Reabilitação Cognitiva das Afasias por Fernanda Papaterra Limongi

33
32308

Quem leu o post da semana passada, enviado para nós por Fernanda Papaterra Limongi, fonoaudióloga e autora dos ¨Manuais Papaterra¨, deve estar ansioso para se esbaldar com esse segundo artigo.

Aproveitem!!! Vale a pena conferir.

Com a palavra….. Fernanda Papaterra Limongi.

REABILITAÇÃO COGNITIVA DAS AFASIAS

Fernanda Papaterra Limongi

Podemos definir afasia como um déficit geral de linguagem caracterizado por um ou mais dos seguintes sintomas:

–       Distúrbios na codificação e decodificação de símbolos por meio dos canais visuais, auditivos e táteis;

–       Distúrbios nos processos centrais de significação, seleção de palavras e formulação de mensagens;

–       Distúrbios na expressão de símbolos por intermédio da comunicação oral, escrita ou gestual. (Emerick & Hatten, 1974)

Por esta definição, compreende-se que afasia não é, portanto, simplesmente uma perda de palavras. O que existe, na realidade, é uma inabilidade do paciente para trabalhar com símbolos e lidar com elementos lingüísticos.

AVALIAÇÃO DE FALA E LINGUAGEM

– Testes

– Definição da linguagem em todas as modalidades

Embora estudiosos de afasia não sejam unânimes em suas classificações dos tipos dos distúrbios afásicos, para fins didáticos, vamos reconhecer no mínimo dois grandes tipos:

– Afasias expressivas ou emissivas ou de Broca, na qual a habilidade de usar a linguagem oral e escrita é perturbada. São as chamadas afasias motoras.

-Afasias receptivas, ou de compreensão ou de Wernicke, na qual a habilidade de entender a linguagem escrita ou falada é perturbada. São as afasias ditas sensoriais.

Afasia de Wernicke

Resulta de uma lesão da porção posterior da primeira circunvolução temporal do hemisfério esquerdo.

•       “Afasia fluente “ (logorréia).

•       Dificuldade de compreensão auditiva.

•       Transtorno de expressão, sem afetar a articulação.

•       Leitura e escrita prejudicadas.

Afasia de Broca

Resulta de lesão na parte inferior da terceira circunvolução frontal do hemisfério esquerdo.

Déficits de emissão:

– articulação prejudicada,

– vocabulário restrito

– dificuldades de nomeação

– redução da gramática e da sintaxe para suas formas mais simples. – a escrita é usualmente tão prejudicada quanto a fala.

Exercícios sugeridos:

•       Julgamento de premissas verdadeiras ou falsas

•       Completar sentenças

•       Seleção de palavras dentro de um contexto

•       Uso de sinônimos e antônimos

•       Exercícios de mímica

•       Escolha de verbos

•       Reconhecimento visual

•       Associação livre

•       Agrupamento por categorias

•       Flexão de  verbos

•       Interpretação de frases e textos

•       Múltipla escolha

Outros desvios (não lingüísticos) podem acompanhar a afasia e o examinador deve estar atento a eles:

– agnosias;

– apraxias;

– perda de atenção e concentração;

– dificuldade de lidar com o abstrato;

– perseveração;

– reações catastróficas;

– iniciativa reduzida;

– egocentrismo;

– pobre habilidade de organização;

– labilidade emocional;

– outras alterações de comportamento.

“Há tantos casos de afasia quantos afásicos existirem” e classificá-los com base em tipos descritos não é possível.

PRINCIPIOS GERAIS DA TERAPIA:

Em resumo, estas são as regras básicas um bom sucesso em terapia:

– Falar simples e diretamente com o paciente, eliminando ruídos estranhos que não tenham valor comunicativo;

– Ter a certeza de que a atividade que se pede para o paciente fazer está dentro de suas capacidades atuais;

– Controlar a quantidade de material usado e fazê-lo significativo;

– Usar o principio de estimulação repetida intensivamente;

–  Avaliar a efetividade de cada procedimento, com cada paciente.

– Tratar o adulto afásico como o adulto que ele é.

TÉCNICAS E MATERIAIS PARA TRATAMENTO DAS AFASIAS

As técnicas e materiais para o tratamento das afasias devem ser adaptadas especificamente de modo a atender cada caso em particular. Uma variedade de técnicas de reabilitação têm sido descritas por diversos autores, mas só o terapeuta saberá quais e quando aplicá-las para um determinado paciente.

O fonoaudiólogo tem acesso a um conjunto de objetos, gravuras, desenhos e fotografias que servem de suporte aos exercícios de linguagem, assim como textos para leitura, listas de palavras e frases. Na elaboração deste material, o fonoaudiólogo deve estar atento ao fato de estar lidando principalmente com adultos, evitando nestes casos o uso de cartilhas ou qualquer material de natureza infantil.

OUTROS EXERCÍCIOS PRÁTICOS:

De Bono (1995) sugere exercícios que envolvem diversas habilidades de pensamento: reconhecimento, julgamento, comparação e escolha, análise, percepção, resolução de problemas, entre outras. Um baralho de cartas contendo figuras é utilizado em uma grande variedade de situações. Um exemplo interessante é o de “conceitos”. Partindo do pressuposto de que “objetos que parecem completamente diferentes podem ser agrupados por um conceito comum”, este autor apresenta oito gravuras quaisquer e solicita que sejam pareadas segundo um determinado conceito. Alguns são mais óbvios, outros exigem maior abstração. Um automóvel e um cavalo têm em comum o fato de servirem de meio de locomoção; uma galinha e um bolo são alimentos; um barco e uma torneira são relacionados com água; um olho, uma gaveta, um guarda-chuva, uma chave e uma janela, apesar de totalmente diferentes em termos de forma e função, estão relacionados com os verbos abrir e fechar.

Outro exercício utilizado por De Bono (1995) é o das possibilidades, onde o terapeuta, escolhendo uma figura sem que o paciente tenha conhecimento da mesma, relata algumas de suas características. Exemplo: “Necessita de eletricidade”. O paciente então tenta adivinhar, perguntando: “um secador de cabelos?” “Um ferro de passar?” “Um abajur?” Depois de várias tentativas, se o objeto não foi identificado, é dada outra característica, como: “utiliza rodas” ou “serve para transporte”, etc. Os conceitos vão ficando cada vez menos abrangentes até que o paciente consiga decifrar o enigma. Numa segunda etapa, os papéis são invertidos, e nesta feita cabe ao paciente seleciona as características.

No item relacionado com Julgamento, um exercício interessante é apresentado: o terapeuta propõe algumas premissas. Exemplos: “pode ser um ótimo presente de aniversário”, ou “é perigoso e requer que se utilize com cuidado”, ou “usa-se na cozinha”. As cartas contendo figuras são viradas, uma a uma, e o paciente tem que imediatamente julgar se a gravura se encaixa ou não naquela premissa. Mais uma vez, os papéis podem ser trocados, dando a vez ao paciente elaborar as premissas.

O mesmo autor também aborda o tema:  Alternativas. Há por exemplo, vários meios de se atingir um mesmo objetivo, várias rotas alternativas para se chegar de um ponto a outro da cidade. Alternativas precisam servir a um mesmo propósito. Se quero proteger os pés, um par de botas ou de tênis, chinelos ou meias são alternativas para um par de sapatos. Neste caso, rosas não são uma alternativa para os sapatos. No entanto, podemos imaginar uma circunstância onde os sapatos podem adequadamente ser substituídos pelas rosas. Que circunstância? Quando ambos se constituem alternativas para um presente de aniversário. Há, no Mind Power – Discover the Secrets of Creative Thinking, (De Bono, E., 1995) interessantes exercícios envolvendo alternativas.

Diferenças, semelhanças, comparações, escolhas, decisões, análises, são todos processos de pensamento utilizados em atividades para exercitar habilidades de lógica e raciocínio, além de estimular a linguagem.

Brubaker, S.H. (1987) têm uma série de oito workbooks cuja finalidade é prover material para estimulação cognitiva e de linguagem  em pessoas com inabilidades nestas áreas. Alguns são específicos para a reabilitação das afasias. Itens como formação de palavras (acrescentar uma, duas ou três letras, completar palavras cruzadas, juntar palavras para formar outras, inserir palavras dentro de outras, inverter letras, etc.), frases feitas e expressões idiomáticas (palavras em comum, completando frases, expandindo provérbios, completando clichês, etc.) reconhecimento visual (identificando silhuetas, letras em comum, palavras escondidas, localizando erros, etc.), soluções lógicas (múltiplos significados, características de palavras, lendo mapas, fazendo rotas, quebra-cabeças, resolvendo códigos, etc.), entre muitos outros, enriquecem uma terapia de reabilitação de afasia, tornando-a mais atraente, tanto para paciente quando para o terapeuta, além de cumprir plenamente seus objetivos.

Itens como Completar Palavras, Palavras Imbricadas, Completar expressões, sentenças, provérbios e ditos populares, estão entre os exercícios propostos por Papaterra-Limongi, F., no Manual Papaterra de Habilidades Cognitivas, volumes I e II, 1999 e 2000 e Manual Papaterra de Habilidades de Linguagem, 2001. A percepção, o reconhecimento visual, a atenção, a criatividade, o raciocínio lógico, a abstração são trabalhadas de diversas formas. As charadas e “pegadinhas” exercitam predominantemente a atenção e a lógica, emprestando um caráter lúdico e desafiador à atividade.

Exemplos de alguns exercícios:

DESENVOLVENDO UM PENSAMENTO CRIATIVO:

Instrução: As frases abaixo podem ser completadas de muitas maneiras diferentes. Escreva todas as palavras, frases ou expressões que possam lhes dar sentido. Ex:

1- Choveu tanto que ___________________________________

(Respostas possíveis: As ruas ficaram alagadas, o trânsito parou, não consegui sair de lá, as casas desabaram, apareceram goteiras, não pude chegar a tempo, desistimos da viagem, etc).

2- A música estava tão alta que ____________________________;

3- Ela anda tão esquecida que ______________________________;

Agora, vamos fazer o contrário do exercício anterior. Considerando a segunda frase, determine as frases que podem precedê-la. Ex:

1- _______________________ela faz aniversário.

(Respostas possíveis: Ele não sabe quando; Disseram que; Quero saber o dia em que; Convidaram para uma festa pois; Compraram um bolo porque; etc.

2- ______________________porque não apareceu ninguém.

3- ______________________tanto que nos comoveu.

A mesma frase pode ser completada de maneiras completamente diferentes, como têm sido ilustrado pelos exercícios anteriores. Por exemplo;

Ela ficou desapontada porque ___________________________

Pode ser completada por: não apareceu ninguém; ou a torta ficou salgada; ou ninguém reparou na sua roupa nova. Estas três frases, totalmente distintas, servem de complemento à primeira.

Este exercício requer muita imaginação. Descubra uma frase inicial que pode ser completada ao mesmo tempo pela três que se seguem:

1- __________________________(porque não tem a cabeça no lugar; pois gastou tudo na vigem; porque perdeu no bingo).

2- __________________________(porque o vizinho não agüentava mais; porque está sem tempo; pois este ano vai fazer cursinho).

3- __________________________(quantos anos ela tem; onde ela vai passar as férias; quando ela vai parar de fumar).

O PAPEL DA FAMÍLIA:

– Orientação (como falar, o que fazer, tratar como adulto)

– Carta Aberta

– Estimulação de linguagem

Ana Paula

33 COMENTÁRIOS

  1. Puxa, simplesmente brilhante o conteúdo das Afasias!!!! Tenho Papa Terra e utilizo demais nas minhas Terapias!!!!!!!! Que tal um canal semana com a super Fernanda? Obrigada.Sandra

  2. Excelente o artigo sobre Afasias ,conheço os livros Papa Terra e os utilizo que bom quando os conhecimentos são compartilhados e podem ser usados por diferentes areas cada uma com seu olhar .Grata Silvia castro

  3. Texto maravilhoso sobre as afasias….me esclareceu algumas dúvidas. Como faço pra adiquirir os manuais?! embora esteja confiante que vou ganhar no sorteio!!!!

    Bjs

  4. Oie!!!! Excelente conteúdo da afasia. Estou tentando comprar o Manual Papaterra de Habilidades de Linguagem e está esgotado em toda livraria que eu olho. Alguém pode me dar uma dica, estou em BH. Obrigada Keliane

  5. Boa Noite,
    Tenho uma fenda paralela. há meses faço tratamento e não tenho retorno significativo. gostaria de saber se tem algum livro que fale sobre o assunto, para que eu possa comprar. desde já, agradeço muito.
    Renata

  6. Sem dúvida que as dicas dadas no texto acima são interessantissimas e eu gostaria de saber como posso comprar o livro em questão, pois vivo em Portugal e não ser se será possivel enviá-lo à cobrança. No entanto acho que hà um factor essencial para que as técnicas usadas possam fazer o efeito desejado e esse chama-se AMOR.

  7. Infelizmente, os livros estão esgotados e somente podem ser adquiridos sob encomenda. Gostaria de saber a diferença entre os livros roxo, amarelo, verde, azul e vermelho. Há uma gradação de dificuldades? Já enviei diversos emails a editora e não obtive resposta. Muito obrigada Elizabeth

  8. Olá. Meu marido sofreu um avc em 2016 e esta com dificuldades na leitura e na escrita. Não encontro profissionais que trabalhem nessa dificuldade. Alguém pode me indicar?

    • Olá Luane! Não sei de onde vc é, mas em Itajaí/SC existe um projeto de Extensão na UNIVALI que presta assessoria para pessoas que sofreram AVC, tramatismos e aneurismas e que ficaram com sequelas. Geralmente sequelas de fala e compreensão chamadas de afasia. Esta assessoria se estende igualmente aos familiares. Talvez perto de sua cidade existam grupos similares. Podes acessar a pagina no facebook para obter mais informações.
      https://www.facebook.com/afasicos.rededeapoio/

  9. Gostei muito. Sou psicóloga, mas meu interesse é prático, considerando que tenho uma irmã que apresenta afasia, por sequela de AVE, fala bastante, mas algumas vezes não se faz entender. Quero adquirir os Manuais. Onde encontro?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.