Como usar o Ocupamão? Veja como funciona o tecido de atividades para pessoas com demência!

0
262

O reab desenvolveu um tecido de atividades para pessoas com demência e suas famílias e cuidadores: o ocupamão! Apesar de ser um produto para “ocupar as mãos inquietas ou paradas” de idosos com demência, vale dizer que ao ajudar o idoso, ajudamos a todos que cuidam dele.

(Clique aqui e compre o ocupamão na Loja Reab!)

O ocupamão pode ser usado sobre uma superfície como uma mesa ou no colo do idoso. Para favorecer esse uso no colo, o ocupamão tem um “formato fronha” que permite a inserção de um travesseiro que ajudará a formar essa superfície que permitirá que todos os itens se tornem visíveis ao idoso. O formato fronha (exclusiva do ocupamão) que permite esse “enchimento” do tecido é útil também para que ele fique visível em lugares onde o idoso fica, como no sofá ou poltrona, aumentando as chances dele procurar o ocupamão nos momentos de agitação, por exemplo.

(foto do ocupamão sobre uma mesa, com um travesseiro e no colo.

O cuidador é importante no uso do ocupamão. Sabe por quê?

  1. Para garantir a iniciativa do idoso para começar e se manter na exploração dos itens do ocupamão. Idosos em fases mais avançadas de demência devem estar com a companhia e supervisão do cuidador e/ou familiar. Condições como a apatia (falta de interesse) podem impedir a procura espontânea ao ocupamão ou que o idoso se mantenha explorando os itens.
  2. O cuidador pode ir graduando o uso do ocupamão, ou seja, pode ir mostrando o tecido de atividades aumentando ou diminuindo o grau do desafio. Como você pode conferir aqui o ocupamão tem variados itens distribuídos ao longo do tecido. Esses itens foram distribuídos de forma que o cuidador pode dobrar o tecido e ir mostrando e usando os itens separadamente.

3. Forma de uso 1: dobrado para mostrar poucos recursos

Nesta forma de uso o cuidador dobra o ocupamão várias vezes deixando apenas “um quadrado” com poucos itens. Assim o idoso tem acesso a menos recursos e pode favorecer o uso por não ter tantos estímulos.

2. Forma de uso 2: dobrado de forma a mostrar mais itens

Neste formato o ocupamão é menos dobrado e mostra uma quantidade maior de recursos, mas mesmo assim sem mostrar todos os estímulos presentes no tecido.

1. Forma de uso 3: totalmente aberto e sem enchimento

O cuidador pode apresentar o ocupamão totalmente aberto para o paciente ter acesso a todos os itens e mais liberdade de escolha.

O uso dobrado por “quadrante” é uma estratégia de uso. Pode-se começar usando ele todo aberto ou dobrá-lo e ir mostrando aos poucos ao idoso.

3. É também uma recomendação de segurança a presença do cuidador durante o uso do ocupamão. O itens do tecido de atividade são fixados com cuidado para impedir que as peças se soltem, mas cabe ao cuidador garantir o uso correto e seguro do tecido.

Outras dicas que podem te ajudar a maximizar o uso do seu ocupamão:

  1. Confira com seu terapeuta ocupacional se existem orientações específicas para o uso com seu idoso. O terapeuta pode te ensinar como graduar ou adaptar o produto para melhor uso. Bem como dicas sobre o ambiente, mobiliário e a posição/comunicação do cuidador.
  2. Esteja em um lugar tranquilo com poucos estímulos ao redor. Um lugar com muitos barulhos, objetos que distraem o idoso ou pouco iluminado podem interferir na experiência do uso.
  3. O cuidador deve se sentar preferencialmente à frente do idoso. Esta posição pode conseguir mais atenção do idoso e até ajudar a manter o tecido na posição adequada enquanto estimula o idoso no uso.

Leia também: 

OcupaMão: tecido de atividades para idosos com demência!

Atividades religiosas para a memória e bem estar dos idosos #Parte 1

O que eu preciso ter em casa para fazer atividades terapêuticas com os idosos?

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.