O crescimento da população idosa vem aumentando a cada dia e com a idade, geralmente aparecem alguns fatores que levam à dependência ou necessidade de supervisão, exigindo que exista alguém com a atenção voltada diretamente para o cuidado com esse público, sendo estes denomidados “Cuidadores de Idosos”.

No dia 20 de março é comemorado o “Dia Nacional do Cuidador de Idosos“, a data não apenas representa o cuidado, mas também reforça que precisamos valorizar mais a profissão, investir em capacitações e espalhar sua importância para um melhor desenvolvimento da saúde física, cognitiva e social do idoso.

O terapeuta ocupacional, gerontólogo e coordenador do curso de cuidadores de idosos em Recife, Antônio Rodrigues, sugere algumas dicas para tornar o trabalho dos cuidadores de idosos ainda melhor:

  1. Investir em capacitação: Para garantir uma melhor qualidade da assistência ao cuidador do idoso.
  2. Esclarecer o papel do cuidador: Desmistificar preconceitos relacionados ao trabalho, deixando claro os deveres de um cuidador de idosos frente às necessidades do idoso, eliminando qualquer ideia de trabalho doméstico que se venha a ter.
  3. Manter boa relação com a família: Eles que conviveram durante a vida do idoso e poderá te fornecer informações que podem ajudar durante o cuidado, como os hábitos e rotina.
  4. Criar vínculos: A afetividade entre o cuidador e o idoso, garante que o trabalho não seja massante, além de proporcionar que o idoso aceite melhor os cuidados profissionais.
  5. Cuidado com expressões: Evite chamar o idoso de vovô ou vovó, dependendo do quadro, o idoso pode se confundir. Lembre-se que você está lá como profissional.
  6. Criar um diário: O diário servirá de acompanhamento tanto do cuidador, quanto da família em relação à rotina do idoso, lembre-se de anotar desde ocorrências relacionadas à saúde, até quais as estimulações que foram feitas no dia.
  7. Participar das terapias com o idoso: É importante, pois é um momento de tirar dúvidas e receber orientações para o dia-a-dia do idoso.
  8. Seguir orientações: Na maioria das vezes os profissionais de saúde deixam orientações de exercícios e/ou atividades para serem feitas em casa. Lembre-se que estimular também é uma atribuição do cuidador.
  9. Evitar diminutivos: É muito comum que idosos sejam tratados com comportamentos infantis, como “Vamos ficar sentadinha alí?” ou “Vamos comer um macarrãozinho hoje?“, habitue-se a se comunicar sem os diminutivos.
  10. Respeite os horários de descanso: Geralmente idosos gostam de tirar alguns cochilos durante o dia, o importante aqui é evitar que esses cochilos ocupem a maior parte do dia do idoso, o privando de vivências sociais, de lazer ou de estimulação.
  11. Seja criativo: Busque realizar com o idoso atividades que sejam divertidas para ambos, ir ao parque, fazer uma caminhada na rua e cumprimentar os vizinhos, saia da “mesmice” e experimente algo novo, lazer também estimula.
  12. Comportamento: etiquetas profissionais em relação ao cuidado, cuidado com o uso de Smartphone, existe bastante queixa dos próprios idosos e famíliares quanto ao uso excessivo durante o trabalho.
  13. Cuidado com as vestimentas e acessórios: Lembre-se que o idoso de hoje viveu em uma outra época e geralmente possui algumas predominâncias culturais que podem prejudicar na relação idoso/cuidador.
  14. Procure descansar: O trabalho de cuidador exige uma sobrecarga de cuidado imensa, por isso, procure relaxar durante à noite e fazer atividades de lazer em suas folgas, pois você precisa estar bem e descansado para oferecer o melhor no seu trabalho.
  15. Organize sua rotina de trabalho: Favorecendo o descanso, citado acima, além de facilitar o cuidado, determinando horários para cada atividade com o idoso.

Lembre-se que, o bem-estar dos idosos e até recuperação, em alguns casos, depende do tratamento dos cuidadores para com os idosos, procure sempre atualizações para um melhor cuidado.

 

Gostou das dicas? Tem algo a acrescentar? Manda pra gente nos comentários.

 

Imagem Freepik

3 COMENTÁRIOS

  1. Lamento informar que, no alto dos meus 86 anos, sou forçada a conviver com CUIDADORAS sem a mínima vo-cação para a atividade que exercem. Devo esclarecer que conto com cuidadoras-amigas, muito bem preparadas e cultas, com as quais me sinto muito bem. Se dependesse de mim, ficaria apenas com as mais bem informadas, capazes de me transmitir notícias úteis e – o que é mais importante – estão sempre BEM HUMORADAS. O meu maior transtorno é a falta de orientação espacial. Aproveito o ensejo para agradecer o espaço que vocês me proporcionaram. MUITO OBRIGADA>

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.