Histórias Sociais: recurso de comunicação no Autismo

2
6341

Histórias sociais são descrições curtas e simples que são criadas com a intenção de ajudar a criança a entender uma atividade ou situação particular, junto com comportamentos que são esperados da criança nessa situação particular. Essas histórias também dão informações precisas sobre o que a criança poderia testemunhar ou experimentar em uma situação particular.

No blog de Ana ElizaBeth Prado (somos fãs!!) encontramos um post (leia-o na íntegra e aproveite para conhecer outros!) que nos lembra do uso das Histórias Sociais como um recurso comumente usado com pessoas (crianças e adolescentes) com Transtorno do Espectro Autista. Mas com que objetivo? Bem, Beth nos explica que esse é “um recurso para amenizar ansiedade, ajudar em situações-problema e na possibilidade da construção da criação de novos caminhos junto com a criança, principalmente em contexto de inclusão social.

Existem várias formas de fazer a depender do nível e necessidade da criança e do adolescente. Beth coloca uma sugestão de link que ajuda a entender melhor como usar as Histórias Sociais: clique aqui. Ah, e por fim, sugere: “Em caso de dúvida, peça ajuda a um profissional especializado.” Afinal de contas, para fazer direitinho e de forma eficaz, não serão poucas informações (por mais ricas que sejam) que vai te habilitar a usar com sucesso um recurso assim, né?

E vocês? Alguém usa Histórias Sociais? Comenta!

Imagem: blog Ana Elizabeth Prado =)

Veja também : 

– #DicaDeSite terapiaocupacional-bethprado

– Brincadeiras proprioceptivas agrupadas em 10 itens

– Disfunção de Processamento sensorial no Transtorno do Espectro Autista

– Sentido vestibular – a todo momento em nossa vida

 

Conheça nosso caderno de exercícios!!

cadernos

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

2 COMENTÁRIOS

  1. Gostaria de receber material para ensinar ao meu filho conversas com início, meio e fim. Ele tem 8 anos e tem Síndrome de Asperger. Hoje, manter uma conversa e narrar uma estória são os seus maiores entraves. Obrigada.

    • Olá Magaly, temos várias atividades disponíveis aqui no site, mas recomendamos que você procure um profissional de reabilitação que trabalhe com aspectos cognitivos. Converse com o médico do seu filho que ele com certeza terá boas sugestões. O profissional especialista, te orientará não só os materiais, mas como conduzir as atividades. Boa sorte!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.