Maior reserva cognitiva favorece a recuperação funcional no Traumatismo Cranioencefálico (TCE)

0
3727

 

As pessoas que receberam mais educação formal parecem mais propensos a se recuperar de uma lesão cerebral traumática moderada ou grave (TCE), o que é conhecido como ‘reserva cognitiva’ do cérebro pode desempenhar um papel importante no processo de recuperação .

Os cientistas examinaram 769 pacientes que sofreram um TCE grave o suficiente para ser internado em um hospital, ficar um tempo nele e depois ter de ir a um centro de reabilitação. Destes, 185 (24,1%) tinham menos de 12 anos de estudo, 390 (50,7%) foram de 12 a 15 anos, e 194 (25,2%) tinham pelo menos 16 anos de educação.

Se recuperaram do TCE  18 pacientes (9,7%) do primeiro grupo, 120 (30,8%) do segundo e 76 (39,2%) do terceiro (p <0,001). Em um modelo de regressão logística, considerando idade, sexo e fatores específicos da lesão e reabilitação, constatou-se que, por ano, aqueles com habilidades, pelo menos, equivalentes a um estudo completo em universidade tiveram sete vezes mais chances de se recuperar do TCE e deixar para trás as deficiências que essa condição originou, em comparação com aqueles que não completaram o ensino secundário.

Os resultados reproduzir a mesma tendência já observada em pesquisas anteriores sobre a doença de Alzheimer, em que o nível acadêmico de educação do paciente é inversamente relacionada com a velocidade com que a doença progride.

Não se sabe ainda o que os mecanismos biológicos exatos subjacentes a ligação entre os anos de esforços acadêmicos e melhor recuperação após lesão cerebral traumática. Pessoas com maior reserva cognitiva se recuperaram da lesão de uma maneira mais eficaz que lhes permite recuperar toda a sua funcionalidade anterior, seja através de reconstrução da arquitetura prévia ou pela formação de mecanismos alternativos no cérebro para compensar o declínio imposto pela lesão.

Quer ter acesso a fonte e pesquisar mais no artigo? Eis a referência logo abaixo:

Fonte: Neurology. 2014
Imagem: Bryan Jones
Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.