Idoso com demência pode ajudar nas tarefas domésticas? Eis a resposta!!

1
2156
Você não tem tempo de estimular porque as tarefas domésticas ocupam muito seu tempo ou já se deparou com a situação do idoso com algum tipo de demência solicitar fazer atividades na casa e você negar?

Se você vivencia essa realidade e/ou conhece alguém que se identificaria com essa pergunta acima, fizemos um vídeo da Tv Reab para vocês!! (aproveita e se inscreve e ativa as notificações para saber quando os vídeos novos saem!)

Fazer tarefas domiciliares pode exigir e até estimular muito além do que se imagina. Como você viu (ou verá) no vídeo algumas atividades podem ser realizadas, como rotina, por idosos com demência, desde que haja supervisão, cuidado com a segurança e até ajuda em algumas etapas.

Geralmente, nos momentos dedicados à organização da casa, o idoso fica ocioso, quando poderia ser estimulado executando partes da tarefa ou até conversando sobre o que está sendo feito. Entenda aqui o conversar como frases ou até palavras ditas com contexto.

Outras três coisas importantes:

  1. A melhor orientação quanto a que tarefas e formas para estimular é dada por um profissional que olhe a situação de forma personalizada. Procure, converse e entenda o que um terapeuta ocupacional pode fazer por você (fizemos esse vídeo que pode te ajudar).
  2. Segurança é importantíssimo!!! Não deixe o idoso executar nada que pode representar uma situação de risco, onde ele pode se machucar. Atenção porque queda em idoso pode ser fatal.
  3. Não desanime!!! Tenha consciência que na demência as habilidades vão sendo perdidas. Não deixe de incentivar que ele faça ou deixe de pedir a “ajuda dele”. Se ele não consegue mais fazer o que fazia antes, talvez consiga outra coisa. Pense, tente, busque orientações sempre!! Você não imagina o quanto pode ajudar o idoso com demência a manter bem a cabeça e o corpo.

Vou deixar aqui um convite: assiste um vídeo nosso onde transformamos uma atividade diária, que é tomar um café, em um jogo! Vamos deixar o link aqui para vocês!

No mais é… vamos estimular!!

Imagem: Freepik

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

1 COMENTÁRIO

  1. Não quero criar polêmica porém, sempre me causou estranheza que a base do tratamento dos quadros demenciais estão sobre o uso de inibidores da enzima acetilcolinesterase e por algum motivo ninguem fala do principal mecanismo de lesão de toda e quaquer doença neurodegenerativa a chamada excitotoxidade glutamatérgica, bem como das modulações alostéricas que o sistema nervoso central está sob influência, das chamadas “substâncias de informação” – neuropeptídeos, neuroesteróides, aminoácidos traços e as neurotrofinas.
    Sem mais, fica a dica para discussão!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.