Diabetes: o que é, quais os sintomas?

0
2899

Faz parte da saúde a prevenção. Sendo assim, resolvemos fazer um post sobre Diabetes, uma condição que quando surge pode trazer consequências importantes para o cotidiano.

Para trazer todas as informações confiáveis, fomos pesquisar no site da Sociedade Brasileira de Diabetes. =)

O que é Diabetes??

A SDB explica que Diabetes é a elevação da Glicose no sangue: HIPERGLICEMIA. A hiperglicemia nada mais é do que o nível de glicose elevado no organismo. Mas como ele se eleva? Bem, os alimentos sofrem digestão no intestino e se transformam em açúcar, a chamada glicose que é absorvida para o sangue. A glicose no sangue é usada pelos tecidos como energia. A utilização da glicose depende da presença de insulina, uma substancia produzida nas células do pâncreas. E, quando a insulina não é produzida ou não é suficiente  acontece a hiperglicemia porque a glicose no sangue não é utilizada para seu fim.

Então, depois de entender o que é a Diabetes é preciso saber que existem  3 tipos: diabetes tipo 1, diabetes tipo 2 e diabetes gestacional.

Diabetes tipo 1 – É também conhecido como diabetes insulinodependente, diabetes infanto-juvenil e diabetes imunomediado. Neste tipo de diabetes a produção de insulina do pâncreas é insuficiente pois suas células sofrem o que chamamos de destruição autoimune. Os portadores de diabetes tipo 1 necessitam injeções diárias de insulina para manterem a glicose no sangue em valores normais. Há risco de vida se as doses de insulina não são dadas diariamente. O diabetes tipo 1 embora ocorra em qualquer idade é mais comum em crianças, adolescentes ou adultos jovens.

Diabetes tipo 2 – É também chamado de diabetes não insulinodependente ou diabetes do adulto e corresponde a 90% dos casos de diabetes. Ocorre geralmente em pessoas obesas com mais de 40 anos de idade, embora na atualidade se vê com maior freqüência em jovens , em virtude de maus hábitos alimentares, sedentarismo e stress da vida urbana Neste tipo de diabetes encontra-se a presença de insulina porém sua ação é dificultada pela obesidade, o que é conhecido como resistência insulínica, uma das causas de HIPERGLICEMIA. Por ser pouco sintomática o diabetes na maioria das vezes permanece por muitos anos sem diagnóstico e sem tratamento o que favorece a ocorrência de suas complicações no coração e no cérebro.

Diabetes Gestacional – A presença de glicose elevada no sangue durante a gravidez é denominada de Diabetes Gestacional. Geralmente a glicose no sangue se normaliza após o parto. No entanto as mulheres que apresentam ou apresentaram diabetes gestacional, possuem maior risco de desenvolverem diabetes tipo 2 tardiamente, o mesmo ocorrendo com os filhos.

Fique atento!! Quando presentes os sintomas mais comuns são:

  1. Urinar excessivamente, inclusive acordar varias vezes a noite para urinar
  2. Sede excessiva
  3. Aumento do apetite
  4. Perda de peso – Em pessoas obesas a perda de peso ocorre mesmo estando comendo de maneira excessiva
  5. Cansaço
  6. Vista embaçada ou turvação visual
  7. Infecções frequentes, sendo as mais comuns, as infecções de pele

No diabetes tipo 2 estes sintomas, quando presentes, se instalam de maneira gradativa e muitas vezes podem não ser percebidos pelas pessoas. Ao contrário no diabetes tipo 1 os sintomas se instalam rápidamente, especialmente, urinar de maneira excessiva, sede excessiva e emagrecimento. Quando o diagnostico não é feito aos primeiros sintomas os portadores de diabetes tipo 1, podem até entrarem em coma, ou seja perderem a consciência, uma situação de emergência e grave.

Quaisquer que sejam os sintomas, um médico deve ser procurado imediatamente para realização de exames que esclarecerão o diagnóstico.

O diagnóstico de diabetes é bastante simples. Procure um médico de sua confiança ou a unidade de saúde próxima a sua casa para a medida da glicose no sangue e saber se você é portador de diabetes.

fonte: SBD.

Saúde é coisa importante!! Se cuidem!!!

O exercício físico é super importante, existem fisioterapeutas que trabalham com pessoas diabéticas. Ah, também terapeutas ocupacionais que fazem palmilhas para pés diabéticos. Os reabilitadores também estão atentos e querem ajudar.

 

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.