Como usar filmes e livros como material educativo sobre demência?

0
9

Você sabia que alguns filmes e livros podem ser utilizados para trabalhar com a educação de cuidadores de idosos com demência? Pois é, podem sim! Mas antes de indicar qualquer recurso neste intuito, é muito importante que o profissional esteja atento à alguns detalhes.

Fizemos uma LIVE, lá no instagram @reabme comentando os principais pontos que o profissional deve estar atento ao orientar qualquer tipo de material educativo, seja ele em texto, como um manual ou livro e até filmes. Segue as dicas:

  • Antes do filme/leitura:
    • Você deve conhecer o material, seja ele um texto ou um filme, e ter claro quais são seus objetivos para usar esses materiais como recurso.
    • Se pergunte o seguinte: “Será que aquele familiar/cuidador está preparado para receber as informações que serão repassadas com o recurso?“, pense se ele irá alcançar o objetivo que você pretende, seja na compreensão de uma situação ou no aprendizado com as experiências exemplificadas. Mas para além disso, pense se o momento é o ideal para aquele conteúdo, será que ele está emocionalmente preparado?
    • Converse com ele sobre quais as informações que ele precisa prestar atenção.  Lembrando que, o cuidador precisa ter as informações básicas sobre a doença, caso aquele filme não traga essas explicações.
    • Liste aspectos e ou trechos que que ele deve estar atento e deixe esses pontos com ele; lista pequena e objetiva, tá?  (só não vale dar spoiler!! 🤣)
    • Indique a mídia, local onde ele vai conseguir acessar e, em caso de livro, qual capítulo ele deve se aprofundar para aquele momento.

Leia também:

  1. Ebook Envelhecimento e Felicidade – material educativo e reflexivo sobre envelhecimento, bem-estar e empoderamento de todos que estão envelhecendo 
  2. Alzheimer: como recomendar a leitura do livro: O dia de 36 horas – post e link para compra do livro
  • Durante o filme/leitura:
    • Peça que ele tenha sua lista em mãos e revise antes do filme começar.
    • Solicite que ele anote as dúvidas e situações não compreendidas.
    • Instrua-o para que o livro ou filme seja lido/assistido em um momento de atenção plena, sem distrações. Afinal, o material tem um intuito de ser educativo. Lembre-o de estar acompanhado de um papel e um lápis.
  • Após o filme/leitura:
    • Marque uma sessão para conversar com o familiar/cuidador. Quem sabe não vão a um café ou local fora do ambiente de cuidado para ter um momento fora da rotina e também que o cuidador se sinta à vontade para conversar.
    • Pergunte o que ele conseguiu absorver com o filme e complemente com sua visão profissional.
    • Siga sua lista para orientar a conversa.
    • Acolha as demandas que possam vir, como “mas meu familiar vai ficar assim?“, sabemos que o avançar dos desafios são inerentes ao processo da doença, mas que o ritmo é muito particular, mostre-o que são situações que podem existir e que ele estará pronto para lidar no momento certo.
    • Pontue os pontos mais relevantes do conteúdo oferecido a ele e leve-o a reflexão, explicando e orientando.

Assista a live na íntegra:
Live sobre como prescrever filmes para educar!

Gostou? Lembre-se, toda prescrição/orientação deve ser repassada com muito cuidado, observando os tópicos acima e, para o profissional, é mais que importante se fazer presente para auxiliar no processo de internalização do conteúdo lido/assistido e para esclarecer possíveis dúvidas.

🎬 Ah, não esqueça que existem filmes de “todos os tipos”: curtos, longos, mais básicos, mais densos, mais emotivos ou divertidos. Como qualquer ferramenta terapêutica VOCÊ que indica precisa conhecê-la bem.

foto por freepik – br.freepik.com

Leia mais sobre:

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.