Genes envolvidos no TDAH

0
3330

Um novo estudo publicado na revista Science identificou genes envolvidos no déficit de atenção e hiperatividade ou TDAH, e mostra que essa condição partilha alguns genes e caminhos neurais com outras perturbações do desenvolvimento neurológico, como o Autismo.

Os resultados, de acordo com pesquisadores do Hospital Infantil de Toronto (Canadá), ajudam a explicar porque as pessoas com déficit de atenção e hiperatividade freqüentemente apresentam sintomas associados a outras perturbações do desenvolvimento neurológico.

Embora se saiba que o déficit atenção e hiperatividade é hereditário, ainda não se tinha determinado os genes específicos e vias moleculares envolvidas. Anat Lionel e seus colegas analisaram as mudanças no DNA de mais de 200 crianças com transtorno de déficit de atenção hiperatividade, assim como muitos de seus pais, para obter cópias adicionais ou alterações dos seus genes.

No estudo encontraram cópias adicionais ou supressões em genes herdados, ou seja, os genes conhecidos como associados com a atenção e hiperatividade, mas também encontraram outros genes. Curiosamente, algumas mutações também foram encontradas, como nos genes envolvidos em outros transtornos, como o Autismo, Transtorno Bipolar, Retardo Mental e Esquizofrenia.

Os pesquisadores também procuraram possíveis genes que podem representar maior risco de uma desordem do desenvolvimento neurológico, por isso, eles examinaram as cópias adicionais dos genes em um grupo de pacientes com Autismo. Em quatro deles (com Autismo) e em dois pacientes com déficit de atenção e hiperatividade, Lionel e seus colegas descobriram um conjunto de variação do número de cópia no cromossomo anormal 9 e cerca de dois genes: ASTN2, um gene necessário para o desenvolvimento do cérebro mamíferos, e TRIM32, um gene associado com o sistema nervoso.

Acredita-se que essa região no cromossomo 9 é também o lar de variações do número de cópias associados com Transtorno Bipolar, Retardo Mental e Esquizofrenia.

No geral, os autores encontraram variações no número de cópias em áreas de cromossomos que tinha sido anteriormente associados com ADHD ou outras perturbações do desenvolvimento neurológico em 8% das pessoas com TDAH estudadas.

Fonte: ABC Salud

Foto: suttonhoo

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.