Maneiras de aumentar a energia na Depressão e dica de post sobre antidepressivos

2
6035

Um dos sintomas da Depressão é a falta de energia. Este sintoma só contribui para a diminuição da participação social e até para a realização de atividades cotidianas. Sabendo disto, precisamos que a pessoa deprimida aumente seus níveis de energia. Abaixo estão listadas cinco maneiras eficazes para aumentar o nível de energia do deprimido e contribuir para sua recuperação.

1. Dar um passo de cada vez.

 É importante para a pessoa deprimida dar “pequenos passos”, ou seja, criar metas factíveis considerando seu estado atual. Sendo assim, ao tratar um deprimido não deve-se criar vários objetivos. É necessário identificar como o cliente está naquele momento e o que vocês podem fazer juntos para dar o primeiro passo, sair da inércia.

Se alguém está tão deprimido que fica na cama o dia todo, uma boa meta para ele é se levantar e tomar um banho. Para outra pessoa que também é deprimido, masjá é aquela que consegue trabalhar, sua meta pode ser se engajar em uma atividade prazerosa por dia. (Um exemplo é usar 10 minutos do dia dançando suas músicas favoritas.)

Algumas pessoas tendem a se repreender porque tomar um banho é uma meta aparentemente trivial, no entanto deve-se lembrar a elas que uma etapa conduz a uma outra etapa, o que conduz a uma outra etapa. Todos estes passos são apenas os blocos de construção para a obtenção de uma coisa mais “complexa”.

2. Praticar uma boa higiene do sono.

O sono é essencial para altos níveis de energia, e ficar muito ou pouco pode afetar drasticamente a forma como você  cliente se sente. Deve-se assim estimular o cliente a ter um tempo antes e depois de dormir “livre de estímulos”. Cabe salientar também que o depressivo pode precisar dormir antes e depois de trabalhar, e isto deve ser respeitado, mas aos poucos ser conversado e ser colocado objetivos, como deve-se dormir “x” horas após o trabalho, para que assim ele recupere a energia, mas não fique tempo demais na cama.

3. Ingerir alimentos que ajudem a dar energia

Determinados grupos de alimentos ajudam a sustentar a energia, enquanto outros, tais como carboidratos simples, criam picos rápidos de açúcar no sangue e, posteriormente, caem.

Os alimentos que mantém a energia são os carboidratos complexos, incluindo frutas, vegetais e grãos integrais e proteínas. É importante não deixar os níveis de energia dada pelos alimentos baixarem muito, sendo assim, é essencial ter lanches e petiscos que não deixem isso acontecer.

Deve-se ressaltar que as pessoas são diferentes e  têm preferências alimentares diferentes. Sendo assim, se o cliente detesta alimentos importantes para nutrição e manutenção de energia, deve ser encaminhado ao médico que receitará vitaminas que substituam esses alimentos.

4. Mover -se

Ao menos que correr ou fazer musculação seja o exercício que o depressivo goste de fazer, não é necessariamente esse tipo de exercício que ele deve fazer.  O movimento pode ser qualquer atividade física que a pessoa goste, ou seja, isso pode ser até passear com o cachorro, dançar, nadar ou jogar tênis. Vale chamar a atenção que, às vezes, o deprimido até esquece o que gosta de fazer, o movimento que lhe dá prazer. Lembre-o de atividades da infância ou de anos atrás, como andar de bicicleta ou patins.

5. Identificar o que pode estar reduzindo a energia

Há muitos fatores que podem afetar seus níveis de energia, como a medicação.  Às vezes, tomar remédios demais ou uma dose muito alta pode reduzir a energia. Não hesite em levar isso para o médico. A tecnologia também esgota a energia. Assim, limitar o tempo gasto assistindo televisão ou usando o computador ou outros dispositivos é importante.

E, finalmente, tentar não ficar preso ao resultado final. Viver cada pequena vitória!!

Se você quiser ler sobre antidepressivos, recomendamos esse post do site dos colegas do Psicologado.

Fonte: psychcentral.com
Imagem: Sander van der Wel
Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

2 COMENTÁRIOS

  1. Essas dicas parecem ser bem úteis. Vou testa-las para ver se dão certo comigo. Meu nível de energia está super baixo, até brincar com meus cachorros por 5 minutos já me cansa….

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.