No final do primeiro episódio da série “Diagnóstico” que está disponível na Netflix eu me arrepiava ao escutar as demandas de vida que a garota sem diagnóstico tinha e ao final chorei de emoção (não contarei o fim, juro!). Prometo não dar spoiler, mas não vou economizar na hora de recomendar que nós profissionais de saúde vejamos essa série para “refrescar” nossas memórias sobre a responsabilidade que temos com as pessoas que depositam em nós suas expectativas e vidas, suas chances e sua vontade de continuar participando do mundo. “Vestir a camisa” de um paciente, de uma família, estar com eles buscando um caminho e procurando compreender suas dores (físicas e emocionais) é o que nos comprometemos a fazer na hora que escolhemos nosso caminho profissional.

Nesta série, com a ajuda do público da internet, a doutora Lisa Sanders busca diagnósticos para doenças misteriosas nessa série baseada em sua coluna no jornal The New York Times. E veja que fantástico: trocando informações através da internet ela gera investigação e uma rede de ajuda ao diagnóstico! Fantástico! Assista o Trailer abaixo:

Mas para nós, terapeutas, essa série pode nos lembrar do nosso importante papel diante o desejo de funcionalidade e inclusão. A perspectiva que as pessoas (mesmo as sem diagnóstico!) querem viver, participar, se sentirem incluídas. E temos como reabilitadores tantas ferramentas para isso, não é? Como terapeuta ocupacional fico imaginando como poderia ser importante o trabalho da reabilitação nesses contextos.

Eu ainda vou começar o segundo episódio, mas já no primeiro pude perceber (mais uma vez!!) o quanto é fundamental para a felicidade das pessoas poder se envolver em suas vidas, em suas ocupações. Elas querem um diagnóstico porque precisam retomar suas vidas onde acontecem os seus papéis de mãe, de filha… , vida onde acontece suas atividades, suas relações…. 💜

Gostou da dica? Tem outras sugestões? Escreve aqui nos comentários!

Viu que falamos sobre a Terapia Ocupacional? Já conhece essa profissão? Se ainda não conhece, vai assistir nosso vídeo falando um pouco sobre o que é… Ah! Você já sabe? Indica esse vídeo para um amigo que gostaria de conhecer mais sobre o universo que é a Terapia Ocupacional!

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Mais e quase tudo sobre minha história: Ana Leite, formada em Terapia Ocupacional na Universidade Federal de Pernambuco (Brasil). Minha experiência clínica como terapeuta é com a pessoa adulta e idosa com disfunção cognitiva que apresenta dificuldades na realização de suas atividades cotidianas. O processo de tratamento dos meus pacientes sempre envolveu intervenções que visavam a maior participação possível em atividades cotidianas significativas. As ferramentas utilizadas nesse processo incluíam orientações sobre adaptação do ambiente e da tarefa a ser realizada, organização de rotina e estimulação/reabilitação cognitiva. Tenho especialização em Tecnologia Assistiva, onde me instrumentalizei sobre o uso equipamentos e dispositivos que podem aumentar/permitir a funcionalidade. Fiz mestrado em Design, na linha de pesquisa de Ergonomia. Participei do desenvolvimento e validação de uma metodologia de avaliação do ambiente construído (MEAC). Na minha pesquisa estudei as variáveis arquitetônicas do ambiente moradia das pessoas idosas que residiam em ILPI (Instituição de Longa Permanência para Idosos). Nesse processo pude acrescentar ao conhecimentos da Terapia Ocupacional esse olhar mais aprofundado sobre o ambiente de moradia. Assim, compreendendo melhor qual o impacto que o ambiente físico/construído possui no funcionamento diário das pessoas idosas. Sou criadora da primeira marca digital, em língua portuguesa, dedicada a produção/divulgação de conteúdo especializado no contexto de reabilitação, reab.me. Produzo conteúdos textuais e audiovisuais através da curadoria de revistas científicas e outras referências técnicas; edito conteúdos de colaboradores, profissionais de reabilitação, de diversas áreas, que escrevem para o reab. Além de assuntos técnicos, escrevo sobre questões relacionadas à saúde mental dos terapeutas, tendo em vista a crescente necessidade de falar de autocuidado e bem estar para os profissionais de saúde. Tema que tem surgido de forma crescente e preocupante nos bastidores de prática clínica e até em pesquisas. O reab.me edita, produz e distribui em loja digital própria (que vocês encontram aqui no site!), produtos para serem usados por profissionais, cuidadores formais e familiares no processo do cuidar. Os produtos desenvolvidos contam com outros profissionais que opinando, através dos seus conhecimentos específicos, e testando contribuem na co-criação desses produtos. Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.