Nova ferramenta molecular para o tratamento da Doença de Alzheimer

0
2693

Pesquisadores da Universidade de Michigan têm desenvolvido novas ferramentas moleculares que podem ser usadas para investigar o processo de formação de placas amilóides características da doença de Alzheimer.

Embora o mecanismo exato para a formação de placas de beta-amilóide seja desconhecido, sabe-se que os íons de cobre e zinco estão envolvidos, não só no processo de agregação, mas nos danos causados.

A partir de culturas celulares e utilizando pequenas moléculas, tem-se conseguido não só ¨quelar¨ íons metálicos, mas também interagir com as proteínas beta-amilóide. Os investigadores demonstraram que estas moléculas foram capazes de regular a agregação de beta-amilóide induzida pelo cobre, não só alterando a formação de agregados, mas também rompendo o que havia sido formado.

Com base em seu pequeno tamanho e outras propriedades, os autores pensam que estes compostos podem ser capazes de cruzar a barreira hematoencefálica.

Ana Paula Mendes

Fonte: http://www.revneurol.com/sec/RSS/noticias.php

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.