Móbiles de berço: como usá-los para beneficiar o desenvolvimento dos bebês

2
14701

Móbiles de berço são itens frequentes e, por que não dizer, sempre presentes nos quartos dos bebês. Cores, texturas, diferentes materiais e temas fazem desse “acessório” um item não só de decoração, mas funcional para o bebê. À princípio, você deve logo ter pensado nas informações visuais que existem com as cores e movimentos do móbile, mas outros estímulos podem existir e muito mais que a visão é estimulada. Destacamos aqui algumas questões sobre os benefícios dos móbiles e até como otimizar seu uso ao longo do desenvolvimento da criança e também quando dentro de uma fase de desenvolvimento há a adaptação do bebê àquele estímulo.

Vamos começar falando da estimulação visual, um dos principais objetivos desse acessório. Sabe-se que a visão de um bebê vai terminando de se desenvolver e as variáveis de nitidez, contraste e percepção de cores vão se aprimorando. Quando pensamos em um recém-nascido você deve dá preferência a contornos pronunciados, com forte contraste claro-escuro. Ou seja, capriche no preto e branco!! Para quem já tem ou teve seu móbile pode ter se deparado com detalhes assim e agora sabe o motivo. À medida que os meses vão passando há um sensível progresso na percepção das cores, contraste e nitidez. As imagens já não são tão desfocadas. Sendo assim, o percepção visual já é maior e o interesse por cores vivas e contrastantes também. Ou seja, nos meses subsequentes os detalhes daquele móbile lindo, colorido e… cheio de estímulo começam a ser percebidos. Sendo assim, nada de tirá-lo do berço tão rápido!

Que as habilidades visuais são estimuladas, todos imaginam, mas nem todos lembram da estimulação motora (física) que um móbile pode fornecer. Essa estimulação também é proporcional ao desenvolvimento do bebê, primeiro os estímulos são seguidos pelos olhos e com o passar do tempo já estimulam movimentos que traduzem bem o interesse da criança. Mais na frente vem a busca pelo objeto de desejo. Um móbile com movimento (pode ser um movimento simples dado pelo toque do bebê) alinhado na linha média é um estímulo a elevar os braços, buscar a coordenação e o movimento. Estude a posição do móbile do bebê no berço e a altura que ele fica. Estimular a ação que é o toque e a reação que é o movimento do móbile é bem interessante para os pequenos, bem como promover a busca pela linha média (se você se perguntar por que basta lembrar que a minha média está na nossa vida em alguns detalhes, como o prato de comida e a posição que o relógio de pulso fica quando buscamos conferir as horas).

Muitos pais optam por móbiles que incluem estimulação auditiva e sim, as músicas e sons podem ser muito relaxantes para os bebês. Alguns móbiles tem mais de uma opção de som, ótimo! Você só precisa saber escolher o som certo para o seu objetivo. Uma música animada e alta não se enquadram se o objetivo é relaxar, concordam?  Nessas horas, nada como uma canção de ninar! Nas entrelinhas de escutar a música do móbile está também a percepção do som e até a busca da fonte sonora, outros estímulos ricos para o bebê.

Dessa forma, percebemos que o móbile é um excelente estímulo para o desenvolvimento neuropsicomotor dos pequenos, onde a interação com os sons, cores, formas e texturas (essas últimas quando eles interagem por meio do toque) proporcionam a construção de percepções auditivas, visuais e táteis.

No entanto, ficou claro que os bebês crescem e suas habilidades vão ficando mais refinadas, ou seja, está aí a hora que temos que parar para pensar… “Será que aquele móbile que está pendurado ao longo dos meses no berço do bebê, ainda traz tantos benefícios para o desenvolvimento, ainda o está estimulando?

O ambiente e as interações da criança com o que está ao seu redor constroem diversas possibilidades de aprendizagem.  Estudos comprovam que a criança que está envolvida em momentos de estímulos, terão um desenvolvimento cognitivo e social muito mais eficaz do que crianças que não vivenciam momentos de interação e aprendizagem. Pensando no móbile como um dos inúmeros recursos para o desenvolvimento da criança, que tal pensar em trocar os móbiles de forma, lugar e conteúdo?

Sugestões…

– Mude o móbile de posição

– Mude os estímulos do móbile: varie entre os estímulos auditivos, visuais e táteis

– Crie móbiles com os objetos que a criança mais gosta (e que são adequadas a sua fase de desenvolvimento)

– Estimule a interação com o brinquedo

– Use móbiles em outros ambientes, que não sejam só o berço. Essa estratégia te dará outras oportunidades de interação da criança com o móbile, pois o bebê pode estar em outra posição e o móbile também!

– Participe também desse momento de interação da criança

Separamos algumas imagens de móbiles, olha só:

Móbile de Munari. Esse móbile é confeccionado pelos próprios pais e faz parte de uma sequência de móbiles que o Método Montessoriano propõe. Este móbile ilustra bem os primeiros estímulos que o recém-nascido percebe. imagem: lejardindekiran.com

Mobiles de cores e formas. O móbile do exemplo abaixo é comercializado no Amazon.com (referência: Manhattan Toy Wimmer da Ferguson Infant Stim) e traz informações visuais de cores e contrastes, além de ser um móbile que se movimenta (não sozinho, tá?). fonte da imagem: divulgação

mobile 2

Móbiles com cores, texturas e sons. Esse exemplo de móbile temático ilustra bem os móbiles comerciais que encontramos hoje, cheios de cores e estímulos que podem (e devem!) ser alternados pelos pais à medida que os meses forem passando.  Também um móbile vendido na Amazon, mas que já se encontra facilmente no Brasil (marca: Fisher Price). fonte da imagem: divulgação

fisher

Autoria:

Ana Leite

e

Michelle Costa Soares
Psicopedagoga Clínica e Institucional
Professora da disciplina Educação Especial – UNEB/PARFOR
michelleterapiadecrianca@gmail.com
Ilhéus- Ba
Instagram: @michelleterapiadecriança
 
 
Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

2 COMENTÁRIOS

  1. Há alguma relação do uso móbiles com a concentração dos bebês? Mas precisamente na situação emocional de agitação ou tranquilidade dos pequenos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.