As mulheres grávidas que usam um telefone celular com uma frequência média ou alta têm maiores chances de ter um filho com problemas comportamentais, especialmente hiperatividade e desatenção.

A pesquisa foi realizada a partir dos dados de 83,884 pares mãe-filho da Espanha, Dinamarca, Coréia, Holanda e Noruega. Os cientistas analisaram o comportamento de mulheres grávidas e seus filhos com idade entre 5 e 7 anos.

O estudo aponta que as mães que não usam telemóvel durante a gravidez tiveram menos crianças com problemas comportamentais, tais como hiperatividade, desatenção ou dificuldades emocionais. 38,8% delas não usaram o telefone celular durante a gravidez (principalmente mulheres do coorte dinamarquês de 1996-2002, quando o celular era usado muito menos do que agora). 29% das mães usaram ​​pouco, 27% tiveram uma utilização média e 5,7% foram classificadas como usuárias com alta freqüência.
De todas as crianças testadas, 6,6% tinham dificuldades comportamentais gerais, 8,3% apresentaram hiperatividade e desatenção, e 12% tinham problemas emocionais.

Para ter acesso ao artigo e saber mais: Environment International. Volume 104, July 2017, Pages 122-131

COMPARTILHAR
Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE). Especialista em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design e Ergonomia (UFPE). Consultora em Tecnologia para Reabilitação.

DEIXE UMA RESPOSTA