O Sr. Cabeça de Batata vai à terapia como recurso para habilidades motoras e cognitivas

4
6302

O brinquedo mundialmente conhecido, o Sr. Cabeça de Batata, pode ser um excelente recurso terapêutico.

O Sr. Cabeça de Batata já é muito usado nos consultórios do mundo e você vai saber agora o motivo, ou melhor, os motivos:

1. Habilidades de preensão: As partes do Batata incentivam as crianças à segurar e manipular usando a pinça (polegar e indicador) e, talvez, o dedo médio. Esta habilidade deve surgir aproximadamente aos 9 meses de idade, mas muitas crianças com atrasos de desenvolvimento ou limitados pela falta de oportunidades de brincadeiras que exijam motora fina exibem padrões de preensão menos maduros, com a preensão mais  “ulnar” ou até mesmo com toda a palma da mão (“preensão palmar”).

2. Integração Bilateral: Ambas as mãos trabalham juntas bem na frente do corpo (na linha média), enquanto uma mão segura o Batata e a outro manipula as partes. Para uma abordagem diferente, as crianças podem praticar estas habilidades rolando uma mansinha com um rolo (ou usando um copo deitado), utilizando ambas as mãos e, em seguida, criar apenas  um rosto sobre a mesa usando as peças do Batata. Essas habilidades de linha média e bilaterais devem desenvolver por cerca de 1  1/2 ano e são importantes para o desenvolvimento posterior de competências de nível superior, como manter o papel estabilizado enquanto escreve

Captura de Tela 2013-12-27 às 22.27.39

3. Movimentos dissociados e controle postural: Se as crianças estão brincando em pé com Cabeça de Batata apoiado sobre uma mesa de tamanho infantil, as peças vão inevitavelmente cair no chão. Isto dá-lhes a oportunidade de endireitamento e ajustes de equilíbrio durante os movimentos funcionais para pegar as peças no chão.

4. Figura-fundo: Quando todas as partes do Batata estão no chão ou na mesa e se pede as crianças para encontrar certas partes usando apenas os olhos. Para fazer fazer isso, eles devem analisar visualmente a pilha de peças e isolar a que estão procurando. Esta habilidade é similar ao que as crianças mais velhas fazem quando buscam as palavra durante a leitura e escrita eficientes. Você pode tornar essa atividade mais complexa despejando vários conjuntos de peças do Batata para que haja ainda mais estímulos visuais.

5. Fechamento Visual: Ao identificar as peças que querem a partir das apresentações incompletas no monte de peças ocorre porque essa habilidade é acionada.

6. Memória: Quando damos um modelo para a criança seguir e reproduzir exigimos da memória visual dela.

7.  Identificar as partes do corpo: As crianças sãoidentificam uma parte do corpo aproximadamente dos 15-19 meses, três partes do corpo dos 19-22 meses, seis partes do corpo por 22-24 meses, e sete ou mais partes do corpo por 24-28 meses.

8. Dramatizar usando um boneco: de 2 a 2 1/2 anos, as crianças podem começar a expressar seus próprios sentimentos ou emoções durante a brincadeira, que neste caso é com o Sr. Batata.

Você pode graduar o nível de dificuldade de executar duas tarefas ao mesmo tempo segurando o Batata para ajudar o cliente enquanto ele acha as peças correspondentes e encaixa. Uma outra alternativa, essa achamos no Pinterest, é colar velcro no Sr. Batata e facilitar a colocação das peças nos lugares correspondentes.  Olha aqui:

batata

 

Além do velcro, perceba que foi fixado um anel para ajudar a manipulação da criança.

Além dessas habilidades, quais outras a criança desenvolve usando esse brinquedo? Comente!

fonte e imagens: savannahnowpraacticalaac

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

4 COMENTÁRIOS

  1. Além de tudo que foi colocado em estímulos, pode-se também trabalhar com a estereognosia. Coloca-se uma máscara na criança e/ou paciente e pede-se que seja identificado as partes do boneco. Para se tornar mais complexa o nível da atividade, pode pedir que também seja montado sem o auxílio da visão, que seria o reconhecimento abstrato da montagem do boneco. Porém, deve-se considerar as complexidades que esta parte da atividade pode desenvolver no paciente. Ou seja, a atividade poderá ser graduada de acordo com as capacidades cognitivas do paciente.

  2. peço sugestões de atividades sou pedagoga em Ed Especial e tenho duas alunas com autismo em grau severo.
    Gosto demais do link de vcs parabéns.

  3. Oi, Ana!!

    Este brinquedo está presente no meu cotidiano, uso-o sempre….O meu maior propósito com ele é o favorecimento do desenvolvimento da linguagem!! As crianças amam trabalhar com ele!

    Parabénsss pelo blog!

    Fga. Deise Silveira

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.