Primeiro de tudo, acho válido esclarecer que você pode encontrar o termo “Tecnologia de Reabilitação” de outras maneiras, por exemplo, autores que defendem que esse termo cabe apenas para as tecnologias assistivas. No entanto, aqui tem um sentido mais amplo.

A tecnologia tem impactado o campo da saúde de várias maneiras. Os profissionais de saúde que praticavam há um século ficariam impressionados com as capacidades da tecnologia na medicina convencional e especificamente no campo da reabilitação. Este artigo explica os vários tipos de tecnologia que os terapeutas ocupacionais (TOs) podem utilizar em sua prática; descreve o contexto em que é usado e fornece uma visão geral aos estudantes de terapia ocupacional sobre o impacto que a tecnologia pode ter na funcionalidade de seus clientes.

O termo ‘tecnologia de reabilitação’ é um termo abrangente, que engloba tanto a tecnologia adaptativa quanto a assistiva. De acordo com o Occupational Therapy Practice Framework: Domain and Process (4ª ed; AOTA, 2020), os terapeutas ocupacionais são responsáveis pela seleção, posicionamento e uso de dispositivos, para aprimorar a função de um cliente nas ocupações diárias.

Tecnologia Assistiva versus Equipamento Adaptativo

Os termos tecnologias adaptativas e assistivas não devem ser usados de forma intercambiável, embora ambos permitam que uma pessoa complete suas ocupações diárias. Tecnologia assistiva é um termo amplo que inclui equipamentos adaptativos e muito mais. É toda uma gama de sistemas que podem ser hardware, software ou qualquer ferramenta que auxilie pessoas com deficiência (AOTA, 2020b). Toda tecnologia adaptativa é tecnologia assistiva, mas nem toda tecnologia assistiva é adaptativa.

O objetivo dos equipamentos adaptativos é aumentar a independência e a eficiência nas atividades diárias, o que envolve fazer uma mudança em uma tecnologia existente, daí o uso da palavra adaptativo (Salvador et al, 2016). O equipamento adaptativo ajuda as pessoas com lesões ou doenças a completar as AVDs, como tomar banho, vestir-se, alimentar-se, esfregar as costas e amarrar os sapatos. A tabela abaixo fornece exemplos de cada um.

Tecnologia Adaptativa

1. Adaptação veicular

Tecnologias adaptativas em um veículo Fonte: OT Hub

Um exemplo de tecnologia adaptativa está nas tecnologias como controles, alavancas e botões de mão, extensões de pedal que são integrados ao veículo para permitir o uso; faz a ocupação para o cliente mais fácil.

2. Dispositivos de Alerta com Indicadores Visuais

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os dispositivos se conectam a uma campainha, telefone ou alarme que emite um som alto ou luz piscando para notificar a pessoa com deficiência.

3. Tecnologia Assistiva

Bengala (A) Andador (B) Fonte: OT Hub

Bengala (A) e andador (B) melhoram a estabilidade naquelas pessoas com déficit de força ou dificuldades de equilíbrio é pobre. Ambos são tecnologias pensadas para aumentar a base de apoio do paciente.

4. Leitor de tabela

Leitor de Tela Fonte: OT Hub

O leitor de tela é uma tecnologia assistiva usada principalmente por pessoas com deficiências visuais. Isto converte texto, botões, imagens e outras telas em elementos de fala ou braile.

Tecnologia em Contexto

Os terapeutas ocupacionais usam a análise de atividades como parte do processo de terapia ocupacional, para analisar os pontos fortes e as necessidades de cada cliente em suas ocupações, ambientes e contextos desejados. Essa análise inclui o uso de tecnologia assistiva pelo cliente. Nesse caso, os TOs seguem as etapas típicas com os clientes, incluindo encaminhamento, análise de necessidades, recomendações, implementação e acompanhamento, no que se refere à tecnologia que está sendo usada (Christiansen et al., 2001).

Implicações Futuras para a Terapia Ocupacional

A demanda por serviços de reabilitação está aumentando, indicando uma necessidade contínua de tecnologias mais avançadas em todo o continuum de cuidados (Salvador e Goodrich, 2016)

Prestar serviços a clientes usando tecnologia assistiva e adaptativa é um processo colaborativo e multidisciplinar, que pode incluir consultas com outros profissionais de saúde, como educadores, fornecedores e fabricantes de dispositivos de tecnologia assistiva. Em todos os estágios do processo de tecnologia assistiva – desde a seleção da tecnologia até a implementação nas rotinas diárias – os praticantes e alunos de TO devem defender os clientes e permanecer vigilantes em sua educação continuada, para garantir os melhores resultados.

Em última análise, a coisa mais importante que um TO pode fazer para usar efetivamente a tecnologia na prática é entender as necessidades ocupacionais do cliente, o contexto e o desempenho atual, antes de implementar qualquer intervenção. Ao fazer isso, os profissionais não apenas aderem às leis estaduais de licenciamento e à ética profissional, mas também demonstram um compromisso com o serviço de TO contextualizado, culturalmente relevante e centrado na pessoa, mesmo neste tempo tecnológico em constante evolução.

 

 

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.