A identificação precoce dos distúrbios de linguagem oral

0
5595

Qualquer que seja o tema do texto, sempre tento reservar um pedacinho dele para reafirmar a importância da intervenção precoce! Mas, se pensarmos bem, a intervenção é uma consequência da identificação precoce…E nesta cadeia, para que a identificação aconteça, os familiares e cuidadores têm que ser instruídos sobre desenvolvimento infantil, bem como conscientes da importância de agir o quanto antes.

Na clínica fonoaudiológica, ainda é bem comum recebermos crianças com 03 ou 04anos e com um quadro de alterações significativas no desenvolvimento da linguagem. Será que ninguém percebeu tais questões anteriormente? Normalmente, sim, as questões foram percebidas e, até, foram feitas queixas formais a os profissionais que a acompanham (na Primeira Infância, normalmente são os pediatras e professores) ou aos parentes mais experientes.
Quando o assunto é linguagem e fala, o senso comum – todos “falantes fluentes” – costuma aconselhar (erroneamente e sem embasamento cientifico) a família da tal criança com dificuldade de que “deve-se respeitar o tempo de cada um” e que “quando ela quiser, falará”… E, então, ao chegar para a avaliação fonoaudiológica, grande parte dos marcos de desenvolvimento estão ausentes ou com evolução alterada.

O que pode significar uma alteração de linguagem

Apesar de não aparentar, o processo de aquisição (ou aprendizagem) da comunicação oral é bastante complexo e é interdependente a inúmeros outros aspectos, podendo desequilibrá-los ou ser afetado por um desses (por ex, deficiência auditiva – leia aqui):

– No caso do atraso simples de linguagem, esse poderá causar prejuízos emocional e/ou social e, portanto, a intervenção precoce trará bons resultados em relação à comunicação e evitaria o surgimento de consequências decorrentes da dificuldade de comunicação e expressão das ideias e sentimentos;
– Em quadros de atraso de aquisição de linguagem que são parte de atrasos globais ou decorrentes de alterações de base (auditiva, neurológica, psicológica ou cognitiva), a investigação fonoaudiológica poderá direcionar a um diagnóstico e intervenções interdisciplinares.

Independente do tipo de distúrbio vale ressaltar que, no contexto mundial, pesquisas mostram que o tempo de terapia é diminuído substancialmente quanto antes o trabalho for iniciado, bem como o prognóstico tende a ser muito melhor.
O que é esperado em relação ao desenvolvimento de linguagem oral na Primeira Infância

A pesquisa cientifica na Fonoaudiologia é tão consolidada como nas outras áreas da saúde, então os marcos e etapas do desenvolvimento linguístico devem ser também considerados para que a identificação (e a posterior intervenção) precoce possa acontecer, caso haja necessidade! Um quadro interessante e de fácil leitura dos Conselhos Regionais e Federal de Fonoaudiologia (CRFa e CFFa) mostra os aspectos mais relevantes da comunicação:

Captura de Tela 2015-09-08 às 16.23.30

Para finalizar, é importante reafirmar que qualquer alteração deve sim ser acompanhada por um especialista, que dará orientações adequadas à família e fará o acompanhamento e atividades necessários!

Lembrem-se, ainda que a busca ágil pelo fonoaudiólogo que, muitas vezes, é considerada uma atitude desnecessária ou antecipada, poderá  fazer a diferença na vida da sua criança.

Até breve!

 

 

Veja também: 

A identificação precoce: um “talvez” é tudo o que você precisa!

Areia de modelar: conheça esse brinquedo!

Incluir exige generosidade

Homer Player: aplicativo de audiobook pensado para idosos e pessoas com deficiência visual

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.