Pesquisa mostra relação de acidentes de trânsito e TDAH

4212

 

Será que é perigoso pessoas com TDAH dirigirem? E esse risco, caso de fato exista, é influenciado pelo uso de medicações? Bem, essas são perguntas que guiaram o estudo publicado no JAMA Psychiatry – Journal of the American Medical Association – Psychiatry.

Segundo o trabalho, é fato que existe associação da desordem de atenção (TDAH ) com acidentes de trânsito, mas isto não queria dizer ainda muita coisa, já que a magnitude desta associação ainda não estava clara. Bem como, se a medicação para TDAH também de fato chegaria reduzir esse risco.

Para chegar a resultados, 17 408 pessoas foram observadas a partir de 1 de janeiro de 2006 até 31 de dezembro de 2009, todos envolvidos em graves acidentes de trânsito documentados nos registos nacionais suecos.

Como resultado da pesquisa, encontrou-se que o TDAH está sim associado a um aumento do risco de acidentes de trânsito graves, e a medicação pode reduzir significativamente o risco de acidentes de trânsito quase à metade, pelo menos entre os pacientes do sexo masculino. Quanto às mulheres, os pesquisadores não encontraram dados estatisticamente significativos.

A pesquisa concluiu que os homens com TDAH são 45% mais propensos a sofrer acidentes de trânsito, devido à falta de atenção e à impulsividade, em comparação com os homens que não sofrem deste transtorno. Cerca de 41% dos acidentes que envolveram homens com TDAH poderiam ter sido evitados se estes tivessem tomado a medicação durante todo o período de acompanhamento da pesquisa.

De toda forma, o estudo alertou os médicos quanto a necessidade de advertir os pacientes com TDAH para o risco de acidentes de trânsito e os benefícios potenciais da medicação. Espera-se assim,  levar uma maior sensibilização aos médicos e pacientes quanto a associação entre a graves acidentes de trânsito e medicamentos TDAH.

Ah, é válido dizer que não houve financiamento de empresas farmacêuticas para esta pesquisa! =)

fonte: JAMA imagem: State Farm 

 

Artigo anteriorCampanha por um Doodle no Dia Mundial de Conscientização do Autismo
Próximo artigoFormas inusitadas de pintar para trabalhar coordenação fina
Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.