Avalie o seu risco de ter Demência…

3
2815

Você pode pensar que você vai desenvolver demência algum dia (quem é que convive com a doença e não pensa nisso? eu já pensei… ). Este é um pensamento comum, principalmente se um parente seu tem uma condição como a demência, mas a verdade é: risco todos nós temos.

Segundo o site aids.eblog.com, os chamados “fatores de risco” são aspectos da vida que aumentam as chances de uma pessoa de desenvolver uma condição. Todo mundo tem potencialmente risco de desenvolver demência, algumas pessoas têm uma maior probabilidade que outras. Pessoas que parecem mais prováveis para desenvolver uma demência podem nunca chegar a condição, enquanto outras com uma menor chance, pode acabar realmente desenvolvendo. Sendo assim, vamos ver quais os fatores de risco que você possui de desenvolver uma demência…

Segundo a fonte pesquisada, os fatores de risco associados às demência podem ser divididos em questões ambientais e genéticas, sendo alguns fatores controláveis, outros não.

Avalie abaixo quais os fatores de risco que você possui:

A idade é um dos fatores de risco para a demência que não é controlável, assim sabe-se que uma pessoa de 80 anos tem um risco aumentado de desenvolver Alzheimer em comparação com uma de 30 anos de idade.

Apesar da demência pode começar na juventude, o risco de desenvolver a doença aumenta com a idade. Entre as idades de 65 a 70, 1 em cada 50 pessoas sofre de demência. Com mais de 80, 1 em cada 5 pessoas tem algum tipo de demência. À medida que envelhecemos, a capacidade de reparação do próprio corpo diminui e  aumentam as chances de desenvolver doenças como derrames e doenças cardíacas pois as alterações no DNA e nas estruturas celulares se desenvolvem.

Ser mulher é um outro fator de risco. Mulheres são vistas pela ciência como um pouco mais suscetíveis à demência. Uma teoria para explicar isso é que as quantidades de estrogênio estão reduzidas em mulheres após a menopausa e isso pode ser um fator de risco que ajuda a desenvolver a doença.

Os homens, por sua vez, são mais suscetíveis à demência vascular, principalmente porque tendem a ter pressão arterial mais elevada (a partir de condições como colesterol alto, diabetes e ritmos irregulares do coração) e mais problemas cardíacos do que as mulheres.

A predisposição genética para adquirir demência têm sido observados em algumas famílias. Esta área não é totalmente compreendida e tem uma enorme quantidade de pesquisas dirigidas a ela. Genes específicos foram encontrados para aumentar a ocorrência da doença de Alzheimer. A apolipoproteína E (APOE) tem sido indicada como responsável no desenvolvimento de demência vascular e de Alzheimer.

Condições como a síndrome de Down, HIV e esclerose múltipla podem aumentar a chance de você desenvolver a demência, entre muitos outros tipos de condição.

Ter uma vida saudável reduz  as chances de demência. As vitaminas e os anti-oxidantes encontrados em uma grande variedade de frutas e legumes frescos podem proteger o cérebro, bem como prevenir a demência.Os ácidos graxos poliinsaturados, comumente encontrada em peixes oleosos, ajuda a proteger os vasos sanguíneos e o coração. Grandes quantidades de gorduras saturadas tem o efeito negativo de entupimento das artérias.

Pesquisas têm sugerido a idéia de várias ervas, especiarias (por exemplo, sábio e curcumina- alguém conhece isso??), e cafeína, tem uma função protetora em seu cérebro. A vitamina E tem sido propostas para diminuir os sintomas da demência, vitamina A, ajudando a proteger o cérebro.

Fumo, álcool e lesões na cabeça são prejudiciais a nossa saúde e podem interferir na probabilidade de desenvolver demência. Uma pequena quantidade de álcool, por exemplo, uma taça de vinho tinto por dia pode realmente reduzir o risco de demência através da manutenção da saúde do nosso coração, do sistema vascular e do cérebro. Graves ferimentos na cabeça podem aumentar dramaticamente o risco de desenvolver demência em até 4 vezes mais. Os pugilistas foram vistos com um tipo de demência conhecida como “Punch Drunk Syndrome”.

O alumínio foi considerado tóxico e prejudicial aos sistemas nervoso das pessoas. Outros “oligoelementos” como o cobre ou o zinco poderiam ter um papel importante na forma como as proteínas são processadas no cérebro. Porém, são necessárias mais pesquisas sobre os efeitos desses metais.

Bons níveis de exercício físico diminuem a chance de demência, a manutenção de um sistema vascular saudável mantém a circulação do sangue e do cérebro alta.

Os níveis de atividades social e mental devem ser incentivadas. “Pensar muito” quando jovem aumentam a complexidade de conexões neurais no cérebro. Quebra-cabeças e palavras cruzadas podem ajudar a fortalecer as conexões existentes no seu cérebro.

E aí? Eu já estou atenta a alguns fatores de risco que tenho… hummm vou tentar “cuidar” de alguns deles.

Ana K.

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

3 COMENTÁRIOS

  1. Sobre a curcumina.

    Ingrediente do curry pode agir contra o câncer, indica estudo
    Publicidade

    da Efe, em Londres

    A curcumina, um corante natural oriundo da cúrcuma, tem capacidade de matar as células cancerígenas, segundo um estudo divulgado hoje por pesquisadores do Centro de Pesquisa do Câncer de Cork, na Irlanda.

    Não é de hoje que os cientistas já conheciam as propriedades deste componente da cúrcuma –planta originária da Índia e utilizada no molho curry– para o tratamento de artrite e demência, e agora constataram seu poder como anti-cancerígeno.

    Publicado na revista “British Journal of Cancer”, o estudo revela que a curcumina é capaz de destruir as células do câncer de garganta, abrindo caminho para novos tratamentos.

    A médica Sharon McKennan e sua equipe constataram que a curcumina era muito eficaz e que em 24 horas começa o processo de destruição das células malignas.

    Os investigadores descobriram que as células são capazes de se autodestruir, quando a curcumina dá sinais de destruição celular.

    “Sabemos há tempos que os componentes naturais têm potencial para tratar de células defeituosas que se transformaram em cancerígenas, suspeitávamos que a curcumina poderia ter um valor terapêutico”, disse McKennan.

    Leslye Walker, professor do Centro de Pesquisa do Câncer no Reino Unido, destacou que esta é “uma pesquisa interessante que abre a possibilidade para os componentes químicos naturais da cúrcuma possam ser utilizados em novos tratamentos contra o câncer esofágico”.

    “Os índices de câncer no esôfago aumentaram mais de 50% desde os anos 70, em função da maior incidência de obesidade, o consumo de álcool e os problemas de refluxo, de modo que encontrar vias para prevenir esta doença são muito importante”, comentou Walker.

    No mundo desenvolvido, este tipo de câncer é o sexto mais frequente e causa 5% das mortes pela doença.

    Beijo Bruna

  2. Essa matéria é muito interessante. Aparentemente não faço parte do grupo de risco. Penso que informações como esta são muito preciosas, para todos nós.
    Obrigada meninas

Deixe uma resposta para Bruna Cancelar resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.