Livro do ensaio fotográfico que registrou as expressões de pacientes com câncer diante de mudanças radicais no visual

13
5177

“Se só por um segundo” estreou para um público muito seleto:  20 pacientes com câncer e suas famílias foram capazes de ver um momento no tempo em que a doença desapareceu magicamente.

Leo Burnett, fotógrafo, teve a missão de imortalizar esse momento em que os pacientes se viram sob uma nova luz com um visual radicalmente mudado, e produziu um evento na sua galeria e um de livro para apresentar os resultados. O livro é este que vocês veem na imagem abaixo (pois é, em Francês!):

livro

O projeto  foi criado pela Fundação Mimi, uma organização dedicada a “a melhoria da qualidade de vida das pessoas afetadas pelo câncer”. A Presidente e fundadora Myriam Ullens de Schooten disse : “Quando se é ‘atingido’ pelo câncer é aterrorizaste. De repente, a vida muda. O caminho é sempre difícil e doloroso e marcado por tratamentos muitas vezes longos e difíceis. O impacto da doença é diferente para todos,  mas um aspecto é comum ele tem consequências importantes para a vida do paciente e de todos que estão ao seu redor”.

A iniciativa da Fundação Mimi e do fotógrafo Leo Burnett rederam aos 20 pacientes e as suas famílias um segundo de total esquecimento da doença e das preocupações correlacionadas. Confiram algumas das imagens emocionantes do livro:


Captura de Tela 2013-12-12 às 13.37.59 Captura de Tela 2013-12-12 às 13.38.07 Captura de Tela 2013-12-12 às 13.38.14 Captura de Tela 2013-12-12 às 13.38.20 Captura de Tela 2013-12-12 às 13.39.28 Captura de Tela 2013-12-12 às 13.39.34

“A peruca agradável e uma esteticista carinhosa me fez sentir como se eu fosse uma mulher de pleno direito, apesar dos efeitos óbvios da doença.”; ” A partir dessa experiência eu adotei a crença de que o câncer deve ser atacado em todas as frentes, não apenas clinicamente . E o desejo de oferecer a todos aqueles que enfrentam esta doença a possibilidade de ser apoiado, ajudado e confortado”, relataram pacientes que passaram por esse ensaio fotográfico.

Outros trechos de relatos de pacientes que chamaram atenção:

“O apoio de um psicólogo me ajudou a ficar forte em toda a minha luta”.

” A atenção de enfermeiros e médicos nos centros de oncologia bem decorados fizeram as sessões de quimioterapia menos estressante para mim”.

” Os testemunhos de pessoas em recuperação me mostrou que eu poderia ganhar a luta e olhar para o futuro de forma mais positiva”.

Os relatos acima mostram que o entorno do paciente que se trata de câncer deve ser leve e positivo, bem como que profissionais bem preparados podem fazer a diferença nesse processo.  Nós do Reab.me ficamos muito felizes de poder dividir com vocês relatos e iniciativas como esta que mostram que o que está em volta dos pacientes é tão importante quanto às medicações e técnicas as quais são submetidos. E assim, fechamos este post dizendo que nossa missão aqui nesse site é trazer leveza, capacitação e informação para todos aqueles que por aqui passarem lendo nossos posts.

Somos apaixonados pela ideia de estar junto de clientes, profissionais e familiares nos momentos que acompanham os processos de tratamento e reabilitação de doenças e deficiências. =)

Ah, quem quiser ver o vídeo do ensaio fotográfico: clica aqui e vai ao post!

fonte e imagens: dailymail.co.uk

Aqui no Brasil tem um projeto que também pode te interessar: Projeto Pérolas resgata autoestima e beleza das mulheres com Câncer de mama por meio da fotografia

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Mais e quase tudo sobre minha história: Ana Leite, formada em Terapia Ocupacional na Universidade Federal de Pernambuco (Brasil). Minha experiência clínica como terapeuta é com a pessoa adulta e idosa com disfunção cognitiva que apresenta dificuldades na realização de suas atividades cotidianas. O processo de tratamento dos meus pacientes sempre envolveu intervenções que visavam a maior participação possível em atividades cotidianas significativas. As ferramentas utilizadas nesse processo incluíam orientações sobre adaptação do ambiente e da tarefa a ser realizada, organização de rotina e estimulação/reabilitação cognitiva. Tenho especialização em Tecnologia Assistiva, onde me instrumentalizei sobre o uso equipamentos e dispositivos que podem aumentar/permitir a funcionalidade. Fiz mestrado em Design, na linha de pesquisa de Ergonomia. Participei do desenvolvimento e validação de uma metodologia de avaliação do ambiente construído (MEAC). Na minha pesquisa estudei as variáveis arquitetônicas do ambiente moradia das pessoas idosas que residiam em ILPI (Instituição de Longa Permanência para Idosos). Nesse processo pude acrescentar ao conhecimentos da Terapia Ocupacional esse olhar mais aprofundado sobre o ambiente de moradia. Assim, compreendendo melhor qual o impacto que o ambiente físico/construído possui no funcionamento diário das pessoas idosas. Sou criadora da primeira marca digital, em língua portuguesa, dedicada a produção/divulgação de conteúdo especializado no contexto de reabilitação, reab.me. Produzo conteúdos textuais e audiovisuais através da curadoria de revistas científicas e outras referências técnicas; edito conteúdos de colaboradores, profissionais de reabilitação, de diversas áreas, que escrevem para o reab. Além de assuntos técnicos, escrevo sobre questões relacionadas à saúde mental dos terapeutas, tendo em vista a crescente necessidade de falar de autocuidado e bem estar para os profissionais de saúde. Tema que tem surgido de forma crescente e preocupante nos bastidores de prática clínica e até em pesquisas. O reab.me edita, produz e distribui em loja digital própria (que vocês encontram aqui no site!), produtos para serem usados por profissionais, cuidadores formais e familiares no processo do cuidar. Os produtos desenvolvidos contam com outros profissionais que opinando, através dos seus conhecimentos específicos, e testando contribuem na co-criação desses produtos. Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

13 COMENTÁRIOS

  1. Muuuuito maravilhoso!!! Meu filho de 23 anos acabou sua quimioterapia no dia 08/11/2013. Reportagem muito importante para todos que lutam contra essa doença.
    Parabéns

  2. ESSA PESQUISA é VERDADEIRA !!!! Há 34 anos ,eu tive um carcinoma no colo do ÚTERO e ,no mês em que descobri, eu notei algo diferente na minha expressão facial…depois de fazer uma “coneização” …e ter tirado a verruguinha….e acompanhado por 2 anos…foi que eu modifiquei !!! A FÉ…A VONTADE de viver …ajuda muito !!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.