10 dicas para ajudar a manter sob controle o estresse do cuidador

2
5480

Não é nenhum segredo: ajudar a cuidar de um doente custa bastante do ponto de vista emocional e físico….  Vários estudos referem a alta taxa de estresse dos cuidadores, e também apontam para um outro dado preocupante: eles têm menos tempo com a família e amigos.

É fundamental primeiro cuidar de si mesmo para poder cuidar do outro. Ao não fazê-lo, o cuidador se coloca em risco de exaustão, problemas de saúde e até mesmo esgotamento total.

Abaixo estão 10 dicas vão ajudar a manter o estresse  do cuidador sob controle.

1. Coloque as suas necessidades físicas em primeiro lugar. Comer refeições nutritivas. Não se entregar ao abuso de comidas, como doces, ou abusar do álcool. Priorize seu sono, se você tem problemas para dormir à noite, tente dormir durante o dia. Agende exames médicos regulares. Encontre tempo para se exercitar, mesmo que isso signifique que você tenha que pedir a alguém para prestar cuidados enquanto você faz exercício. Se você tiver sintomas de depressão – extrema tristeza, dificuldade de concentração, apatia, desesperança, pensamentos sobre a morte – converse com um médico.

2. Conecte-se com amigos. Isolamento aumenta o estresse. Reunindo-se regularmente com os amigos e parentes você conversa sobre seus problemas, mas também se diverte.

3. Peça ajuda. Faça uma lista de coisas que você tem que fazer e recrute outras pessoas para dividir as tarefas com você. Mesmo os parentes distantes e amigos podem gerenciar e ajudar com determinadas tarefas.

4. Procure recursos na sua comunidade. Considere procurar prestadores de serviços para ajudar em tarefas como o reparo da casa e outras tarefas que não estejam relacionadas com a prestação de cuidados.

5. Faça uma pausa. Você merece. Além disso, o membro da família doente pode se beneficiar da companhia de outras pessoas durante seu descanso. Centros-dia para adultos pode ser uma solução para seu descanso. Normalmente, esses centros operam cinco dias por semana, prestam cuidados em um ambiente de grupo para as pessoas idosas que necessitam de supervisão.

6. Lide com seus sentimentos. Seus sentimentos interferem até no seu bem-estar físico. Compartilhe seus sentimentos de frustração com a família e com amigos. Buscar o apoio dos colegas que estão em situação similar a sua. Procure grupos de terapia ou um profissional de Psicologia para que você faça terapia individual.

7. Encontre tempo para relaxar. Fazer algo que você goste, como ler, caminhar ou ouvir música, pode recarregar suas baterias. Alguns cuidadores usam técnicas de relaxamento, como respiração profunda ou visualizar um lugar ou algo positivo. Se você é religioso, pode achar na oração uma ferramenta poderosa.

8. Organize-se. Ferramentas simples, como calendários e listas de afazeres pode ajudá-lo a priorizar suas responsabilidades. Sempre enfrentar as tarefas mais importantes em primeiro lugar, e não se preocupe se você não conseguir dar conta de tudo.

9. Aprenda a dizer “não”. Aceite o fato de que você não pode fazer tudo! Resista à tentação de se envolver em mais atividades, projetos ou obrigações que você não consegue dar conta sem mais estresse. Se alguém lhe pedir para fazer algo que vai lhe custar tempo e bem-estar, explique honestamente porque você não pode – e não se sinta culpado.

10. Permaneça positivo. Faça o seu melhor para evitar a negatividade. Realizar uma reunião de família ou  qualquer outra coisa que lhe faça bem . Concentre-se sempre nas recompensas de cuidar de alguém que você ama.

________________________

Gostou do post? Clica no botão do Google Plus (Google +1)  aí embaixo e avisa ao google que esse post é de qualidade!! Assim você estará nos qualificando e garantindo ainda mais qualidade no site.

Vamos ganhar esse clique valioso?? Obg!! =)

Ah, para os fãs de Facebook que querem espalhar o post “por aí” é só clicar e compartilhar! 

_____________________

Fonte: aarp.org
Imagem: steam_rocket
Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

2 COMENTÁRIOS

  1. Colocar musicas dançante, beijar abraçar muito, fazer gestos que ele entenda,”teatrinho” mostrar figuras de revistas, ligar televisão em desenhos animados, dançar pra eles verem, de acordo com os estágios funciona bastante colocar pequenas tarefas pra eles fazerem, como uma vasilha de pregadores, pequenas peças de roupas para eles dobrarem, cada um conhece o seu paciente e sabe como lidar com ele, e do que eles gostavam de fazer

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.