Doença de Parkinson: definição, sintomas e tratamento

0
4354

A doença de Parkinson  (DP) foi descrita pela primeira vez, em 1817, por James Parkinson, em um trabalho denominado “An Essay on the Shaking Palsy”. O nome “Parkinson” foi sugerido por Jean-Martin Charcot, neurologista francês, como homenagem a James Parkinson. E assim, “nasceu” o que hoje conhecemos como DP.

Como a DP se instala? 

Embora ainda não se saiba a causa exata da DP  (o termo científico neste caso é causa idiopática), sabe-se que ela leva a morte celular dos neurônios produtores de dopamina. A dopamina é precursora da adrenalina e da noradrenalina que possuem função estimulante do Sistema Nervoso Central. Para que você entenda como é importante, abaixo estão listadas algumas funções da dopamina:

  • movimento
  • memória
  • comportamento e cognição (atenção)
  • sono
  • humor
  • aprendizagem

Sendo assim, quando as células nervosas do cérebro que produzem dopamina são destruídas lentamente, isso prejudica todas as funções pelas quais é responsável.

O local primordial de degeneração celular na DP é na substância negra, presente na base do mesencéfalo.

Quais os sintomas?

A DP é caracterizada pela combinação de três sinais clássicos: tremor de repouso, bradicinesia e rigidez.

 Tremor de Repouso: é o tremor que tende a ser mais forte quando o membro está em descanso, ou seja, com a mão parada, esteja ela envolvida ou não em alguma atividade, como ao segurar objetos. Os tremores podem ser mais amplos em períodos estressantes.

Como é mais forte em repouso, o tremor na DP torna-se menos notável em movimentos mais amplos. Ou seja, durante a execução de movimentos é mais difícil de notá-lo.

Os tremores se iniciam, geralmente, em uma mão, depois na perna do mesmo lado e depois nos outros membros.

Bradicinesia: é a lentidão dos movimentos. (Quer ler mais? clica aqui).

Além disso, o paciente pode apresentar também: acinesia, micrografia, expressões como máscara, instabilidade postural, alterações na marcha e postura encurvada para a frente. O sintoma mais importante a ser observado é a bradicinesia.

Os sintomas incluem:

  • Diminuição ou desaparecimento de movimentos automáticos (como piscar).
  • Constipação.
  • Dificuldade de deglutição.
  • Sialorréia ou salivação.
  • Equilíbrio e caminhar comprometidos.
  • Falta de expressão no rosto (aparência de máscara).
  • Dores musculares (mialgia)
  • Problemas de movimentação
    • Dificuldade para começar ou continuar o movimento, como começar a caminhar ou se levantar de uma cadeira.
    • Perda da motricidade fina (a letra pode ficar pequena e difícil de ler, e comer pode se tornar mais difícil).
    • Dificuldade na marcha.
    • Movimentos diminuídos.
  • Músculos rígidos (frequentemente começando nas pernas).
  • Tremores
    • Tremores que acontecem nos membros em repouso ou ao erguer o braço ou a perna
    • Tremores que desaparecem durante o movimento
    • Com o tempo, o tremor pode ser visto na cabeça, nos lábios e nos pés
    • Pode piorar com o cansaço, excitação ou estresse
    • Roçamento dos dedos indicador e polegar (como o movimento de contar dinheiro) pode estar presente
  • Voz “para dentro”, mais baixa e monótona.
  • Posição inclinada.

O início da DP é geralmente após os 50 anos de idade.

Não é considerada uma simples entidade, mas um complexo de sintomas, caracterizados por uma síndrome parkinsoniana.

A síndrome parkinsoniana ou parkinsonismo se define pela presença de quatro sinais cardinais: tremor de repouso, rigidez, lentificação dos movimentos e alteração do equilíbrio. São necessários pelo menos dois sinais para se diagnosticar uma síndrome parkinsoniana.

O padrão clínico actual em sintomas de avaliação é a Escala de Avaliação da Doença de Parkinson Unificado (UPDRS), um sistema de classificação qualitativo desenvolvido por um painel de peritos da desordem de movimento. O UPDRS inclui secções múltiplas para monitorar diversas áreas do impacto da doença que incluem o motor e as experiências do não-motor da vida diária.

Tratamento:

Pode ser dividido em: farmacológico, não-farmacológico e cirúrgico.

Todas as modalidades de tratamento são úteis no controle dos sintomas e podem dar mais qualidade de vida ao paciente.

Procure um médico diante da suspeita da doença de Parkinson. 

Separamos alguns vídeos que podem ser úteis:

– Apresentação explicativa do funcionamento da Doença de Parkinson.

– Post com vários vídeos de exercícios para doença de Parkinson, clica aqui.

______________________

Gostou do post? Clica no botão do Google Plus (Google +1)  aí embaixo e avisa ao google que esse post é de qualidade!! Assim você estará nos qualificando e garantindo ainda mais qualidade no site.

 

Vamos ganhar esse clique valioso?? Obg!! =)

Ah, para os fãs de Facebook que querem espalhar o post “por aí” é só clicar e compartilhar! 

_____________________

Imagem: brianjmatis 

 

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.