Estudo confirma que a Dislexia NÃO está relacionada a problemas visuais

2
3941

Foi publicado na revista Pediatrics estudo importante sobre a relação da Dislexia com problemas visuais. Apesar de tal publicação não ser a primeira sobre o assunto, a amostra expressivamente maior em relação aos estudos anteriores deixa maior confiabilidade quanto aos resultados que confirmam que tal relação, Dislexia e problemas visuais, parece não existir.

A relação entre a dislexia e problemas de visão foi estudada em um grupo de crianças com idade entre 7-9 anos. Os pesquisadores testaram 5.822 crianças com essa faixa etária para uma variedade de problemas de visão, como miopia, hipermetropia, visão dupla e dificuldade em focalizar. Apenas três por cento (n = 172) das crianças com Dislexia grave mostraram pouca diferença no quesito função visual, em comparação com crianças sem dislexia, e 80% das crianças com Dislexia tinha a função da visão e dos olhos completamente normal em todos os testes. Uma minoria de crianças da amostra apresentaram problemas com a percepção de profundidade ou visão dupla, mas não houve nenhuma evidência de que isso é se relaciona com a sua deficiência na leitura.

Para conhecer mais detalhes da pesquisa, clique aqui e vá a  página da Revista.

imagem: sarcaser

 

Veja também:

Estudo analisa a dor em cadeirantes com Esclerose Múltipla e concluem necessidade de avaliação holística

Estudo mostra eficácia da estimulação cognitiva em crianças com Paralisia Cerebral

Estudo evidencia a Musicoterapia como recurso fundamental para crianças e adolescentes com Depressão

 

Conhece nossos cadernos de estimulação cognitiva? Conheça agora clicando aqui!

cadernos

 



2 COMENTÁRIOS

  1. Este artigo é interessante mas pode produzir desinformação. Uma pessoa menos informada pode partir do principio de que a Dislexia não tem nada a ver com a função visual. A criança dislexica sob o ponto de vista refractivo ou de acuidade visual ,não é de facto diferente da população geral.
    A diferença em termos visuais tem a ver com a localização egocentrica. No dislexico existe de forma constante um erro de localização visual egocêntrica que desaparce com utilização de prismas activos.
    Esta forma de utilizar estes prismas não é do dominio do médico oftalmologista comum, tem de ser um oftalmologista com treino em propriocepção.
    No pesquisa não foi utlizado o teste de localçização espacial egocêntrica pelo que nada de diferente poude ser encontrado.

  2. Em relação ao estudo temos de começar por saber o que são problemas visuais. Se entendermos que problemas visuais são problemas de refracção o raciocinio está correcto. Mas se entendermos que faz parte da função visual a percepção visual e a percepção espacial egocentrica , então o raciocinio está incorrecto porque em todos os dislexicos de evolução existe erro quer da percepção visual quer da localização visuoespacial egocentrica. O que acontece é que o autor do estudo não estudou estes parâmetros visuais que são os que se encontram alterados e portanto concluiu erradamente que não havia nada de visual na dislexia.Os prismas activos que se utilizam com muito sucesso no tratamento da dislexia parecem não ser do conhecimento do autor do artigo que não deve saber qual a diferença entre prismas passivos e prismas activos.Só deve conhecer prismas que servem para compensar desvios oculares.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.