O dia 26 de Julho é o dia dos avós no Brasil, Portugal e Espanha. A relação entre avós e netos é algo profundo, mas que parece difícil, em especial nos primeiros anos da crianças; isso torna-se ainda mais verdade quando os avós possuem dificuldades de caminhar, de acompanhar os interesses dos netos ou até de conversar com eles, seja por diferenças impostas por condições de saúde ou culturais.

Vale dizer aqui que nem todo o idoso tem essas dificuldades. Cada envelhecimento é único e como chegamos aos 60+ é resultado da combinação de uma série de variáveis (genéticas, ambentais – sociais, culturais, físicas..). Ou seja, temos que ter muito cuidado quando falamos sobre idosos e suas capacidades para não corrermos o risco de sermos ageístas! Colocando todos os avós no pacote, criando uma imagem única para todos que estão na fase “idosa” da vida.

(Leia: O que é Ageismo?)

Justamente pensando em ser uma relação que acrescente vivências, gere bem-estar e também que combata o ageismo (porque a interoperacionalidade é uma estratégia para esse “combate”) resolvemos colocar aqui algumas dicas de atividades que já publicamos aqui no reab.me e que podem ajudar:

A lista acima traz dicas de algumas atividades, mas a verdade é que cada um é único em sua história e interesses. Sendo assim, a valorização da relação entre avós-netos vai florescer e se firmar quando se cria a chance de escuta e de troca de ambas as partes. Em muitas situações, em especial quando falamos da presença de uma condição de saúde limitante, um facilitador pode ajudar nesse processo de encontrar uma “frequência em comum”.

Sim, as gerações são diferentes, as pessoas são diferentes umas das outras, mas sempreeee existe algo em comum entre elas. Só precisamos fazer acontecer. E, trazer para a pauta a questão do preconceito com os “avós” dizendo que eles são ultrapassados, não têm energia e interesse em seus netos e nas vivências deles já é um excelente começo de conversa para as crianças.

Photo by Paige Cody on Unsplash

 

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.