6 dispositivos para melhorar a vida de pessoas com demência

2
8121

As tecnologias assistivas (TA) são equipamentos de alto ou baixo custo que ajudam pessoas com disfunções a serem mais independentes e funcionais no dia-a-dia. Os óculos são um exemplo de TA, assim como a cadeira de rodas e até as adaptações do ambiente, como o corrimão e a rampa. Ou seja, pessoas com mais diferentes perfis funcionais podem se beneficiar do uso das TA.

E as pessoas com demência? Quais as tecnologias que existem e que podem ajudá-las? O site  Mashable publicou 6 dispositivos de TA que podem melhorar a qualidade de vida de pessoas com demência e de seus familiares. Vamos conhecê-los?

1. Relógios com data e hora digitais

https://twitter.com/steesdementia/status/335038310860873728/photo/1?ref_src=twsrc%5Etfw

Com a progressão dos sintomas, as pessoas com demência têm dificuldade de manter a noção do tempo. Habilidade importante não apenas para a manutenção da rotina e como também no  alívio de sentimentos de ansiedade. Relógios analógicos podem ser difíceis de decifrar para aqueles que vivem com demência. Relógios digitais com fontes grandes para informação da hora e de data são mais fáceis de ler e ajudam a orientar quanto o tempo. Opções alternativas, como relógios que mostram o dia da semana, se é manhã, tarde ou noite, também são excelentes dispositivos já que fornecem mais informações, levando a mais conforto.

Fizemos um post sobre tipos de relógio para doença de Alzheimer que você lê clicando aqui.

2. Luzes com sensor de movimento

Luzes com sensor de movimento são comumente usados ​​em ambientes de escritório ou ambientes públicos, como corredores de prédios para ajudar a conservar energia. No caso das pessoas com demência, esses dispositivos podem eliminar a necessidade do uso de interruptores de luz, o que pode se tornar uma tarefa desafiadora.

Estes tipos de luzes são especialmente úteis à noite, diminuindo a chance de queda – uma preocupação comum com as pessoas com demência – iluminando o quarto e ajudando quando é a pessoa “esquece das luzes” e sua função. É importante notar que para alguns que vivem com demência, luzes automáticas podem ser alarmantes – por isso certifique-se que não é assustador para a pessoa com demência antes de implementar esse dispositivo na sua casa.

3. Utensílios adaptados 

Fizemos um post sobre o aparelho de jantar Eatwell-Mashable que foi idealizado especialmente para pessoas com doença de Alzheimer.

Devido às deficiências cognitivas e sensoriais associados à doença de Alzheimer, as pessoas que vivem com a doença comumente derramam seus alimentos e ficam confusas com os padrões e características das louças, assim comem menos do que deveriam e ficam frustrados. O aparelho de jantar Eatwell, criado pelo designer industrial Sha Yao, pode ajudar a reduzir essas frustrações, os pratos são inclinados, as cores pensadas para estimular o apetite e os todos os utensílios foram projetados com detalhes meticulosos e atenção integral.

Para ver mais detalhes clique aqui no nosso post ou vá direto ao site do produto.

4. Etiquetas

Nem são apenas os produtos de alta tecnologia e fabricados que podem ajudar a funcionalidade das pessoas com demência. Soluções de baixa tecnologia como um pedaço de papel e um marcador podem ter um impacto positivo. Rotular os ambientes e os itens comumente usados ​​em casa pode ajudar uma pessoa que vive com demência ter mais clareza e função nos ambientes e tarefas do dia-a-dia.

Etiquetas escritas ou mesmo imagens simples de itens, como do banheiro, podem ajudar as pessoas com demência a saber o que esperar em determinados espaços da casa, fazendo da independência um desafio menor.

5. Sensores de movimento e esteiras de pressão

https://twitter.com/Qualcomm_BR/status/514898542146879488/photo/1?ref_src=twsrc%5Etfw

Talvez um dos sintomas mais assustadores de demência é a tendência de perambular. Os cuidadores têm muitas vezes a difícil tarefa de manter o controle de um ente querido que pode querer sair para andar fora de casa sem aviso prévio, o que pode ser um perigo, especialmente à noite.

Um inventor de 15 anos de idade, Kenneth Shinozuka, ganhou atenção no ano passado pela criação de meias com sensores integrados, que enviam um aviso a um cuidador por meio de um aplicativo quando a pessoa se levanta de repente e inesperadamente. Outra tecnologia sensível a pressão, como esteiras, podem ser colocadas sobre no chão, alertando o cuidador quando a pessoa se levanta da cama ou dá passos sobre o tapete.

6. Rastreamento GPS

https://twitter.com/gWIZ/status/585421054044151808/photo/1

Provavelmente, você usa GPS para navegar em lugares desconhecidos com o seu carro, tornando a condução em qualquer lugar uma experiência segura. Mas os sistemas de GPS não têm valor apenas como um mapa de alta tecnologia, eles também podem ajudá-lo a encontrar a pessoa com demência, caso ela já tenha se afastado sem o seu conhecimento.

Há muitas opções para o acompanhamento com um GPS, incluindo pingentes, como MindMe que também estão equipados com um botão de alerta de emergência, e sapatos com sola “inteligentes” que identificam a localização através de um aplicativo. Quando combinado com a tecnologia de sensor, a realidade de que a pessoa pode vaguear para fora de casa parece muito mais gerenciável com esses dispositivos.

É importantíssimo dizer que é necessário um profissional para a avaliação, seleção e aquisição de Tecnologias Assistivas. Assim, você não corre o risco de fazer compras em vão ou de não utilizar os dispositivos da melhor forma. Fiquem alertas, certo?? Outra coisa, busquem as Associações mais perto de você para se informar não apenas de tratamentos, mas para buscar apoio. Aqui está o link da Associação Brasileira de Alzheimer (ABRAZ), dá uma olhada! 

 

Veja também:

Adaptando o ambiente de pessoas com Alzheimer: estímulos na medida certa

Guia destaca maneiras de aumentar a utilização de ambientes sensoriais no cuidado de pessoas com Demência

Manuais gratuitos para cuidadores de Alzheimer. Baixe aqui!

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

2 COMENTÁRIOS

  1. Gostaria de saber como adquirir pingente com rastreador GPS. Li acima sobre um tal de MINME, mas não encontrei na internet. Preciso para familiar com alzheimer. Você pode me indicar?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.