Problemas financeiros e a doença de Alzheimer

0
4282

Um dos problemas enfrentados pelas pessoas com doença de Alzheimer é o controle de suas finanças. Saiba como identificá-los, quais medidas tomar e como proteger os seus entes queridos de se tornarem vítimas de fraudes e abusos financeiros.

Logo no início da doença, a pessoa pode conseguir executar tarefas básicas, como por exemplo,  pagamento de contas. Neste período já é possível existir dificuldades nas tarefas mais complexas, como administrar os gastos pagos com talão de cheques, cartões de crédito e efetuar transações bancárias. À medida que a doença piora, o portador da doença de Alzheimer já começa a perceber essas dificuldades e tenta esconder os problemas financeiros para proteger a sua independência, ou até mesmo, pode não perceber que está perdendo a capacidade de lidar com essas questões e acumula dívidas e se tornam mais expostos a fraudes.

Como perceber que um ente querido está enfrentando esses problemas? Existem sinais?

Sim, esses sinais existem e separamos alguns deles para que vocês possam idetificá-los com mais facilidade:

– Dificuldade em pagar contas que antes eram pagas com facilidade (pedir ajuda para tarefas que antes eram feitas por ela no cotidiano sem dificuldades).

– Dificuldade no preenchimento de cheques (inclusive na correspondência do valor escrito com o da compra efetivada).

– Dificuldade na compreensão do extrato bancário (solicitar ajuda para interpretação dos dados do extrato).

– Demonstrar apreensão ou medo quando entrar em assuntos financeiros.

– Envelopes de contas a pagar que já passaram do prazo e ainda nem foram abertas, é comum o acúmulo de cartas e contas.

– Observar na fatura de cartão de crédito se existem compras significativas de produtos e em locais incomuns, inclusive o excesso dessas compras.

– Ausência de dinheiro na conta bancária ou poupança.

– Envolvimento em dívidas em cheque especial ou nas faturas dos cartões.

Na presença desses sinais que medidas devem ser tomadas? 

– Tentar explicar com calma e segurança para a pessoa que ela precisa de ajuda no controle das finanças. Este é o momento mais delicado e exige participação e compreensão de todos os familiares e amigos próximos.

– Algum membro da família ou amigo próximo deve começar a ser responsável por acompanhar e a depender do caso até assumir as finanças da pessoa com Alzheimer. Essa pessoa deve ser escolhida por toda a família, e obviamente ser uma pessoa de extrema confiança.

– Diminuir  limite do cartão de crédito e em alguns casos até mesmo cancelas esses cartões e talões de cheque.

– Caso a pessoa esteja em um nível avançado da doença e mesmo com as opções acima citadas continuar a apresentar problemas financeiros, é necessário haver medidas legais de transferência de autoridade financeira, a pessoa passará a não responder mais por ela legalmente e deverá ter um tutor, um representante legal e esse acordo deve ser feito através de um advogado. De preferência essa medida deve ser tomada enquanto a pessoa com Alzheimer ainda puder compreender e autorizar o acordo. Esse é mais um momento delicado e precisa da ajuda de toda família e inclusive um apoio psicológico.

Proteção contra o abuso e fraude financeira 

É comum pessoas com Alzheimer se tornarem vítimas de golpes financeiros e infelizmente muitas vezes essas situações podem ser geradas por pessoas próximas (amigos ou familiares). Quais situações devem ser observadas?

– Roubo/desaparecimento de documentos (RG, CPF), cartões de crédito e talões de cheque.

– Assinatura dos cheques e de prováveis contratos e documentos, como por exemplo, testamento, procuração, ação para adesão de um indivíduo em conta conjunta (as assinaturas podem ser assinaturas falsas, ou a pessoa pode ter assinado os documentos sem saber do que se tratavam).

– Ofertas de enriquecimento rápido.

– Ofertas de empréstimo para pessoas de terceira idade.

– Adesão a programas de profissionais sem qualificação que prometem recuperação da memória.

– Venda repentina de casa ou carros sem a pessoa ter demonstrado antecipadamente vontade de vende-los.

– Ausência de coisas que pertencem a família ou a pessoa com Alzheimer (jóias, roupas e quaisquer outros objetos de valor).

Se você perceber que a pessoa foi vítima de algum golpe entrar imediatamente em contato com a polícia local.

É muito triste imaginar que alguém pode se aproveitar de uma pessoa que está doente para aplicar golpes e tirar dela vantagens financeiras, mas infelizmente é uma situação comum e por isso precisamos estar conscientes e em estado de alerta.

Essas informações foram coletadas do National Institute on AgingEsse centro oferece informações e publicações para as famílias, cuidadores e profissionais sobre a doença de Alzheimer e outras alterações cognitivas relacionadas com a idade.

imagem: StockMonkeys.com’

 

Veja também:

Aplicativo com memórias para ajudar pessoas com demência e seus familiares

Por que pessoas com demência fazem perguntas repetitivas? Como agir nestas situações?

Guia destaca maneiras de aumentar a utilização de ambientes sensoriais no cuidado de pessoas com Demência

 

Conheça nossos cadernos de exercícios para estimulação cognitiva!!

cadernos

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.