Como funciona o Disney disability card (Cartão para crianças com deficiência)

0
3085

disney

Um cartão que visa proporcionar um ambiente inclusivo e experiências acessíveis para as pessoas com deficiência que frequentam a Disney. Essa é a ideia do Disability Access Service -DAS que está na sua versão atual, tentando trazer ainda mais conforto para os deficientes e suas famílias.

Se você tem filhos ou parentes com deficiência que já foram à Disney, eles provavelmente usaram o antigo GAC – Guest Assistance Card. Este basicamente permitia que as pessoas com deficiência tivessem acesso a uma entrada alternativa, evitando as filas. Agora o DAS vem com novas propostas tentando encurtar o tempo de espera nas atrações. Veja como:

O que é um Cartão de Assistência Acessibilidade (Disability Access Service -DAS) e como é que funciona?

O DAS cartão é projetado para acomodar hóspedes que não são capazes de esperar na fila de um ambiente convencional devido a uma deficiência. O cartão DAS é emitido no Guest Relations dos principais locais de entrada e vai oferecer aos hóspedes um tempo menor de espera para as atrações.

Trocando em miúdos, pelo o que pesquisamos em outras fontes, funciona assim: você recebe o cartão no Guest Relations e diz qual atração quer ir primeiro. O funcionário verifica o tempo de espera daquela atração, escreve o nome da mesma e o tempo de espera. Se o tempo de espera é menor que dez minutos, basta mostrar o cartão DAS e entra na fila do Fastpass ou em uma entrada alternativa, dependendo do passeio. Se o tempo de espera é maior que dez minutos, você retornará nos 10 últimos minutos de espera. Assim, se o tempo de espera é de 40 minutos, você vai dar um tempo e retornar 30 minutos depois.

Dicas:

– O Guest Relations fica mais agitado com o decorrer do dia, então é bom obtê-lo assim que puder.

– Se a pessoa com deficiência não tem resistência física para encarar as caminhadas e tempos de espera, alugue uma cadeira de rodas (ou quem sabe outro dispositivo, como uma scooter- bastante utilizada lá pelas pessoas com obesidade).

–  Carrinhos de bebês com crianças com deficiência são sinalizados com uma etiqueta vermelha. Avise aos funcionários, caso vá usar o seu para que ele possa ser sinalizado.

– Você só pode programar um passeio de cada vez. Não adianta dizer a lista dos brinquedos que quer ir. A cada atração visitada, você requer o tempo de espera da outra.

O sistema anterior permitia apenas o acesso às filas de Fastpass ou uma entrada alternativa, com o programa atual você evita as grandes esperas até nessas filas alternativas.

É importante que o responsável seja super específico sobre as necessidades da pessoa com deficiência. Com o cartão antigo, você também teria que explicar necessidades a um membro do Guest Relations. Por causa das leis de privacidade, a Disney não se pode pedir a documentação sobre a deficiência. Mas com o novo sistema, é mais importante do que nunca para o membro do equipe que está fazendo o cartão entender quais são os desafios daquela pessoa, que situações ela não pode ser submetida. Com o conhecimento sobre os brinquedos, os funcionários podem até te orientar os que não devem ser adequados.

No processo de cadastro é tirada uma foto da pessoa com deficiência ou do responsável.

Ah, e lembre-se: você ainda corre o risco de na porta de entrada da atração você escutar um sonoro “Nããão!” da pessoa com deficiência que você está levando.

No Disneyland Resort os hóspedes irão para quiosques dos Guest Relations localizados em todos os parques para receber um tempo de retorno. No Walt Disney World Resort, os hóspedes poderão ir para a atração para receber um tempo de retorno. IMPORTANTE: os titulares do cartão DAS não precisam estar presentes para receber os tempos de retorno das atrações. O responsável pode ir aos pontos pegar a informação.

Um cartão de DAS é válido por até 14 dias, mas isso pode ser modificado, dependendo do tempo que a família permaneça visitando os parques.

É este o único serviço disponível para os hóspedes com deficiência? Não. Os parques da Disney oferecem uma variedade de serviços para pessoas com deficiência, tais como dispositivo portátil da Disney que oferece audição auxiliar, legenda e audiodescrição. Além disso, a Disney desenvolveu um “Guia para hóspedes com deficiências cognitivas “. Isso serve como uma ferramenta para saber a melhor forma de experimentar seus parques temáticos.

(Você não tem a experiência com deficiência? Então pode não saber que em alguns casos, essas pessoas não conseguem lidar com longas esperas devido a percepções aguçadas e diferentes das nossas; para eles multidão é muito estímulo. Ou ainda, devido a questões físicas estar em fila pode ser desafiador para a resistência de pessoas com certas condições. Sendo assim, eles realmente precisam disso.)

Para quem tiver mais dúvidas: disability.services@disneyparks.com ou (407) 560-2547.

imagem: blog.touringplans.com

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.