Treinando criança com deficiência para usar o banheiro: aprenda o básico!

5
2869

A questão de quando e como começar o treinamento do toalete pode ser particularmente difícil para os pais de crianças com deficiência.

Mas, uma coisa parece fato: aqueles pais que têm filhos com deficiência parecem apreciar e comemorar mais o processo de treinamento do toalete. Isto, provavelmente, porque significa mais um passo no desenvolvimento global da criança, mais um desafio vencido! Este processo pode ser uma oportunidade para descobrir como a criança aprende melhor, bem como usar dessa vitória como um exemplo que a criança é capaz de progredir.

O treinamento do toalete funciona melhor quando os pais dessas crianças têm acesso à orientação, instrução e encorajamento. O primeiro passo para começar é perceber se a criança está pronta.

Os sinais de prontidão para todas as crianças são:

Ela percebe a diferença de estar molhada ou seca?
Ela pode sentir quando precisa ir ao banheiro urinar ou evacuar?
Ela é capaz de atingir penico ou o banheiro a tempo (com a sua ajuda)?
Ela pode se despir e vestir ou está pronta para aprender?
Ela é motivada para dar esse próximo passo?

Acreditamos que essa última pergunta é a mais importante quando o assunto são crianças com deficiência, até porque as demais podem não ter de pronto uma resposta positiva por um impedimento da própria deficiência que exige adaptações, concordam?

Se a criança está em uma fase de resistência, não está pronta para assumir um novo desafio ou ainda não se sente à vontade para se comportar “como as outras crianças “,  você precisa dar um tempo e prepará-la/ conscientizá-la da importância deste processo.

Se você acha que a criança está pronta, converse com o pediatra e outros profissionais que trabalham com ela. Você terá acesso a opiniões e orientações valiosas, baseadas nas necessidades específicas da criança que você acompanha.

Também é importante se preparar emocionalmente antes de embarcar nesta experiência. Crianças com deficiências muitas vezes começam o treinamento do toalete mais tarde do que outras crianças, muitas vezes a conclusão do processo ocorre anos depois de iniciado, o que exige paciência. Acidentes acontecem e, é claro, que você vai precisar recorrer a uma dose extra de paciência e humor quando eles ocorrerem.

As deficiências físicas podem prejudicar a capacidade de uma criança de se tornar plenamente treinado para o banheiro. Se a criança enfrenta uma situação de desafios físicos, você terá que pensar  como a deficiência afeta cada etapa do treinamento do toalete e como você pode compensar essa desvantagem. (Lembre-se que os profissionais que acompanham a criança podem te ajudar com orientações valiosas). Se a criança não sentir a necessidade de urinar, tem dificuldade ficar em um penico ou vaso sanitário padrão, ou ainda, dificuldade para o uso do papel higiênico, ela vai precisar de apoio extra (como equipamentos adaptados) para aprender a dominar estas novas tarefas.

As crianças com deficiência visual, assim como os adultos, experimentam uma desvantagem em várias fases do treinamento. Em primeiro lugar, elas são incapazes de observar os membros da família e colegas que usam o banheiro, então elas não podem imitar esses comportamentos. Os detalhes de onde o penico é no banheiro, como o corpo é orientado enquanto se senta, como a urina e as fezes entram no penico, como se puxa, corta e usa o papel higiênico vão precisar de mais explicações para que ela venha a entender como funciona o processo. Portanto, nesses casos, você provavelmente vai querer esperar um pouco mais para começar,  até que a criança tenha três ou quatro anos (ou até mais tarde) para que ela possa compreender totalmente o que você está dizendo a ela.

Quando o adulto está pronto para introduzir a criança com deficiência visual para uso do sanitário, ele começa permitindo que ela explore e localize o banheiro. (Certifique-se de que este ambiente seja agradável e seguro para que ela queira usar). Colocar as mãos nos ombros do adulto para que ela possa sentir alguém sentado no vaso sanitário, enquanto explica o que você está fazendo e porque; deve-se também orientar as mãos da criança em direção ao papel higiênico , a descarga e a pia. Depois de ter colocado um penico no banheiro, faça de tudo para mantê-lo no mesmo lugar durante todo o processo de treinamento. Fale com a criança sobre o uso de vaso sanitário em outras vezes, também, ressalte que a maioria das pessoas sabem usar o banheiro e que o uso de vaso sanitário é um sinal de ser uma criança grande, que pode cuidar de si mesma.

Uma vez que ela começa a praticar o uso do penico, você terá que manter o banheiro e a passagem para ele livre de obstáculos. Um penico musical que é ativado quando a urina atinge a bacia pode tornar o processo de aprendizagem mais divertido. Ensine a criança a sentir a borda do assento antes de jogar o papel higiênico e, se a criança é um menino ensine-o a urinar em pé de forma correta para que ele não urine no vaso sanitário. Finalmente, quando ela estiver mais confortável com o uso do banheiro, leve-a em outro banheiro que não o de casa. Assim, vai ajudá-la a se familiarizar com a grande variedade de layouts e estilos de WC . E, sobretudo, você vai ajudar a construir a auto-confiança da criança.

Crianças surdas ou com dificuldades de audição podem encontrar dificuldade no treinamento do toalete nos casos em que há dificuldade na comunicação. Uma criança que já é fluente em linguagem de sinais pode contar com uma combinação de observação visual e explicações. As crianças que ainda não têm a capacidade de entender os sinais podem não estar prontas para o treinamento até que estejam um pouco mais velhas.

A chave para a formação nestes casos é manter o processo simples. Introduzir o conceito, enfatizar o exemplo: permita que seu filho observe você (e, melhor ainda, outras crianças ) usando o banheiro, e mostre livros ilustrados sobre o assunto. Escolha um gesto ou sinal para os termos essenciais ( xixi, cocô , bacia , molhado , seco, e “precisa ir” ) . Use esses gestos cada vez que você usar o banheiro, bem como na hora de trocar a fralda faça o ” molhado ” (com uma cara triste ) e o “seco” ( com uma expressão feliz ),  o ” precisa de ir ” quando é hora de se sentar no penico.

Ah, a última dica é super importante: sempre ressalte e faça festa com os ganhos!!! Eles são muito importantes para manter a criança motivada!!

Alguém aí já teve a experiência de treinar crianças com deficiência neste contexto? Se sim, comente e acrescente nosso post!

fonte: healthychildren.org  imagem: laura4smith

 

Cadernos de exercícios para estimulação cognitiva Reab.me!

cadernos

 

5 COMENTÁRIOS

  1. Anaa.. to com uma adolescente que está c mts dificuldades para usar o papel higiênico, ela tem pc, ao ir no banheiro ela pega o papel fazendo um grande amassado e para limapr o bumbum ela sempre se suja. Vc tem alg sugestão? Não conheco adaptações e já tentamos algumas coisas, mas ainda não cinseguimos um bom resultado. Obrigada!

  2. Bom dia trabalho com crianças com deficiência e cada dia e uma nova surpresa. A última foi uma jovem de 12 anos com paralisa cerebral quadriparetica, deficiência mental leve e deficiência visual. O treino foi durante 2meses com a participação de toda a família. Inicialmente começamos no período de férias da criança onde a mãe solicitava que a filha a avisasse antecipadamente quando quisesse fazer xixi ficaria mais tempo de frente a TV foi uma V base de troca. Acabou que deu muito certo devido o interesse da criança.

DEIXE UMA RESPOSTA