Em nosso vídeo do Youtube sobre Terapia Ocupacional (você pode assistir e se inscrever no canal clicando aqui) falamos das diversas possibilidades de atuação do terapeuta ocupacional, todas elas relacionadas ao desempenho da pessoa em seus vários contextos de vida.

A escola é um desses contextos onde a pessoa pode apresentar dificuldades que interferem no desempenho. Na Educação o profissional de terapia ocupacional atua com alunos que apresentam:

  • risco de fracasso escolar
  • transtornos específicos de aprendizagem
  • alunos com deficiências
  • transtornos de coordenação motora
  • dificuldades no processo da escrita
  • posturas inadequadas
  • outros entraves para aprendizagem

Tudo começa com uma queixa que pode vir do aluno e seus familiares ou da própria unidade escolar, que nota a dificuldade do aluno, por exemplo, em acompanhar a turma. Investigar o motivo dessa dificuldade dentro daquele ambiente e contexto social faz parte do processo de avaliação do profissional de T.O. Essa etapa incluirá a avaliação do aluno e suas habilidades, entrevista com familiar/responsável e professor(es) e análise, observação do ambiente em ocorre o desempenho.

O resultado dessa avaliação será repassada aos familiares e a unidade escolar que ficará ciente das habilidades e funcionalidades desse aluno. Bem como, sobre a possível necessidade do aluno de realizar as atividades de forma diferenciada, utilizando recursos pedagógicos específicos (cabendo ao professor adequar o assunto e suas avaliações à necessidade do aluno) e/ou Tecnologias Assistivas, como uso de dispositivos assistivos para comunicação, escrita, recorte, uso do computador e de outros recursos.

Em paralelo às adaptações necessárias ao desempenho escolar satisfatório, o aluno pode necessitar de acompanhamento do T.O que utilizará atividades com materiais diversos para o trabalho com as habilidades de desempenho, como as funções cognitivas superiores e a coordenação motora, por exemplo. Orientações para casa também se fazem necessárias, tendo em vista que aspectos como a forma de segurar o lápis e a postura adequada podem ser cruciais para um bom desempenho na hora de fazer as tarefas de casa.

Melhorar o desempenho ocupacional e escolar, auxiliando no processo ensino-aprendizagem faz parte do papel do terapeuta ocupacional junto à escola. E sempre é bom lembrar que na escola se desempenha não apenas o papel de estudante, mas também de colega de sala, sendo assim, variadas são as exigências de habilidades e comportamentos que estão relacionados ao papel de estudante e que o olhar do terapeuta ocupacional deve considerar esse todo.

Se você se interessou pelo assunto, indicamos o capítulo do livro que usamos como referência:

CASTELEN, C. T. da S. Terapia Ocupacional na Educação. Terapia Ocupacional: “Vivências de Santa Catarina”. Volume 2. 2015

Outros que podem te interessar:

Dica de Livro!! Transtornos da Aprendizagem: Abordagem Neurobiológica e

Reflexões sobre Aprendizagem e Reabilitação: um Olhar Psicopedagógico 

Faça um plano inclinado para escrever com materiais de papelaria!

COMPARTILHAR
Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE). Especialista em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design e Ergonomia (UFPE). Consultora em Tecnologia para Reabilitação.

DEIXE UMA RESPOSTA