Treinando criança com deficiência física para usar o banheiro

2
4166

Crianças com Paralisia Cerebral não só tendem a demorar a ter controle da bexiga, mas podem não ter consciência o suficiente da bexiga com dois ou três anos de idade para começar o treinamento do toalete. Se a criança tem Paralisia Cerebral, ela terá que ser ajudada a desenvolver a consciência e perceber que ela precisa ir ao banheiro, e você terá que perceber os sinais da vontade, que pode ser segurar os órgãos genitais ou se remexer ansiosamente. Ela vai ter que ser capaz de adiar a micção até que ela esteja em posição no penico/vaso. Bem como, a depender do caso, ela terá que remover suas roupas e, em seguida, manter-se no penico/vaso (com suportes) por tempo suficiente para alcançar o sucesso.

A realidade da mobilidade limitada, tônus ​​muscular alterado ou medicamentos tende a causar constipação nas crianças com Paralisia Cerebral portanto preste atenção especial na dieta. Certifique-se de que ela está bebendo muito líquido e ingerindo muita fibra.

Quando ela começa a praticar a remoção das roupas antes de ir ao vaso, torne esta etapa mais fácil, fornecendo roupas com velcro ou  om cintura elástica. (Ela pode achar que é mais fácil tirar a roupa enquanto está deitada, veja com o terapeuta ocupacional da criança a melhor forma de treinar esse momento). Você pode precisar aprender formas de segurá-la, de manter o penico e/ou um assento adaptado no vaso para que a criança possa se manter sentada.
Condições como Espinha Bífida ou Lesão Medular tendem a criar problemas semelhantes aos de crianças com Paralisia Cerebral, mas a depender do caso, essas crianças podem nunca utilizar plenamente um vaso sanitário como a maioria das pessoas.  Assim, o treino pode estar focado em ensinar a criança a remover a urina através de um cateter em uma base regular, e ir ao banheiro em uma programação regular para as necessidades intestinais. A dieta rica em fibras , com bastante líquidos e refeições servidas em uma programação regular vai tornar esse processo mais fácil. Às vezes é necessário um laxante ou até mesmo um supositório. Uma vez que a criança vai ter dificuldade para remover suas roupas, certifique-se de ter roupas que facilitem esse processo.

Os pais de crianças com deficiências físicas, como Paralisia Cerebral ou Espinha Bífida, podem estar tão concentrados na forma habitual de ir ao banheiro que negligenciam a necessidade de equipamentos adaptados ou suporte físico; bem como, negligenciam quando há dificuldades cognitivas e emocionais necessárias para obter sucesso no treinamento do banheiro.

Não se esqueça que durante o treinamento é importantíssimo conversar com criança, explicar o motivo de cada coisa que está acontecendo. Deixá-la observar outras pessoas usando o banheiro e parabenizar, recompensar quando ela consegue passar para uma etapa nova, mesmo que não seja a ida ao banheiro completa em todas as suas etapas. Resista à tentação de abandonar o treinamento quando ela resiste ou protesta um pouco, e mantenha-se firme sobre o cronograma ou a rotina que criou, a menos que a experiência torne-se negativa e seu filho torne-se muito resistente. Nestes casos, converse com um psicólogo. Lembre-se, o  progresso nesta área de autocuidado é especialmente significativo, aumenta a auto- confiança e prepara a criança para mais desafios. Dê toda a informação, atenção e apoio que a criança precisa para ter sucesso.

Posts que podem te interessar:

– Treinando criança com deficiência para usar o banheiro: aprenda o básico!

Aplicativo para motivar as crianças a usarem o banheiro

fonte: www.healthychildren.org

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

2 COMENTÁRIOS

  1. como faço para eu ter um desse em meu banheiro porque tenho um filho com paralisia celebral ,amei esssa ideia para colocar seu filho no banheiro

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.