Maconha, psicose, esquizofrenia e concentração

4
4072

A evidência está aumentanto, os adolescentes que usam maconha regularmente estão aumentando suas chances de desenvolver a psicose, um padrão incomum de pensamentos ou percepções, como acreditar que a televisão está transmitindo mensagens secretas.

O uso regular de maconha também aumenta o risco de desenvolver esquizofrenia, uma desordem da saúde mental incapacitante, que não só causa a psicose, mas também problemas de concentração e perda da expressão emocional. Em muitos casos, uma pessoa com esquizofrenia se limita a viver a sua vida em um estabelecimento de saúde mental.

Estudo

Em um estudo recente feito em Harvard investigadores seguiram 2.000 adolescentes até eles se tornarem adultos jovens. Os jovens que fumaram maconha pelo menos cinco vezes tinham duas vezes mais chances de desenvolver psicose dentro de um período de dez anos.

Fator hereditário

Muitas doenças mentais são hereditárias, a  esquizofrenia e  a psicose está entre a lista de doenças mentais hereditárias. Uma adolescente que tem um pai ou um irmão com uma das duascondições tem uma chance em dez de ter também tê-las. Quando ocorrem abusos com a maconha, ainda quando adolescente, dobra- se o risco para uma chance em cinco de desenvolver esquizofrenia ou psicose.

Conclusão

A investigação sobre como o cérebro é afetado pela maconha e outras drogas ilícitas ainda está sendo estudada. Os cientistas têm uma compreensão bastante clara de como a maconha e outras drogas perigosas podem ser para o cérebro, mas o quanto dano pode ser feito pelo uso de drogas ainda é desconhecido.

Fonte: OpposingViews

Foto: Dey

Olá pessoal!! Resolvi trazer esse post para vocês porque pelo contato que tenho tido com alguns profissionais da “área da cognição”, percebo que alguns trabalham com clientes que usam/usaram drogas. Se você é um deles e quer compartilhar sua experiência, nos escreva: contato@reab.me.

Abraço em todos!

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

4 COMENTÁRIOS

  1. como sempre sao so suposições, acho q os caras que pesquisam sobre a maconha fumam um back todo dia! rsrsr pois ate hoje nao conseguiram dizer se a maconha, faz realmente mal, fumo maconha a anos e te digo o cigarro me fazia muito mais mal q a maconha parei de fumar e senti uma melhora grande, ja a maconha me deixa mais tranquilo e sem dor em uma perna que operei a anos mas nao recomendo pra ninguem tem muito preconceito. sou formado e trabalho na area de analise de sistemas sem problemas.

  2. fumei maconha pela primeira vez e entrei numa bad horrível.. não sabia se estava sonhando ou se estava acordada, se tudo era verdade ou fantasia e meu coração foi a mil. não tinha muita noção do que estava fazendo, realmente parecia um sonho. o que pode ter acontecido?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.