Qual a melhor cadeira para pessoas dependentes?

4
8115

Hoje bateu a “inspiração terapêutica ocupacional” e resolvi dividir com vocês um detalhe que faz a diferença: cadeiras, cadeiras e cadeiras!! Que cadeiras são as melhores para os clientes que não podem levantar ou até mesmo mudar de posição quando sentado? Será que conforto é realmente a prioridade?

Pois é, hoje em dia temos diversos modelos, com diversas funções e para as mais variadas atividades e ambientes. Isso é ótimo, mas tem que saber escolher. Bem, não ache que a mais confortável é sempre a mais funcional. Pois é, a escolha pode ser um pouco mais “complexa” do que você imagina.

Uma boa cadeira para a pessoa ficar em casa deve favorecer a postura, a atividade e até as transferências, como para a posição de pé. A orientação de um profissional de Reabilitação (Fisioterapeuta ou Terapeuta Ocupacional) especialista em Tecnologia Assistiva, é o ideal porque eles estudam não somente sobre o corpo, mas também sobre os equipamentos que favorecem a preservação das estruturas corporais e a função.

Não se enganem…  a cadeira pode ser uma excelente coadjuvante na saúde ou uma vilã silenciosa.

A “cadeira do papai” é bem comum, né?  apesar de ser nota 10 (poderia até chegar a nota 1.000) de conforto, ela não deve ser a cadeira para a pessoa longos períodos. Todo mundo pode ter ela em casa, mas lembrando de fazer rodízio com outros tipos de assentos “rígidos” que podemos dizer que “exigem mais dos músculos”.  A hora de relaxar completamente é a hora de dormir, certo? Acordada a pessoa deve ser estimulada a ser o mais funcional possível.

As cadeiras com braço sempre são as preferidas para os idosos, ajudam no apoio das mãos, o que além de dar mais segurança, permite mais a independência. Os braços da cadeira vão ajudar na transferência de peso, em outras palavras vão ajudar as pessoas a deslocarem o peso da maneira correta para levantar. O que é bom para o cliente e também para cuidador!

As cadeiras de balanço também podemos dizer que são “uma delícia”, aquele balancinho pode ser um excelente estímulo sensorial (vestibular) que pode ajudar na atenção, mas cuidado especial em relação a essa cadeira está na hora de sentar e levantar (ela mexe e fica “instável”, certo?) para não causar quedas.

Deixei para o fim as cadeiras da moda: acrílico. Pois bem, essas cadeiras são lindas e…. na maioria das decorações, transparentes. Não, não não!!! Essas cadeiras podem ser difíceis de ver, o que as tornam obstáculos invisíveis (o que pode causar quedas) e objetos difíceis de sentar porque não são visíveis. Se na sua casa a cadeira é de  acrílico, mas não é transparente essa conversa muda um pouco, claro.

Um ponto que também deve ser considerado em relação às cadeiras é o material. Cadeiras revestidas com tecidos podem ser difíceis de manter quando o cliente tem incontinência, esteja também atento a isso. Lembre-se também que cadeiras revestidas de couro ou materiais similares podem esquentar, a depender do calor essa não é uma boa qualidade.

Também não é incomum encontrarmos idosos que precisam de apoios laterais para manter a posição sentada, esteja atento a isso e peça opinião de um profissional especializado. A depender como os apoios se mantêm, dor e deformidades podem surgir. Profissionais podem te ajudar a adaptar a cadeira do cliente e favorecer até a respiração, sabia? Pense nisso!

E aí, minha inspiração terapêutica foi aprovada?  No cotidiano temos a chave do sucesso ou os motivos das limitações, pensem e façam as pessoas ao seu redor pensarem! =)

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

4 COMENTÁRIOS

  1. Achei excelente sua matéria e concordo totalmente. As pessoas tendem a optar pela “cadeira do Papai” como o ideal do conforto, porem para um idoso ela se torna uma verdadeira tarefa de gincana o sentar e levantar. Não esquecendo que o idoso já não tem a habilidade nas articulações e acaba “sentando” muito na beira, ficando as costas em posição quase obliqua: o “conforto” vira martirio. Você ja viu aquele sofá bonito de recepção de escritório “elegante”, onde o visitante de estatura mais baixa senta e ao ser chamado, quase precisa de ajuda para levantar???. O ideal é uma cadeira com revestimento de assento confortavel ou colocado sobre ele as espumas anatomicas, mas possibilitando apoios laterais e facilidade no encosto; eu diria uma cadeira “curta” se é que pode ser esse o termo apropriado.

  2. Olá Ana Leite,

    Meu Nome é Patricia, estou indo para o meu último ano de faculdade (4º ano em 2012) de Decoração e Design e o meu Trabalho de Conclusão de Curso será relacionado ao um asilo da cidade: Salto/SP, em que nos alunos teremos que fazer o projeto tanto por escrito como na prática, e como o meu curso me habilita também na área de produto, vi sua reportagem e achei perfeita para o meu projeto: pretendo fazer uma cadeira ergonômica para idosos do asilo de Salto. Eu Gostaria de saber Ana se você poderia me ajudar ou dar assessoria na parte da ergonomia e nas necessidades dos idosos visto que você é especialista nesse assunto. Aguardo sua resposta.
    Muito Obrigada desde já pela atenção.

    Patricia
    06/12/2011.

  3. OLA ANA, MINHA MÃE TEM 85 ANOS , HA DOIS ANOS FEZ UMA CIRURGIA NO FEMUR E COLOCOU UMA PROTESE NA PERNA ESQUERDA , POREM HA 14 ANOS ATRAS ELA FEZ UMA CIRURGIA NA PERNA DIREITA E COLOCOU PINOS , ISSO TUDO POR CAUSA DA OSTEOPOROSE,AGORA ELA TA RECLAMANDO MUITO DE DOR NA PERNA DIREITA ,LEVAMOS AO MEDICO E ELE FEZ UMA RADIOGRAFIA E DISSE A ELA QUE NESSA PERNA NAO TEM MAIS A O ENCACHE , OU SEJA AQUELA “BOLA ” DO QUADRIL E QUE NAO ADIANTA FAZER CIRURGIA POIS PELA IDADE DELA É MUITO ARRISCADO, ELA SÓ ANDA DE ANDADOR. GOSTARIA MUITO DE SABER QUAL É A MELHOR CADEIRA PARA ELA SENTAR POIS ELA PASSA A MAIOR PARTE DO DIA SENTADA. DESDE JA AGRADEÇO

  4. Cuide de minha mãe q a quatro anos deixou de ficar de pé por problemas nos músculos das pernas ,se tornou cadeirante,ela tem sobre peso quase 85 kg ,difícil de levantar ela ,mas fica na cadeira de rodas sempre duas horas de manhã ,e a tarde tbm ,agora comprei a cadeira do papai pra q possa ficar mas tempo na sala conosco ,não sei se faz mal ,fica uma quatro horas na cadeira as vzs reclino as vzs levanto ,ela gosta muito ,será q e errado ,ela tem 84 anos não tem outros problemas de saúde só mesmo esse q falei ,gostaria de sua opinião

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.