Vídeo de coreógrafa (lindo!!) mostrando os dançarinos com Alzheimer.

53
14565

Em colaboração com a coreógrafa Janice Parker, esse vídeo foi feito com pessoas com demência que foram convidadas a dançar.

Em outros posts, já falamos do poder da música como recurso terapêutico, e esse vídeo veio em uma perspectiva diferente que nos mostrou mais uma possibilidade de uso e de satisfação. Tanto para quem aplica o recurso quanto para quem usufrui dele. Muito gostoso! Temos certeza que vocês vão gostar!!!

Muito legal, não é? Esse vídeo foi dica de um dos leitores (Fábio Galvão) do nosso Facebook (não conhece, clica aqui!) e foi uma grata surpresa!

Se você tiver uma intervenção que queira divulgar aqui no site, envia texto e imagens para: contato@reab.me. Vai ser um prazer mostrar o que vocês têm feito e visto por aí.

Ah, para quem se interessa pelo universo do Alzheimer nosso caderno de exercícios Reab é uma excelente sugestão para estimulação e para o processo de Reabilitação Cognitiva de idosos com Alzheimer: Clica aqui e vai conhecer!

Quer ver outros posts nossos relacionados com música na terapia? Clica aqui!

Fonte: You Said You Liked The Dancing from Martin Clark on Vimeo.

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Mais e quase tudo sobre minha história: Ana Leite, formada em Terapia Ocupacional na Universidade Federal de Pernambuco (Brasil). Minha experiência clínica como terapeuta é com a pessoa adulta e idosa com disfunção cognitiva que apresenta dificuldades na realização de suas atividades cotidianas. O processo de tratamento dos meus pacientes sempre envolveu intervenções que visavam a maior participação possível em atividades cotidianas significativas. As ferramentas utilizadas nesse processo incluíam orientações sobre adaptação do ambiente e da tarefa a ser realizada, organização de rotina e estimulação/reabilitação cognitiva. Tenho especialização em Tecnologia Assistiva, onde me instrumentalizei sobre o uso equipamentos e dispositivos que podem aumentar/permitir a funcionalidade. Fiz mestrado em Design, na linha de pesquisa de Ergonomia. Participei do desenvolvimento e validação de uma metodologia de avaliação do ambiente construído (MEAC). Na minha pesquisa estudei as variáveis arquitetônicas do ambiente moradia das pessoas idosas que residiam em ILPI (Instituição de Longa Permanência para Idosos). Nesse processo pude acrescentar ao conhecimentos da Terapia Ocupacional esse olhar mais aprofundado sobre o ambiente de moradia. Assim, compreendendo melhor qual o impacto que o ambiente físico/construído possui no funcionamento diário das pessoas idosas. Sou criadora da primeira marca digital, em língua portuguesa, dedicada a produção/divulgação de conteúdo especializado no contexto de reabilitação, reab.me. Produzo conteúdos textuais e audiovisuais através da curadoria de revistas científicas e outras referências técnicas; edito conteúdos de colaboradores, profissionais de reabilitação, de diversas áreas, que escrevem para o reab. Além de assuntos técnicos, escrevo sobre questões relacionadas à saúde mental dos terapeutas, tendo em vista a crescente necessidade de falar de autocuidado e bem estar para os profissionais de saúde. Tema que tem surgido de forma crescente e preocupante nos bastidores de prática clínica e até em pesquisas. O reab.me edita, produz e distribui em loja digital própria (que vocês encontram aqui no site!), produtos para serem usados por profissionais, cuidadores formais e familiares no processo do cuidar. Os produtos desenvolvidos contam com outros profissionais que opinando, através dos seus conhecimentos específicos, e testando contribuem na co-criação desses produtos. Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

53 COMENTÁRIOS

  1. Muito bonito !
    Uma experimentação cheia de alegria, reencontros emocionais, lembranças de épocas áureas, movimentos tão simples e contidos que tanto significam para alguém com alzheimer…
    Bela iniciativa poética !

  2. Muito lindo, eu trabalho com a Dança/Movimento Terapia com idosos em casas de repouso e o retorno do movimento sentido, trabalhando junto as memorias e reconquista delas é magnifico, ainda minhas idosas com parkinson, alzheimer e demência rapidamente chegam ao aqui agora de forma divertida e sobre tudo na relação em movimento com os outros; é de se emocionar, eu ganho um grande presente a cada vez que estou com eles, os sorrisos, as lembranças, os tremores que vão se organizando. Pena que tenho contrato de privacidade se não dava para postar o trabalho e como eles vão se recuperando dentro das suas próprias limitações. É belissimo, eu amo as minhas sabias idosas que a cada momento se trazem de presente a vida. E não é só escutar a musica, é se mover com ela…

  3. Sempre achei que os grandes dançarinos, aqueles de verdade, precisavam seguir certas premissas. Ela, com o inseparável saiote branco rodado e dançando apenas na ponta dos pés, e ele com aquele cerolão sem saída pros pés e trejeitos afeminados. Acho que me enganei.

  4. Muito lindo este vídeo; eu trabalho com a Dança/Movimento Terapia com idosos em casas de repouso e o retorno do movimento sentido, trabalhando junto as memorias e reconquista delas é magnifico, ainda minhas idosas com parkinson, alzheimer e demência rapidamente chegam ao aqui agora de forma divertida e sobre tudo na relação em movimento com os outros; é de se emocionar, eu ganho um grande presente a cada vez que estou com eles, os sorrisos, as lembranças, os tremores que vão se organizando. Pena que tenho contrato de privacidade se não dava para postar o trabalho e como eles vão se recuperando dentro das suas próprias limitações. É belissimo, eu amo as minhas sabias idosas que a cada momento se trazem de presente a vida. E não é só escutar a musica, é se mover com ela…

  5. Uma amiga teve seu primeiro bebê e, lá pelos 8, 10 meses ele demorava a dormir, ficava agitado, inquieto e, então, tive a ideia de colocar músicas executadas por Zampfir, grande músico solista da Flauta Pan. Daí, ele foi acalmando, foi gostando do som suave da Flauta Pan. Depois eu mudei para Flauta Transversa, Clarinete, Piano….e cresceu gostando de tudo isso….desse universo da música. Hoje, ele faz Especialização em Regência, na Alemanha e é Pianista…lá na Alemanha. Então, a Música faz milagres. Esse vídeo é a maior prova disto. Parabéns…..vocês obtiveram um resultado fantástico.

  6. Excelente vídeo! Realmente belíssimo!
    Que precisa ser visualizado pelos portadores de Alzheimer.
    Para que entendam, que mesmo com a doença podem ter uma vida mais atuante…
    E para os familiares, para que façam algo em prol…

  7. Excelente vídeo! Realmente belíssimo!
    Que precisa ser visualizado pelos portadores de Alzheimer.
    Para que entendam, que mesmo com a doença podem ter uma vida mais atuante…
    E para os familiares, para que façam algo em prol.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.