Escrever um texto que nos desafogue, nos traga alívio e lição. Leia:

Temos que nos engajar em uma nova maneira de pensar e aproveitar a experiência já vivida por outros para aprender. Que outros? As pessoas que obrigadas pelas circunstâncias diferentes da maioria precisaram encontrar novas formas de se relacionar com o mundo e entender de que a resiliência desempenha um papel importante diante de um cenário que requer nova forma de agir. A resiliência tem papel crucial em nossa capacidade de sobrevivência e crescimento a longo prazo.

Quem teria a nos ensinar nessas circunstâncias onde o planeta inteiro vive isolamento, medo, restrição? Aquele que não vê, o outro que não caminha, a pessoa que não ouve ou que por qualquer deficiência enfrentou circunstâncias e sentimentos que estão sendo vividos por nós. Para as pessoas com deficiência, a necessidade básica de conexão é também fundamental para suas vidas. Eles dependem da assistência de outros seres humanos ou da utilização de tecnologia para conectar ou auxiliar nas atividades da vida diária. Exatamente como estamos precisando pensar e viver agora.

Devido à natureza necessária do distanciamento social pelo Coronavírus, essa circunstância tornou-se o novo normal e por isso há a necessidade de mudar a mentalidade de forma significativa para confiar mais em formas alternativas de viver durante as próximas semanas ou meses. Precisamos utilizar a experiência vivida da deficiência para moldar um instrumento mental robusto, uma nova forma de pensar para ajudar a navegar pelo desconhecido nesses tempos alarmantes. Devemos aproveitar as lições da resiliência para nos ajudar a encontrar um caminho sólido para aceitar o que não podemos controlar e nos envolver no que podemos. Este tem sido um modo de vida essencial para as pessoas com deficiência e é hora de aprender a construir uma melhor compreensão de como essa experiência vivida pela pessoa com deficiência pode servir como uma lição valiosa para mudar nosso mindset para reaprendermos a viver e a construir um caminho com saúde, participação e bem-estar.

Que sejamos alunos reflexivos e praticante vorazes diante das lições das pessoas com deficiência. Mudemos nosso mindset.

Obg Jonathan Kaufman pelo post na Forbes que inspirou essa conexão entre nós e esses professores.

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.