Pesquisa publicada nos “Anales de Psicologia” analisou a capacidade de generalização da aprendizagem em crianças e adolescentes com Síndrome de Asperger quanto aos aspectos cognitivos de atenção com diferentes demandas às exercitadas durante um programa de estimulação cognitiva direta.

Neste programa as tarefas devem ser administradas repetidamente para facilitar o crescimento ou regeneração neuronal e, portanto, a melhoria da função; e as metas e objetivos devem ser organizados de forma hierárquica para facilitar a administração das tarefas de forma sistemática.

Nesta linha linha contínua do (O Transtorno do Espectro Autista), a Síndrome de Asperger (SA) se situa na zona superior do espectro, representando a parte menos severa e com maiores habilidades cognitivas e de linguagem.

A clínica da SA referencia interações sociais inadequadas, dificuldade para utilizar e interpretar corretamente as pistas sociais, a comunicação e o uso de linguagem (gestos e entonações inadequadas, dentre outras), bem como pela repetição de certos comportamentos e interesses restritos. Além dessas peculiaridades, nota-se determinados aspectos cognitivos, dentre eles os problemas de atenção que, se não de maneira universal, mas muito frequentemente são observados na SA e marcam um estilo de aprendizagem e funcionamento no cotidiano.

O objetivo deste estudo foi avaliar a capacidade de generalização da aprendizagem em atividades com requisitos atencionais, mas com demandas diferentes às exercitadas durante o programa de estimulação cognitiva (pensadas de acordo com as peculiaridades cognitivas da SA e do Autismo de Alto Funcionamento) denominada Attencion Game.

O Attention Game é um programa de intervenção informatizado de aplicação individual a partir de 8 anos cujo objetivo é o treinamentos dos aspectos atencionais de atenção seletiva, sustentada, alternada e atenção dividida. A informação é apresentada com frases diretas e breves com suporte visual e através de um Agente Pedagógico (AP) informatizado e o treinamento é dirigido por um responsável que oferece aprendizagem ser erro. O treinamento é de complexidade crescente com diferentes estímulos visuais e auditivos.  (Para mais detalhes, acesse o estudo).

A amostra consistiu de 15 casos com SA entre 7 e 15 anos com dificuldades de atenção, medidas através de instrumentos; um programa de treinamento de atenção foi implementado por duas horas por semana, durante seis meses consecutivos. Os resultados da análise pré e pós-teste mostrou diferenças estatisticamente significativas em todos os subsistemas de atenção. As diferenças de atenção seletiva foram de magnitude moderada nas variáveis relacionadas à velocidade de processamento e o tempo de reação diminuiu significativamente, aumentando os sucessos e reduzindo os erros. NA atenção alternada se observou um maior número de acertos, e na dividida se obteve maiores níveis de respostas. Concluiu-se que a melhora no rendimento atencional através de um treinamento cognitivo específico foi capaz de ser generalizado e melhorar a aprendizagem. (São feitas algumas ressalvas no estudo quanto a este aspecto, valendo a leitura dos mesmos).

 

Para acessar o estudo, clique no link a seguir:

 

COMPARTILHAR
Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE). Especialista em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design e Ergonomia (UFPE). Consultora em Tecnologia para Reabilitação.

2 COMENTÁRIOS

  1. Olá,

    Gostaria de saber se existem aplicativos que atuem nesse sentido, pretendendo uma melhora cognitiva, ou atenuação dos sintomas problemáticos. Se possível, algo específico ao SA.

    Você teria alguma indicação?

DEIXE UMA RESPOSTA