A Terapia Ocupacional e a Felicidade

0
157

Mais uma vez faço na história do reab um convite para irmos além. E, esse passo adiante será agora pelo processo de ampliação da consciência sobre as atividades que tanto falamos, estudamos e discutimos em Terapia Ocupacional. Faço esse convite aos terapeutas e pacientes/familiares/cuidadores e a todos aqueles que reconhecem o “poder” que as atividades têm nas nossas vidas.

Mas o que nos falta ter consciência em relação às atividades? Já a estudamos com nomes distintos (ocupação e atividade), já sabemos os pormenores que constituem uma análise de atividade rica o suficiente para nos fazer intervir e melhorar/manter o desempenho dos pacientes; Também sabemos “de cor e salteado” a influência dos ambientes, da cultura, das pessoas e situações sociais e emocionais nas atividades/ocupações. Somos conscientes que papéis, como ser mãe, terapeuta e filho, determinam algumas atividades que precisamos desempenhar. O que nos falta mais?

Nos falta expandir, refletir e agir na relação da atividade/ocupação com a felicidade. E neste ponto quero chamar atenção que não vamos mergulhar em questões filosóficas relacionadas ao tema, mas vamos nos basear na Felicidade como uma “ciência”, algo que tem rendido estudo, atenção e relação com questões muito objetivas das nossas vidas, como a atividade.

(Leia: 3 dicas para envolver o idoso em atividades significativas)

Usando dados de uma das principais autoras sobre a influência das atividades na felicidade, Lyubormirsky (2008) afirma que 40% da capacidade de ser feliz está relacionada com as atividades.

Sendo assim, vamos começar a conversar por aqui sobre esse tema lindo, poderoso e necessário nos dias de hoje: FELICIDADE. Tá preparado? Eu vivencio uma forte sensação de bem-estar só de saber que posso construir com vocês um caminho de troca e construção sobre isso.

Sigamos.

Sobre a fonte que citei: LYUBOMIRSKY, S. A Ciência da Felicidade: como atingir a felicidade real e duradoura – um método científico para alcançar a vida que você deseja. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.