Terapia Ocupacional: Os Hábitos e a Promoção de Saúde #dicadeartigo

75

Publicado nos Annals of International Occupational Therapy | Vol. 4, No. 4, 2021 o artigo Habits and Health Promotion in Occupational Therapy: A Scoping Review nos traz alguns elementos para pensar, em especial diante das emergentes necessidades de participação social e pertencimento da população idosa, cujo o espectro funcional varia de pessoas socialmente ativas e produtivas até pessoas com doenças crônicas dependentes nas atividades diárias.

Existe uma clareza na prática profissional da Terapia Ocupacional quanto a expertise na manutenção e adaptação das ocupações para manutenção das ocupações significativas, bem como sobre o hábito como uma variável fundamental no estabelecimento de práticas de promoção de saúde e restaurativas.

O estudo do hábito de forma verticalizada é uma necessidade para o aporte teórico para compreensão e prática do profissional. O artigo citado buscou compreender como o hábito está relacionado na promoção de saúde, inclusive de Terapia Ocupacional.

A seguir, você pode conferir o resumo do artigo:

As doenças crônicas estão aumentando globalmente, significando a importância da promoção da saúde. Os terapeutas ocupacionais (TOs) podem desempenhar um papel importante na promoção da saúde, dada a sua expertise em hábitos e ambiente. Esta revisão de escopo mapeia a literatura de terapia ocupacional relacionada ao papel dos hábitos na promoção da saúde para moldar futuras pesquisas e práticas de terapia ocupacional na prevenção de doenças crônicas.

Métodos: Um método rigoroso de revisão de escopo foi usado para pesquisar seis bancos de dados – CINAHL, Web of Science, Scopus, PsychINFO, PubMed e National Rehabilitation Information Center – com termos de pesquisa relevantes. Os dados foram extraídos e categorizados iterativamente com um modelo de gráfico de dados.

Resultados: Esta scoping review incluiu 20 fontes (13 estudos empíricos, 4 revisões não empíricas, 3 estudos descritivos). Os estudos empíricos variaram amplamente em método e design. Um tema comum entre as fontes foi a experiência única dos OTs na adaptação ambiental.

Conclusão: Futuras pesquisas devem buscar validar as melhores práticas para os TOs na assistência aos clientes para estabelecer hábitos e rotinas de promoção da saúde.

Como visto, ainda temos o que caminhar no sentido da compreensão verticalizada dos caminhos da T.O na contribuição da Promoção de Saúde.

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.