Idosos LGBTI+: livro gratuito para baixar e refletir!

0
3

A Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia – seção Rio de Janeiro, a ONG EternamenteSOU e o Centro Internacional da Longevidade, em parceria inédita, lançam o livro Introdução às velhices LGBTI+.

Um tema importante e necessário diante de uma sociedade que não apenas está envelhecendo cada vez mais, mas vem em um processo de conscientização sobre estigmas, estereótipos e discriminação. Quem se interessa por envelhecimento não pode deixar de ler esse material gratuito.

A obra reúne 19 capítulos, produzidos por 24 autores, com temas diversificados, como:

  • aspectos teórico-conceituais
  • direitos sociais e participação social
  • acesso à serviços de saúde e moradia
  • interseccionalidade entre idade, gênero e raça
  • sexualidade, sorofobia e estigma na velhice.

Produzido de forma cuidadosa – com linguagem simples e atual, mescla evidências científicas e narrativas de vida. Está voltado para o público diverso: estudantes, profissionais, gestores e sociedade como um todo.

Uma degustação do “prefácio” deixa claro a pérola que esse livro é:

São sempre os quatro “is” que comandam os ismos. Vale para sexismo, racismo, etarismo, capacitismo, “LGBTismo”.

O primeiro “i” é o da ideologia – um grupo que acha que vale mais que outro. É a mola propulsora da supremacia de qualquer natureza.

Segue-se o “i” da institucionalização – como o grupo que se acha superior operacionaliza seu preconceito, como ele é traduzido na prática. Passa a ser estrutural e estruturante.

O terceiro “i” é o intrapessoal – nas relações do dia a dia, colocando o grupo “inferior” para baixo.

E finalmente o “i” de internalizado. O grupo discriminado acaba se achando mesmo inferior. A autoestima e a autoconfiança vão aos poucos sendo minadas pela violência da discriminação, resultando em humilhação e inibindo reações pessoais ou sociais, o objetivo central de ideologias que consagram preconceitos. Afinal, o propósito é a dominação e o controle.

Eu acrescentaria um outro “i”, de inequidade – que acentua todos os demais. É mais fácil se impor como grupo “superior” quando impera a desigualdade, e quanto mais desigual uma sociedade, mais fácil se torna a tirania da discriminação. Está na raiz, a negação dos direitos, a essência do totalitarismo, seja qual for sua natureza.

O que vale para grupos, prevalece para o indivíduo. Quando uma pessoa é discriminada os “is” se manifestam ainda com mais força, ela se vê isolada, mais vulnerável, menos empoderada. […]”

Incrível, né? Então baixe gratuitamente, leia, reflita e haja!!

Faça o download gratuitamente

 

 

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.