Sobre atividades para pessoas com a tempestade que é a demência

3
3329

A demência é um ladrão, que muitas vezes tira o passado e impede desfrutar do futuro. Mas, como um furacão que chicoteia através de uma cidade deixando alguns prédios intactos, a demência pode roubar uma pessoa apenas de partes de sua memória.

Demência é um termo geral que é, muitas vezes, é empregada para se referir a doença de Alzheimer, que é uma doença progressiva caracterizada por anormalidades cerebrais específicas. Somente um médico pode distinguir entre o Alzheimer e outros tipos de demência.

Há muitas atividades úteis e alegres para as pessoas com demência, que não só tornam a vida mais prazerosa, mas que podem retardar o avanço dos sintomas.

1. Desfrute do passado. Uma pessoa com demência pode lembrar de acontecimentos e pessoas do passado, mas ser incapaz de encontrar as palavras para nomeá-los ou para expressar as suas memórias. Você pode ajudar a criar álbuns de fotos ou montagens. Se uma pessoa está em um lar para idosos, é muito útil colocar fotos da família e amigos sobre um painel com seus nomes embaixo. O paciente pode ser capaz de apontar para a pessoa que os visitou naquele dia, iniciando assim uma conversa. A demência muitas vezes leva memórias distantes de curto prazo primeiro, foque no que ainda está lá e divirta-se relembrando.

2. Aprenda novas habilidades. Você não precisa falar em voz alta (a não ser, naturalmente, se a pessoa é deficiente auditiva) e você não precisa usar termos como para uma criança de três anos. O que o pode faltar na pessoa com demência é a capacidade de iniciar nova atividade. Dê-lhes os materiais para uma atividade nova de artesanato e instruções fáceis. Também podem ter interesse em aprender algo como o plantio de um jardim ou ajudar a planejar um jantar simples.

3. Estimular os sentidos. Música, especialmente as canções de  juventude, ficam conosco para sempre. Se a pessoa é um amante dos hinos da igreja, levar-lhe à igreja ou para apresentações de música gospel. Muitas vezes, em lares, há musicoterapia diária que encoraja os pacientes a cantar ou tocar instrumentos simples.

Fonte: Helium

Foto: Combus.T Flickr

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

3 COMENTÁRIOS

  1. Adoro dicas!! Coincidentemente usei a dica 2 com uma idosa que estava supe confusa, querendo ir embora pra casa, dentro de uma instituição de longa permanecia. Para minha felicidade ela aceitou participar de uma atividade de artesnato e ficou 45 minutos concentrada e investindo na atividade de decoupage. Se esqueceu que queria ir para casa por quase uma hora, sofreu menos minutos naquele dia !!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.