Estudo de caso: encefalopatia herpética

22
7059

O post de hoje é mais um pedido de uma de nossas leitoras, terapeuta ocupacional, sobre um paciente em tratamento.

A. J. tem diagnóstico de Encefalopatia Herpética. É formado em estatística, matemática e administração. Lê e escreve sem dificuldade. Adora formas e é bastante organizado. Apresenta dificuldades em nomear objetos, indicar suas funções, armazenar informações novas e de se comunicar, falando palavras inadequadas para a situação e inventando novas palavras. Durante os atendimentos consegue manter um diálogo coerente, entende o objetivo das atividades. Tem um raciocínio muito bom, monta mosaicos sem dificuldade. Apresentava dificuldades em iniciar as atividades, porém evolui com melhora.

Pedido da nossa leitora: O que eu gostaria de saber de vocês é se para esse tipo de paciente o melhor é realizar sempre as mesmas atividade para ver se ele consegue armazenar pela repetição ou usar atividades diferentes em cada atendimento? Nos atendimentos estou mantendo o mesmo estilo de atividades, só mudando os temas. Qual a dica que vocês podem me dar?

Vamos ajudá-la? Aguardo a colaboração de vocês!!!

Ana Paula

22 COMENTÁRIOS

  1. olá,
    muita coincidencia vcs divulgarem esses caso, que é muitissimo semelhante ao caso que eu atendo em minha cidade. A minha pct, em particular,tem grande dificuldade na memória de curto prazo, em todos os ambitos possiveis, ou seja, não armazena o que lê nem o que ouve, sejam palvras, historias, números… dificultando profundamente sua capacidade de aprendizagem de novas informações!! a repetição constante das coisas foi a melhor saída para as sessoes e para orientar a família. Alem disso ela perdeu boa parte da memória de longo prazo, episódica muito mais do que semântica, mas ambas estão afetadas. Nas sessões deixo um tempo só para essas recordações, envolvendo familiares e seus nomes, datas, e até mesmo recordação de fatos acontecidos no mundo, pois nem o presidente do Brasil ela soube me informar. Achei tão interessante que mesmo sem algumas informações que consideramos básicas, ao avaliar a inteligencia por duas escalas diverentes, ela obteve ótimo rendimento com quoeficiente acima da média, o que era esperado pois a pct tem curso superior!!!Dai eu vi a importancia da avaliação neuropsicológica!!! Enfim, acho que estou falando mais do meu caso do que ajudando no caso proposto!!!Bom, acredito que o trabalho de repetição, agenda (para orientação temporal que na minha pct estava extremamente perdida), atividades para nomeação de objetos, de figuras que relembrem o passado e a atualidade!!! Acho importantissimo trabalhar funções executivas pois quando vc diz que “inventa novas palavras” pode ser algo relacionado a sindrome dissecutiva ou apenas uma problema de linguagem!!!Isso tmb acontece com a minha pct, e é algo que me preocupa um pouco, pois se for algo de região frontal, ela pode se agravar e perder qualidade de vida!!!trabalho com muita abstração por conta desse meu medo!! uso muito o livro dos 50 exercicios, variando um pouco, e o manual papaterra (indico todos!!)que é muito legal tmb, e conheci aki!!!:D

  2. Olá!
    Li o caso acima, e não tenho dúvidas que as alterações apresentadas pelo paciente são específicas da área de linguagem e portanto, precisam ser tratadas por um fonoaudiólogo, que é o profissional habilitado para atuar nesses casos e dominam as técnicas adequadas. Sugiro que seu tratamento seja realizado em conjunto pelos 2 profissionais. Parabéns pelo site.

  3. Diana adorei seu comentário e suas dicas, sou terapeuta ocupacional e tenho um pcte com esse mesmo diagnóstico e caraterísticas e pelo que percebi com o seu post é que estou no caminho certo,pelo menos, estou seguindo o mesmo raciocínio nos atendimentos que os seus, vou começar agora a acrescentar atividades incluindo os familiares, pois ele não consegue identifica-los e continuar nessa proposta de trabalho que venho fazendo, pois estou vendo evolução. Meu pcte tb faz acompanhamento com a fono, trabalhando essa questão da linguagem. Parabéns ao site e estou disponível para trocarmos figurinhas.
    Bjs

  4. Sim eu ja atendi um caso com encefalite viral herpetica, que por sinal é raro na literatura da neurologia, isso vc pderá verificar, são poucos os casos e acredito ser muito complexo. atendi por 2 anos um menino de 13 anos,
    Avaliação neuropsicologica acredito ser o inicio e assim intervir.

  5. MUITO LEGAL ESSA TROCA DE FIGURINHAS SOBRE ENDEFALITE!!! REALMENTE É MUITO RARO E MUITO DEVASTADOR!!! PELO ESTA SENDO PARA MINHA PCT E SUA FAMILIA!!! TENHO ENFRENTADO DIFICULDADE EM LIDAR COM OS FAMILIARES, PRINCIPALMENTE O MARIDO, QUE ACREDITA QUE SUA ESPOSA IRÁ VOLTAR A SER O QUE ERA..MAS INFELISMENTE, PELO NIVEL DE ALCANCE DA ENFELITE E PELOS DEFICITS QUE ELA TEM ACHO MUITO DIFICIL!!!ELE ESTÁ CHOCADO E NÃO POSSO SONHAR EM FALAR COM ELE DAS (IM)POSSBILIDADES!!!E VCS, COMO ESTÃO ADMINISTRANDO ISSO?????

  6. AGORA, COM O PORTUGUES CORRETO

    MUITO LEGAL ESSA TROCA DE FIGURINHAS SOBRE ENDEFALITE!!! REALMENTE É MUITO RARO E MUITO DEVASTADOR!!! PELO MENOS ESTA SENDO PARA MINHA PCT E SUA FAMILIA!!! TENHO ENFRENTADO DIFICULDADES EM LIDAR COM OS FAMILIARES, PRINCIPALMENTE O MARIDO, QUE ACREDITA QUE SUA ESPOSA IRÁ VOLTAR A SER O QUE ERA..MAS INFELIZMENTE, PELO NIVEL DE ALCANCE DA ENFELITE E PELOS DEFICITS QUE ELA TEM ACHO MUITO DIFICIL!!!ELE ESTÁ CHOCADO E NÃO POSSO SONHAR EM FALAR COM ELE DAS (IM)POSSBILIDADES!!!E VCS, COMO ESTÃO ADMINISTRANDO ISSO?????

  7. Olá pessoal,
    Seria muito importante realizar uma Avaliação Neuropsicológica neste
    paciente para saber as áreas cerebrais que foram atingidas e as que continuam preservadas para, então, fazer uma intervenção mais segura e eficaz para o paciente, trabalhando em conjunto, se for o caso com outros profissionais e com tratamento farmacológico(após uma avaliação neurológica, por um neurologista, obviamente),que o resultado da avaliação neuropsicológica indicará, inclusive a nível de reabilitação das habilidades que podem ser trabalhadas para se obter maior eficácia no tratamento.
    Quanto ao comentário de Diana, se a sua pct se submeteu a avaliação
    neuropsicológica e de posse da análise avaliativa, talvez seja mais fácil falar com o marido que, se é o principal interessado, é muito importante que esteja consciente dos problemas que terá que enfrentar para poder ajudar de forma correta sua esposa. Se ele não quiser ou tiver muita dificuldade sobre o enfrentamento da situação atual de sua esposa seria interessante encaminhá-lo para uma terapia. É claro que, tudo isto, deve ser feito com muito cuidado e muita cautela ao ser conversado com ele,fazendo com que perceba que o sucesso que a esposa poderá alcançar com a ajude dele no tratamento, será imprescindível e determinante nos avanços que ela poderá atingir/readquirir dentro de suas reservas cognitivas, porque será, ainda, mais difícil sem a ajuda dele.

  8. Diana,
    Realmente a familia entra em choque, isso foi por um ano e meio(fase), mas agora a mãe já estabilizou e somente hj ela consegue assimilar td oq aconteceu com seu filho. No caso do meu paciente, o sistema límbico, pra vc ter uma idéia foi acometido, se posso referenciar-me assim…mas hj td familia e meu paciente mesmo segue estratégias de compensação.Mesmo assim a reavaliação continua e novos recursos são empregados no atendimento do mesmo e da familia tb.
    abraços,
    Robertta

  9. Gostaria de saber se há conhecimento de caso de encefalite herpética em que o paciente tenha ficado sem nenhuma sequela?
    faço essa pergunta pois eu fui diagnosticado com encefalite herpética e tratado no hospital universitário de Taubaté (isto ja faz mais de 14 ano), sendo que quando obtive alta não fiquei com sequelas e hoje trabalho como advogado sem possuir qualquer sequela neurológica ou comportamental.

    • Oi José, não sou especialista em encefalite herpética, mas acredito que seu próprio estado diz muito. Vamos deixar seu comentário aqui no site e algum profissional mais habilidade pode tirar sua dúvida com mais detalhes. Abraço!

  10. José Roberto,
    Bom dia.
    Fico que feliz que esteja bem, e sem sequelas, até onde eu sei ,quando o caso é diagnósticado rapidamente o prognóstico parece positivo. Tb acredito que nosso cérebro é uma caixa de surpresas, cada um é diferente de outro, e não tem como prever ainda tudo, são muitos fatores que podem estar envolvidos.
    Robertta

  11. Boa noite jente to muito preocupada co meu marido ele tv encefalite herpetica com sequalea no olho teve que operar da ai entaum era so no olho ja tem um mes da cirugia no olho e ele nao ta exergando direito e agora de ums dois dias pra car tenho notado que ele nao grava mas as respostas das coisa que ele pergunta ele pergunta varias veses s mesma coisa eu estou muito preocupada o que deve faser ?? me ajudem Meirelany_19@hotmail.com

  12. Olá, meu pai teve encefalite herpética há 5 anos, na época ela estava com 57 anos e sempre foisaudavel. Infelizmente essa doença o deixou muito sequelado, com um quadro demencial, ele só tem lembranças do passado, de qdo ele tinha por volta de 15 anos. E difícil a vida de quem cuida de alguém nessa situação. Mas adorei essa porta para conversar com pessoas q tiveram a mesma doenças.

  13. oi tive esta doen,ça terrivel, estou usando fraldas para dormir é horrivel, estou com o lado direito melhorando, minha pergunta seria quanto tempo ficarei comas sequelas obrigado,por favor me responda por email que fiz a mesma pergunta em outro site e não acho mais

  14. Olá!!!! Ando muito preocupada, meu filho com 14 anos teve um meningoencefalite herpética (hoje com 18 anos), e hoje me desespero, pois observo no seu comportamento uma agressividade muito intensa (fica nervoso sem conseguir se controlar e não ouve ninguém), além de apresentar um vocabulário assustador. O que devo fazer para ajudá-lo

  15. bom dia ! gostaria de tirar uma duvida . tenho uma irma que tem 8 dias que foi internada as presas em um hospital na capital da Bahia com perca de memoria , cefaleia e febre muito alta . e foi diagnosticada a encefalite herpetica , mas logo quando ela deu entrada no hospital ela ja entrou em coma . essa pessoa tem uma filha de quatro anos . sim a minha duvida e pelo que eu lhe essa doença pode ser passada de mae para filha e que e uma doença silenciosa e que tambem pode se passada atraves da relação sexual . Entao nao seria mais provavel que realizasem o exame na criança ? no parceiro da lpessoa . E se e recomendavel que a gente da familia tambem realizem o exame pois lembrando que a nossa mae tambem morreu com um problema no cerebro e tambem de uma hora pra outra . espero a resposta

    • Stefanne, o ideal é que vc procure um médico para tirar essas dúvidas. Sua preocupação pode e deve ser esclarecida. Viver com uma dúvida assim não é fácil. Aproveite os profissionais que estão envolvidos no caso para conversar. Às vezes, buscamos na internet respostas e só ficamos com mais dúvidas. Recomendamos que converse com um médico e esgote todas as suas perguntas, que precisam ser respondidas. Um abraço e estamos torcendo pelo melhor para sua família. Abraço forte.

  16. Minha esposa de 67 anos foi diagnosticada com encefalite herpetica em fins de Janeiro de 2015 desde então está no hospital; os únicos movimentos sáo abrir e fechar os olhos, os médicos não tem nenhuma previsão do que irá acontecer, já se vão 8 meses mas eu ainda tenho esperança que algo de bom pode acontecer. Por favor preciso de ajuda.

  17. Tenho um amigo com HIV e ele teve encefalite e agora tem perda de memória recente. Está sendo duro pra família e para os amigos. Estou muito triste e sem saber o que fazer.

  18. Meu irmão teve encefalite herpética, tudo começou quando ele teve uma
    convulsão em casa no dia 02/11/2015.
    Nesse mesmo dia foi internado e no hospital teve confusão mental e outras
    convulsoes.
    O diagnóstico da encefalite herpetica veio somente 23 dias depois, quando
    iniciou o tratamento com Aciclovir por 21 dias.
    No hospital ele ficou muito mal, foram dias terríveis, com problemas no
    pulmão, muita febre, ficou na UTI vários dias,
    sem um diagnóstico certo, sem lembrar de ninguem, nem de nada… Depois de
    uns dias com o Aciclovir saiu da UTI e foi
    para o quarto onde estava se recuperando bem, já conseguia falar algumas
    poucas palavras inteligíveis, nos abraçava,
    interagia com a familia e os amigos, mas depois dessa fase tranquila ele
    começou a ter picos de agressividade e foi tratado
    com 4 doses diárias de Haldol, o que o deixava apático, travado, sem ação.
    No dia 10/12 ele teve alta, foi para casa mas ao
    tentar diminuir a dose do medicamento ele voltou a ficar agitado e até
    agressivo. Arrancava a sonda alimentar e os acessos,
    foi então levado ao hospital, onde foi novamente internado para acerto dos
    medicamentos. Estabilizada a parte física o hospital
    ia novamente dar alta mas como ele permanecia agitado demais, pediram que
    ele fosse transferido para o Hospital Psiquiátrico
    Santa Monica para tentar a estabilização da parte psíquica.
    Há 25 dias ele está nesse hospital, já tem feito alguns progressos! Temos
    muita fé de que ele se vai se recuperar.
    Estamos sofrendo demais com toda essa situação e também por não saber ao
    certo o que está por vir, mas lendo alguns
    depoimentos daqui me enchi de esperança! Meu email é isa@paperpen.com.br
    caso alguem possa me dar mais informações,
    agradeceria muito…

    Saúde para todos!!!

    Isa

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.