entanto, o envolvimento dos entes queridos pode aumentar a motivação, ajudando os pacientes a agir de acordo com sua capacidade de agir.

7 – Resuma as informações
Quando o paciente estiver transmitindo informações ou expressando pensamentos para você, resuma o que ele está dizendo para garantir que vocês dois estejam na mesma página. Se você não tiver certeza sobre o que o paciente está expressando, peça que ele explique novamente ou de uma maneira diferente. Isso pode ajudá-lo a manter uma comunicação clara.

8 – Incentive o seu cliente a expressar os seus pensamentos e interesses
Você pode incentivar seu paciente perguntando seus pensamentos sobre o tratamento (usando perguntas abertas!). Dessa forma, eles podem se envolver na tomada de decisões para que se sintam mais capacitados em seu tratamento. Seja paciente e empático com o que eles expressam e ofereça apoio.

Por exemplo, se o seu paciente parece frustrado durante um exercício cognitivo, você pode perguntar: “Como você está se sentindo sobre isso?” ou “Qual é a parte mais difícil deste exercício para você?” A resposta deles pode lhe dar uma visão que o ajudará a tratá-los de forma ainda mais eficaz.

Leia mais sobre o assunto:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.