Como fazer “um jardim terapêutico” para pessoas com demência?

0
1

Para preparar um jardim para pessoas com Demência, não é preciso seguir muitas regras, mas é importante seguir pelo menos essas cinco orientações que vamos indicar. É um passo-a- passo simples para você conseguir um melhor resultado e uma melhor estimulação.

Regras a seguir para cultivar um jardim terapêutico

1. As plantas e quaisquer aditivos não devem ser tóxicos.

Pesquise e verifique a toxicidade de cada planta antes de incluí-la.
Muitas pessoas não percebem, por exemplo, que as poinsétias são venenosas. Lírios, hera, filodendro, jade e oleandro são outras plantas domésticas venenosas comuns, e existem muitas mais. Fique de olho!

Produtos químicos como fertilizantes não devem estar ao alcance de pessoas com demência – mantenha-os em um local seguro.

2. Evite espinhos e outras pontas ou pontas afiadas. Evite rosas espinhosas, cactos espinhosos e outras plantas afiadas que podem causar ferimentos ou desconforto.

Quando você trabalha com uma pessoa com demência, você já sabe que a segurança está em primeiro lugar. Assim como devemos evitar plantas pontiagudas, também devemos estar atentos às ferramentas de jardim com pontas ou bordas afiadas, para seu uso somente com supervisão.

No entanto, dependendo da situação da pessoa, pode não ser seguro ou apropriado para usar ferramentas ou itens específicos.

3. Interação de valor

Na fase de definição de quais plantas você terá ou qual planta (pode ser apenas uma) é importante ter certeza de que são relativamente resistentes. Isso pode significar manuseio frequente, rega excessiva ou outro comportamento que pode não ser o melhor para as próprias plantas. Isso ocorre porque o mais importante aqui é fazer com que uma pessoa com demência interaja. E como essa interação pode ocorrer? Sempre dependerá do que é mais significativo para a pessoa e do que desperta seu interesse.

Interagir de forma positiva pode ser:

  • Colaborar com a escolha da planta
  • Falar sobre o jardim ou experiência anterior com plantas
  • Usar suas mãos ou uma pá de jardim para encher vasos com terra
  • Plantar sementes
  • Acompanhar com um pouco de interesse o desenvolvimento das plantas
  • Cheirar, tocar ou olhar para frutas, flores ou folhagens.
  • Regar as plantas
  • Colaborar com a limpeza e manutenção do jardim, retirando flores mortas, colhendo, podando ou prestando outros cuidados
  • Cozinhar ou fazer artesanato com o que cultivaram.
  • Colher plantas (mesmo em tempos “não tradicionais” ou “não ideais”)

Aqui, a criatividade é importante para ter sucesso. Se, como cuidador ou terapeuta, você descobrir que a pessoa com Alzheimer rega as plantas, use um pequeno regador ou spray de água. Outra solução é garantir uma drenagem perfeita com bandejas coletoras grandes.

Dica: Às vezes pode ser necessário colocar uma placa que diga: já regou ou encontre as plantas que gostam de muita água.

Se a pessoa se envolver com o jardim, já é um sucesso!

4. Escolha boas plantas

Além do que falamos sobre os cuidados que devemos ter com as plantas tóxicas ou pontiagudas, também vale a pena procurar plantas que estimulem os sentidos, a memória ou ambos.

Algumas opções interessantes podem ser:

  • Lavanda: além de ser uma planta com flores e de aroma agradável, é considerada promotora de relaxamento. Mas precisa de muito calor e luz para ser cultivada.
  • Ervas: Usar ervas para cozinhar pode até ajudar a estimular o apetite.
    Além de serem comestíveis, são aromáticos e você garantirá a estimulação sensorial do olfato. Encontre o que mais combina com você, manjericão, orégano, tomilho, alecrim, hortelã, salsa, cebolinha. O mais importante é estudar as condições necessárias para cada um em termos de irrigação, quantidade de luz e tipo de solo para facilitar o processo.
  • Jasmim: bonito com pequenas flores brancas e aroma adocicado.
  • A erva-cidreira ou Melissa, além do forte aroma doce de limão, é conhecida por acalmar a mente, melhorar o humor e melhorar a função cognitiva.
  • Planta aranha (fita ou fita do amor): apreciada por muitos por sua capacidade de sobreviver sem muito sol ou atenção, as plantas aranha estão entre as plantas de interior mais fáceis de cultivar.
  • Violeta africana: Plantas caseiras populares e podem florescer o ano todo
  • A alface, a couve, a cebolinha ou as verduras para salada crescem rápida e facilmente e também são muito úteis para serem comestíveis.

5. Encontre o lugar certo

Depois de escolhidas as plantas, é importante encontrar um local adequado para iniciar uma horta, principalmente dependendo da quantidade de luz necessária. O ideal é uma janela ensolarada, mas você também pode adicionar uma luz de crescimento, se isso não for possível. Se esta for a única opção viável, procure luzes LED de crescimento quando possível, que emitem menos calor do que suas contrapartes. Certifique-se de que não haja cabos acessíveis para a pessoa com demência. A segurança é muito importante.

Você gostou das orientações? Como você pode ver, um “jardim interno terapêutico” pode ser de qualquer tamanho. Cada jardim é tão único quanto o indivíduo para o qual foi criado. O objetivo é fazer com que a pessoa com demência interaja e experimente sentimentos positivos com esta atividade.

Se você tiver sucesso, com certeza seu jardim terapêutico será um sucesso!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.