Yoga para pessoas com deficiência: uma excelente prática complementar

0
5434

A Yoga é capaz de promover o aumento da consciência corporal, da força e melhora a concentração. Durante a prática da Yoga também são feitos exercícios de respiração e técnicas de relaxamento que podem ser empregadas por profissionais qualificados em pessoas com deficiência e condições de saúde específicas.

De todas as referências que buscamos sobre essa prática, a que melhor mostrou como ela pode ocorrer encontramos na Spiral Movement Center que a partir da prática realizada no Canadá produziu um pequeno documentário de como ocorrem as aulas e das fases que precisam ser seguidas quando a Yoga é empregada como recurso terapêutico.

A experiência do Spiral Movement Center é realmente muito legal.  De uma forma resumida, as aulas da prática de Yoga com pessoas com deficiência e condições de saúde específicas é feita em etapas. A aula de Yoga segue a seguinte sequência:

– Conhecendo a prática. Na primeira etapa da aula os alunos veem em livros e desenham as posições de Yoga. A depender das habilidades cognitivas e motoras comprometidas essa é uma etapa que precisa de adaptações. Alguns alunos desenham facilmente as posições que serão trabalhadas na aula, enquanto outros têm bastante dificuldade nessa tarefa. A professora e seus dois ajudantes atuam como facilitadores neste processo. Alguns alunos são levados a um quadro branco onde a professora desenhou as poses com traços pontilhados; os alunos devem ligar os pontos para completar o desenho, enquanto aprendem/relembram os nomes. Essa etapa favorece a nomeação e ajuda no reconhecimento da posição do corpo no espaço.

– Começando a prática. A próxima etapa é onde os alunos começam a se apropriar do espaço para a prática da Yoga e fazem exercícios de respiração. Sempre passam por um ritual. Organizam seus colchões em círculo e começam a se apropriar do espaço e do seu lugar no grupo. A noção que estão em um grupo, que precisam estar atentos e silenciosos faz parte da orientação nesse momento. Para os exercícios de respiração usam recursos externos como penas e estratégias de grupo.

– A prática das posturas aprendidas. Sequências curtas e simples começam a ser orientadas, a depender do aluno, ocorre um trabalho em dupla para sincronização dos movimentos. Alguns alunos não conseguem trabalhar em grupo imediatamente. Se consegue interação com o facilitados, são orientados a seguir/imitar o movimento dos facilitadores, se a interação é complicada eles são levados a seguirem os desenhos da primeira etapa enquanto recebe orientação e facilitação do professor. Na sequência o professor e facilitados criam dinâmicas para trabalhar o aperfeiçoamento das posturas individualmente.  Recursos como pesos e apoios que ajudam no desenvolvimento da força, equilíbrio e consciência corporal. Os alunos são sempre requeridos a interagirem durante toda a prática, com ajuda mútua dos colegas, bem como estão sempre sendo felicitados pelos facilitadores e professor após o desempenho.

Relações com as posturas do coditiano também são feitas, vocês vão ver no fim do documentário a postura de nadar sendo mostrada.

Ao fim da aula uma dinâmica de postura em grupo é seguida de uma dinâmica de relaxamento, onde cada um relaxa e se concentra no seu próprio corpo.

Muito legal, não?? Que trabalho incrível!!

Se vocês souberem de práticas similares, comentem!! Deem a dica!

Abaixo vocês conferem imagens retiradas do documentário e o próprio vídeo em que nos baseamos para escrever esse post. =)

Captura de Tela 2014-01-31 às 16.38.22

Captura de Tela 2014-01-31 às 16.48.49 Captura de Tela 2014-01-31 às 16.49.23 Captura de Tela 2014-01-31 às 16.51.28

Vídeo do documentário:

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.